Promotoria quer revogar trabalho externo de presos – CL+
Conecte-se a nós

Notícias

Promotoria quer revogar trabalho externo de presos

Published

on

Decisão é motivada por irregularidades no trabalho externo de 18 presos - Foto: Vinicius Prado

A 2ª Promotoria de Justiça do Fórum de Lages vai pedir ao Poder Judiciário a revogação, em definitivo (uma liminar já foi concedida pela Justiça), do serviço externo de 18 detentos do Presídio Regional de Lages. Durante investigações, constatou-se que eles estavam descumprindo determinações judiciais no que se refere ao serviço externo.

Essas irregularidades resultaram na Operação “Regresso”, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com o apoio de outros órgãos de segurança. Durante a ação, foram cumpridos cinco mandados de prisão, 17 de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para depor) contra empregadores que contratavam os internos e 16 mandados de busca e apreensão.

Os conduzidos, incluindo os presos, foram levados para depor na sede do Gaeco, ao lado do Fórum Nereu Ramos. Cerca de 40 policiais atuaram na operação, que se estendeu durante esta quarta-feira (06). A ação teve desdobramento em Otacílio Costa. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

O promotor de justiça, James Faraco, comenta que, a princípio, não se verificou nenhuma contrapartida maior, que motivassem os empregadores a fazerem isso. “Não era um negócio”.  Ele acredita que pode ter sido uma ajuda entre os envolvidos, como uma troca de favores. Por meio dos depoimentos com cinco detentos, que foram ouvidos na tarde de ontem, já será possível ter uma noção do motivo.

Além do Gaeco, os trabalhos envolveram as 2ª e 3ª Promotorias de Justiça de Lages, 6º Batalhão de Polícia Militar (6º BPM), Departamento de Administração Prisional (Deap), Delegacia Regional de Polícia Civil de Lages e respaldada em decisões judiciais da 2ª Vara Criminal de Lages e da Vara Regional de Execuções Penais de Curitibanos.

Trabalho externo

O trabalho externo é um benefício concedido ao preso do regime semiaberto. Pelas regras, o interno é liberado da carceragem pela manhã para trabalhar e volta à unidade no final da tarde. Além de progressão da pena (a cada três dias trabalhados, o preso tem o direito a um dia de redução da pena que cumpre), o benefício é uma forma de ressocialização. Segundo o promotor de Justiça de Execuções Penais, James Faraco Amorim, responsável pelo caso, durante as investigações, verificou-se que os detentos não compareciam ao local do trabalho. As investigações iniciaram há cerca de dois meses, a partir de denúncias. Ao todo, 30 internos foram investigados. Durante a apuração, os investigadores foram aos locais de trabalhos dos internos e verificaram que eles não estavam cumprindo as determinações judiciais. As supostas irregularidades foram comprovadas por meio de vídeos e fotos.
Os presos são investigados por, em conluio com os empregadores, inserirem falsas informações em seus respectivos processos de execução penal com o objetivo de obter a remissão da pena.

Falsificação

Inquéritos policiais foram instaurados para apurar as responsabilidades dos envolvidos, que estão sendo investigados por fraude e na obtenção do benefício do sistema prisional e falsificação de documentos. Os empregadores também deverão ser responsabilizados. Do grupo alvo de presos investigados, oito estão no semiaberto e 10 já estão no regime aberto. Se as denúncias contra eles se confirmarem, eles poderão, dentre as penalidades, terem a progressão do regime revogado e voltarem ao regime fechado.

 

Comentários

Notícias

Reunião definirá os rumos da paralisação dos médicos

Published

on

Foto: Andressa Ramos/Arquivo/CL

Está agendada para esta terça-feira (20), uma reunião, em Florianópolis, que pretende resolver a paralisação dos mais de 100 médicos que atendem na emergência e na urgência do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, em Lages. Desde ontem, eles suspenderam os atendimentos não emergenciais e as cirurgias eletivas.

Apesar da paralisação, os atendimentos de urgência e emergência permanecem. O motivo, segundo o corpo clínico, é a falta de pagamento aos médicos, que afirmam estar há quase sete meses sem receber seus salários.

O diretor do corpo clínico explica que espera resolver a situação o mais breve possível. Para tratar do assunto, se reunirão nesta terça, com o secretário da Saúde de Santa Catarina, Acélio Casagrande, e a secretária de Saúde de Lages, Odila Maria Waldrich, acompanhada da direção do Nossa Senhora dos Prazeres. O encontro está agendado para às 15 horas, em na capital do estado. O corpo clínico enfatiza, que as cirurgias e os atendimentos pelo Sistema Único de Saúde, convênios ou particulares não estão acontecendo. Porém, nos casos de risco de morte os pacientes serão atendidos normalmente.

Hospital atende a macrorregião

Instalado em Lages, o Hospital Nossa Senhora dos Prazeres é especializado em traumatologia e atende uma grande região, que compreende todos os municípios da Serra Catarinense, Meio Oeste, Planalto Central e parte do Vale do Itajaí.  Ao todo são mais de 200 médicos e 500 funcionários. Em média, a cada mês, são internadas mais de 700 pessoas e são realizadas 500 cirurgias.

É justamente uma parcela deste atendimento que está sendo prejudicado pela suspensão dos serviços por parte dos médicos. A situação exige a remarcação de várias cirurgias.  Além da procura espontânea, o hospital funciona como uma extensão do Pronto Atendimento, de onde os pacientes mais graves são encaminhados para exames.

Essa não é a primeira vez que a categoria reivindica salários. Reclamações anteriores resultaram no aporte de recursos estaduais, que atualmente estão em atraso.

 

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Atropelamento no Pró-Morar deixa duas pessoas feridas e uma vítima fatal

Published

on

Por

Um atropelamento na Rua Edmundo da Costa Arruda, Bairro Pró-Morar, na noite de domingo (18), por volta das 21 horas, deixou duas pessoas feridas e uma vítima fatal.

Michele Lopes de Liz, de 24 anos, e mais um senhor e uma senhora de 43 e 41 anos, respectivamente, caminhavam pela rua, quando um Corsa, placas de Lages, os atingiu. O veículo era conduzido pelo motorista de iniciais J.M.L, 21, que segundo a Polícia Militar, era primo de Michele. Ele fugiu do local do acidente a pé.

A jovem chegou a ser socorrida pelo Samu, mas não resistiu aos ferimentos e teria morrido no local. O senhor teve o pé esquerdo lesionado e a senhora sofreu escoriações no pé esquerdo e fortes dores na panturrilha direita. A identidade dos dois não foi divulgada.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Fechamento de área no Salto gera polêmica

Published

on

Cerca fechou acesso dos veículos ao entorno da praça e Academia da Terceira Idade - Foto: Susana Küster

Segundo comerciantes, o Salto Caveiras, em Lages, não é um local que possui muitos atrativos turísticos e a restrição de acesso a um local usado como estacionamento, diminuiu mais ainda o movimento de visitantes. Edson Küster é um dos que reclamam do fechamento da área do parque e da Academia da Terceira Idade do Salto.

Ele mostra um abaixo assinado com 500 adesões de pessoas, que frequentam e moram no local. A área cercada era também utilizada como estacionamento, principalmente nos fins de semana.

E, isso segundo Küster, e, outro comerciante, chamado César Bastos, foi péssimo para as vendas. De acordo com relato dos dois, a cerca não só tirou vagas de estacionamento perto de seus estabelecimentos, mas reduziu a clientela.

Eles são os únicos que ficam próximo da academia e do parque. “O secretário Osvaldo Uncini me pediu para fazer esse abaixo assinado para reverter a situação”, diz Küster.

A informação de que o secretário de Agricultura e Pesca, Osvaldo Uncini pediu para ser feito um abaixo assinado não foi confirmada, porque ele estava afastado da pasta até o fim do feriadão de Carnaval e não atendeu o telefone celular para esclarecer o assunto.

O presidente da Associação de Moradores do Salto Caveiras, Sauro Tadeu dos Reis, afirma que muitos pais reclamavam de que não teria como levar suas crianças para brincarem na praça, devido à sujeira deixada por pessoas que utilizavam a área no fim de semana. “Não foi uma decisão minha, foi de todos os integrantes da associação”, destaca Reis.

A ideia é fazer um posto de saúde e uma quadra de areia no espaço que fica ao redor da academia da terceira idade e do parque. Atualmente, o atendimento na área da saúde para os moradores é feito na casa da associação.

“Mostramos a situação para o secretário do Meio Ambiente (Euclides Mecabô). Eles deixavam tudo sujo, traziam bebida de fora e quebravam as garrafas no local”, lamenta.

O presidente da associação nega a informação de que o movimento nos comércios diminuiu por conta da área cercada. “As pessoas que ficavam ali, nem compravam no Salto. Traziam comida e bebida de fora e deixavam tudo sujo local”.

Ele salienta que as pessoas podem usar a praça e parque, porque foi deixado um espaço aberto na cerca para não inviabilizar o acesso. O secretário do Meio Ambiente, Euclides Mecabô, afirma que não sabia da existência da cerca até o CL informar e que iria até o local checar a situação.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Ocupação contra a Reforma da Previdência no INSS de Lages

Published

on

Por

Fotos: Yuri Amaral/ Divulgação

Desde às 10 horas desta segunda-feira (19), cerca de 100 pessoas ocuparam Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em Lages, em manifestação contra a Reforma da Previdência, que pode ser votada essa semana.

O único serviço que está funcionando é a perícia médica já agendada, todos os outros processos foram suspensos nesta segunda.

O representante da Pastoral da Juventude e coordenador da Frente Brasil Popular Planalto Serrano, Yuri Amaral, explica que a ocupação acontecerá até às 16 horas, sendo que às 14 horas deve ter um grande ato, onde se espera de 500 a mil pessoas, se mobilizando contra a reforma.

“Esperamos que a comunidade lageana se mobilize em estar aqui, com a gente, para barrar essa reforma, que vem tirar o direito dos trabalhadores se aposentar”, diz Amaral.

Enquanto isso, o Rio de Janeiro passa por uma intervenção federal. Isso impede a votação da reforma, a menos que o Governo Federal faça alguma manobra e consiga realizar a votação.

Comentários
Continue Lendo

Capa do Dia

Instagram

Facebook

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©