Liberados recursos para emergência e calamidades – CL+
Conecte-se a nós

Geral

Liberados recursos para emergência e calamidades

Published

on

No mês de junho do ano passado, logo após uma das maiores enchentes e enxurradas já registradas em Lages, o secretário municipal de Assistência Social e Habitação, Samuel Ramos, e o prefeito em exercício Juliano Polese (na época vice-prefeito), participaram de audiências em Brasília, na sede do Ministério do Desenvolvimento Social. Na pauta das reuniões, o desbloqueio de um recurso denominado Piso Variável de Alta Complexidade, o PVAC Granizo, na ordem de R$ 94.821,77. Este dinheiro estava na conta do Fundo Municipal de Assistência Social, mas bloqueado desde o ano de 2014, após a chuva de granizo que assolou Lages.

“Levamos em mãos um ofício aos representantes do Ministério, com o pedido de desbloqueio destes recursos que não foram usados em 2014. Nosso objetivo era utilizá-los nos auxílios às pessoas atingidas ainda no ano passado após aquela forte enchente. Demorou um pouco, mas no dia 14 de dezembro o Ministério de Desenvolvimento Social nos respondeu dando parecer favorável ao desbloqueio destes valores”, comenta o secretário Samuel.

Fundo Nacional

com isso, o saldo de recurso do Serviço de Proteção em Calamidades Públicas e Emergências, repassado pelo Fundo Nacional de Assistência Social ao Fundo Municipal está à disposição do município para despesas de custeio. A aplicação deste valor será feita somente em casos de situação de emergência ou calamidade instalada na cidade. “Agora temos a autorização e as diretrizes de como utilizar estes recursos. Um instrumento importante para possíveis ações emergenciais em favor da comunidade”, salienta Samuel Ramos.

Comentários
clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Corpo de jovem é resgatado de rio em Urubici

Published

on

Por

Rio do Baiano, em Urubici- Foto: Divulgação

Um jovem, de 22 anos, morreu afogado no Rio do Baiano, na tarde de sexta-feira (19), em Urubici. De acordo com o Corpo de Bombeiros, Márcio Adriano da Silva Ribeiro teria saído para pescar e não retornou no horário de costume. Técnicos do Instituto Geral de Perícias (IGP) estiveram no local para remover o corpo para autópsia. Márcio era natural de Urubici. Ainda não há informações sobre as causas do afogamento.

 

Comentários
Continue Lendo

Geral

Homem morre esmagado em acidente com trator

Published

on

Neste acidente o tratorista saiu ileso - Foto: Divulgação

Dois acidentes com tratores agrícolas foram registrados em São Joaquim, na Serra Catarinense, e resultaram em uma vítima fatal. Em um dos acidentes, o tratorista morreu esmagado. O corpo de Juventino Meireles, foi encontrado, ontem, embaixo do veículo, em uma estrada na localidade Rondinha, no interior do município.

Conforme o site São Joaquim Online, o acidente foi próximo a uma propriedade, onde ele prestava serviço de trabalhador rural. O tratorista estava desaparecido desde o final da tarde de domingo, quando saiu para trabalhar e não retornou. Devido à chuva, equipes da Polícia Civil e do Instituto Geral de Perícias (IGP) tiveram dificuldades para chegar ao local e recolher o corpo. As causas do acidente serão investigadas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, no outro acidente envolvendo um trator, o tratorista saiu ileso. O acidente foi registrado na localidade do Luizinho. O trator teria tombado enquanto o agricultor trabalhava em um pomar de maçã. O condutor teria perdido o controle do veículo, que capotou em seguida. Ele conseguiu escapar a tempo e, por isso, não se feriu.

Comentários
Continue Lendo

Geral

Manifestação de moradores na Avenida 31 de Março

Published

on

Foto: Andressa Ramos

Com faixas e cartazes moradores do Bairro Guarujá, em Lages, se manifestam contra a violência e pedem a construção de uma base fixa da Polícia Militar. Eles percorrerão a avenida até o Posto Guarujá.

Comentários
Continue Lendo

Geral

Vandalismo é grande em Lages, até tiros são disparados contra luminárias

Published

on

Luminárias e lâmpada que levaram tiros farão parte de uma exposição - Fotos: Susana Küster

Iluminação, parquinhos infantis, cemitérios, lixeiras, banheiros, árvores e mudas de flores. Esses e outros bens públicos são depredados por vândalos com frequência.

Eles também utilizam a pichação para estragar locais, que até então, estavam conservados. Até tiros, as luminárias que ficam nos postes bem altos levam. Algumas, o secretário do Meio Ambiente e Serviços Públicos de Lages, Euclides Mecabô, guarda na secretaria.

A ideia dele, com isso, é fazer até março uma exposição no calçadão para escancarar alguns dos objetos estragados por vândalos. Também terão fotografias que vão mostrar árvores danificadas e outras coisas que não tem como levar em uma exposição pelo tamanho ou por outro motivo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O objetivo é conscientizar, mostrando para a população que é preciso denunciar essas atitudes, o que pode ser feito pelo número 190 da PM ou pela Secretaria do Meio Ambiente, no 49-3225-6990. “Para recompor tudo o que foi estragado, precisamos gastar dinheiro do povo.”

Aproximadamente, 15% dos estragos na iluminação pública é devido ao vandalismo, segundo Mecabô. Já nos parquinhos que a equipe da secretaria vai, cerca de 20% dos equipamentos quebrados é por mau uso ou por vandalismo.

Sobre os bancos das praças, no mínimo 10% são estragados por ação humana e não do tempo. “20% das mudas de flores são arrancadas dos canteiros e chegam a 30% as árvores arrancadas.”

No ano passado, ele lembra que, mais ou menos 300 lixeiras foram quebradas, sendo que algumas não tiveram conserto. “O banheiro público é bem difícil manter 100%, arrumamos as torneiras, quebraram portas e por aí vai.”

Os números podem parecer pequenos, entretanto, é necessário lembrar que para consertar o que é vandalizado, é preciso gastar dinheiro público.

Custos

Para se ter uma ideia, uma luminária custa, em média, de R$ 50 a R$ 170. “Enviamos pessoal e gastamos com gasolina e material. Além disso, perde-se tempo, afinal, poderiam estar melhorando a cidade e não recuperando. Fora que tem casos, que a população fica sem luz”.

 

Comentários
Continue Lendo

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©