Conecte-se a nós

Essencial

Em busca do ‘corpo perfeito’? Se liga nas consequências!

Published

em

Foto: Divulgação

Críticas às medidas do corpo não são exclusivas das mulheres, mas são em grande parte voltadas a elas. Comentários negativos acerca do peso de celebridades, por exemplo, são frequentes nas redes sociais. Tanto, que na última semana, a atriz Bruna Marquezine fez um desabafo em vídeos no seu Instagram (publicado edição passada) falando sobre problemas que teve, acarretados pela não aceitação do seu corpo, devido a esses comentários.

Assim como ela, outras mulheres, celebridades ou não, se veem em busca do corpo perfeito, de um padrão que não existe. No seu relato, Bruna comentou sobre o fato de ter utilizado laxante por um período em busca do emagrecimento ‘milagroso’, e o resultado não foi de emagrecimento, apenas de complicações de saúde.

Uma pesquisa publicada pelo periódico Pediatrics indica que 20% das mulheres com 23 anos, mesma idade da atriz, afirmam ter usado laxante para esse fim. O produto, indicado por médicos para problemas de constipação intestinal ou para limpar o intestino antes de algum exame específico, não deve nunca serem usados para fins de emagrecimento.

Usado de forma constante, o laxante pode causar complicações renais, problemas cardíacos pela falta de absorção de potássio, cortar o efeito de outros medicamentos e até mesmo provocar câncer colorretal (CCR).

O sulfato de sódio, princípio ativo dos laxantes, gera perda de água e dos líquidos corporais. Quem não precisa e faz uso indiscriminado do produto terá alternações entre diarreia e constipação intestinal. Causando a desidratação do corpo, tendo que, posteriormente, repor o líquido. Além disso a desidratação, interrompe a retenção de nutrientes e vitaminas pelo corpo.

Segundo a nutricionista da Secretaria de Saúde de Lages e especialista em Nutrição Clínica, Núbia Raber (CRN 4480), o laxante deve ser usado apenas para fins clínicos, como em exames médicos. Para perda de peso e regularização dos problemas intestinais, ela diz que a solução é a reeducação alimentar.

“O laxante causa a falsa sensação de emagrecimento, porque esvazia o sistema intestinal, desinchando, mas causando a desidratação. Quando a pessoa volta a tomar líquidos para se hidratar, o peso retorna”.

Núbia Raber,especialista em Nutrição Clínica – Foto: Agnes Samantha

O produto não elimina calorias, já que elas são absorvidas no sistema digestório e não no intestino. “O melhor para uma a pessoa emagrecer é não procurar esse tipo de escape, e sim fazer uma reeducação alimentar adequada, atividade física e tomar dois litros de água por dia,” instrui.

Os nutricionistas recomendam para a prisão de ventre e emagrecimento os lactobacilos, a glutamina, fibras (verduras, legumes e frutas, principalmente com cascas) e psyllium. A fórmula não é mágica, por questões de metabolismo, algumas pessoas eliminam o peso mais rápido e outras de forma mais lenta. A atividade física é uma forte aliada e também auxilia no funcionamento do intestino.

Estou fora do peso?

As pessoas são muito visuais, mas não é no espelho que serão descobertos os problemas de saúde. Algumas vezes, o sobrepeso e a obesidade não são indicadores de problemas como hipertensão ou diabetes. A resposta só virá através de exames laboratoriais. Quando o resultado é positivo, o emagrecimento não é uma questão de imagem, de a pessoa não estar se sentindo bem assim.

Núbia Raber atende na Policlínica de Lages e, entre os pacientes, tem havido procura tanto de mulheres como de homens de variadas idades para o emagrecimento. “Hoje, os homens estão preocupados com a saúde e, em grande parte, vejo uma rápida resposta nos emagrecimentos, mas nem todo mundo chega pela prevenção, geralmente já existe um problema renal, cardíaco ou hepático.”

Por isso, é importante fazer um checkup de seis em seis meses, para que quando chegue ao profissional já não seja tarde. Já que algumas patologias são reversíveis e outras poderão apenas ser amenizadas.

“Todo mundo precisa de orientação nutricional, ter mais atenção com a saúde,” diz ela, que destaca que a reeducação alimentar é o fato de saber comer bem, com alimentos que as pessoas já tem na geladeira, mas ingeridos na quantidade e maneira certa,

Além disso, o acompanhamento psicológico também é muito importante. Muitas pessoas com obesidade têm algum distúrbio de imagem, depressão, etc. É necessário tratar o corpo, mas também tratar a mente, pois a reeducação é uma mudança brusca de vida. “É tudo um conjunto,” ressalta ela.

Anúncio
1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Em busca do 'corpo perfeito'? Se liga nas consequências! | Assuntando

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: