Conecte-se a nós

Notícias

Prefeitura garante que irá consertar a tubulação

Published

em

Por causa dos tubos quebrados, moradores precisam conviver com mau cheiro, principalmente na hora de pegar ônibus - Foto: Andressa Ramos

Patrick Antunes Coelho é morador da rua Lauro Muniz Paes, no Bairro Jardim Celina, em Lages, há mais de cinco anos. E não é a primeira vez que precisa aguentar o cheiro forte de esgoto em frente à sua casa. Há menos de duas semanas, uma patrola da prefeitura passou no local para melhorar o trecho, porém, Patrick percebeu que, na verdade, só piorou, pois a tubulação ficou quebrada depois que a máquina passou.

Por pensar que era água potável, o morador entrou em contato com a Semasa, mas a equipe verificou que a solução poderia ser executada pela Secretaria de Planejamento de Infraestrutura. “Os homens falaram que eles mesmos comunicariam a outra secretaria para arrumar, mas já estou esperando faz duas semanas.” O local onde a tubulação quebrou e o líquido da rede pluvial está escorrendo fica bem em frente a um ponto de ônibus.

A Secretaria de Planejamento e Obras informou, por meio da assessoria de imprensa, que já tem conhecimento do caso e, assim que possível, a equipe de serviços se deslocará até para realizar os trabalhos pertinentes e necessários para correção.

Outra promessa da Secretaria de de Planejamento de Infraestrutura, e que não foi cumprida, é sobre a situação das irmãs Vanessa e Vanderleia.

Há quase duas semanas, o Correio Lageano publicou matéria sobre a casa das irmãs Vanessa e Vanderleia, no Bairro Universitário, que foi demolida para a construção de uma rede de tubulação. Porém, a casa onde moram com mais quatro crianças, foi demolida no começo do ano e, até agora, nem a obra de tubos e nem a reconstrução da casa foi feita.

Assim, elas procuraram o Correio Lageano, pois estão morando em uma casa prestes a cair. O secretário de Assistência Social e Habitação, Samuel Ramos, afirmou que atendeu à família e ofereceu uma casa no condomínio Ponte Grande, mas as irmãs não quiseram. Elas alegam que tinham sua casa, só saíram por causa da obra de tubulação.

Na primeira matéria do CL, o diretor de urbanismo da Secretaria de Planejamento e Infraestrutura, Roberto Provenzano, garantiu que a obra seria executada até o dia 29 de setembro, porém, nada foi feito. Assim, o engenheiro Bezen, da mesma pasta, explicou que a obra não foi feita por causa da homologação da compra dos tubos e, enfatizou que seria executada de qualquer forma até a última sexta-feira (5), o que não aconteceu.

A justificativa da prefeitura é que o trabalho não foi realizado devido à instabilidade do tempo e os serviços emergências e prioritários de manutenção na cidade. Por meio da assessoria, explicou que a equipe de trabalho é deslocada para outro tipo de serviço também de grande importância para a coletividade.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: