Conecte-se a nós

Notícias

População discute assédio contra mulheres, na Câmara de Vereadores

Published

on

Plenário ficou praticamente lotado para discutir o problema - Foto: Bega Godóy

Com requerimento da vereadora Aida Hoffer (PSD), a Câmara de Vereadores de Lages realizou, na noite desta quarta-feira (28), audiência pública pelo Fim do Assédio Feminino. O que foi discutido será transformado em um documento, que servirá de parâmetro para o encaminhamento, desenvolvimento de ações e criação de políticas públicas no combate ao assédio, que pode ser físico, psicológico ou moral.

Segundo Aida, a ideia desse encontro foi amadurecida por causa da passagem dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher. “O assédio acontece principalmente no transporte público e na rua. A mulher tem que ouvir cantadas, piadinhas e comentários ficando em situação de coação psicológica”, salienta.

A vereadora observa que, inicialmente, a intenção era fazer uma audiência sobre a força de trabalho feminina, empoderamento e a jornada da mulher. Mas ganhou peso com a manifestação de um grupo de acadêmicas do CAV, incomodadas pelo crescimento do assédio nos arredores da instituição. O tema da reunião foi ampliado, sobretudo após a participação das estudantes em uma sessão da Câmara, levantando a necessidade de combater todos os tipos de assédios.

Durante a sessão, o público que quase lotou as 132 cadeiras se manifestou. Como o vice-presidente da Associação de Moradores do Bairro Centenário, Élvio da Silva. “Há relatos de mulheres que sofrem assédio no ônibus e normalmente vindos de estudantes”, garante.

Outra pessoa que não falou mas esteve no plenário é a professora de filosofia e presidente da Associação de Pais e Professores (APP) do Cedup Renato Ramos da Silva, Janete Detoffol. Ela acompanhava algumas alunas de enfermagem e convidados.

“O Cedup tem fomentado o diálogo sobre estas questões, entre o corpo docente e alunos” , explica ao destacar que o momento é crucial, com relação às políticas públicas de conquista e direitos femininos.

Gecal

Para a professora, doutoranda em Educação e pesquisadora do grupo Gênero e Educação na América Latina (Gecal), Jô Antunes, que também esteve presente na sessão, o machismo tem relação direta com os assédios sexuais. “O assédio é um tipo de violência que esta intrinsecamente ligado ao machismo”.

Ela explica que isso começa com o patriarcado, um sistema social em que os homens mantêm o poder, predominantemente em funções de liderança política, autoridade moral, privilegio social, intelectual e controle das propriedade.

Ou seja, o machismo vem dessa mesma crença de que os homens são superiores às mulheres. “E esse machismo mata todos os dias. A cada duas horas uma mulher é morta e a cada 11 minutos uma mulher é estuprada”, alerta. Dessa forma, segundo a professora, há uma tarefa árdua a ser feita, de enfrentamento ao patriarcado e ao machismo. “Avançaremos muito pouco se não tivermos uma mudança de mentalidade e de cultura”.

Segundo a pesquisadora, não basta ficar apenas no campo da polícia ostensiva e da política, deve-se avançar na perspectiva da polícia preventiva e em políticas públicas. “Mas, sobretudo, fazer investimentos forte na educação, na formação e na pesquisa. Mudança de cultura se dá através destes aspectos. Educação e pesquisa”, completa.

Compromisso

A sessão contou com a presença de autoridades como da Polícia Militar, Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso, Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulher e Assuntos Comunitários, representante do Grupo de Pesquisas, Gerência, Educação e Cidadania na América Latina (Gecal) e da Promotoria de Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra Mulher e Coordenação do Coletivo Feminino do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV) e público em geral. O objetivo é envolver toda a sociedade na solução do problema.

Comentários
Compartilhe

Notícias

Praça do CEU objetiva potencializar a participação social

Published

on

Por

Foto: Fabrício Furtado/ FCL/ Divulgação

Por meio da parceria entre União e municípios, 357 Centros de Esportes Unificados (CEUs) estão em construção no país. Destes, cerca de 161 foram inaugurados até maio deste ano. Se for considerar o número atual de municípios brasileiros, 5.570, Lages é um dos poucos privilegiados com a instalação e o funcionamento de um.

Localizado na rua Archilau Batista do Amaral, no Bairro Universitário, próximo ao Ginásio Jones Minosso, a Praça do CEU de Lages homenageia o Dr.  e desportista Luiz Carlos Silva. Ele foi advogado, escrivão no Fórum da Comarca de Lages/Nereu Ramos e também fez parte da equipe lageana de tiro ao prato numa das edições dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc).

O espaço dispõe de duas salas multiuso (aulas de artes, dança, xadrez, teatro, musicalização e afins), telecentro (informática), ‘cineatro’, ginásio poliesportivo, administrativo/almoxarifado, sanitários exclusivos para pessoas com necessidades especiais, pista de skate, local para atividades recreativas e físicas.

Com o objetivo de potencializar a participação social, além dos cursos em funcionamento, como balé e desenho na área de artes, oficinas de contação de história destinado para os professores da rede municipal, escolinhas esportivas (handebol e futsal) e atividades do Programa Vida Ativa (Programa que visa promoção de integração, convivência, fortalecimento de vínculos e práticas físicas para o público da segunda e terceira idade).

O superintendente da Fundação Cultural de Lages (FCL), Gilberto Ronconi, informa que até o dia primeiro de agosto estarão abertas as inscrições para o curso de violão. “As aulas serão ministradas pelo instrutor Eder Goulart, um dos principais músicos da canção nativista do município. O intuito é formar três turmas: a primeira nas quartas e sextas-feiras, das 9h às 10h, a segunda também nas quartas e sextas-feiras, porém das 10h às 11h e a terceira nas quintas-feiras, das 9h às 11h”, explica Gilberto.

O secretário de Assistência Social e Habitação de Lages, Samuel Ramos, destaca que esses cursos, oficinas, escolinhas e atividades ocorrem de forma gratuita e àqueles que possuem interesse podem realizar inscrição diretamente na Praça do CEU.

Gestão Compartilhada

A gestão em Lages é compartilhada pelas secretarias de Assistência Social e Habitação, Secretaria Municipal da Educação, Fundação de Esportes e Fundação Cultural de Lages (FCL), em parceria com as Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa) e Coordenação de Segurança e Trânsito. A Fundação Cultural de Lages é responsável pelo Grupo Gestor interno da Praça do CEU.

Para mais informações sobre as atividades na Praça CEU, basta entrar em contato pelo telefone da Fundação Cultural no (49) 3224-7425 ou mesmo com o atendimento da Praça pelo número (49) 3224-7163.

Por Prefeitura de Lages

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Notícias de segurança

Published

on

Por

Colisão

Corpo de Bombeiros, Samu e Polícia Militar foram acionados para atender a uma colisão, na Avenida Presidente Vargas, em Lages, por volta das 23h30 de domingo (15). O acidente aconteceu quando um Celta atingiu a traseira de uma Kombi que comercializa cachorro quente, estacionada em frente a concessionária Via Serra.

Não foram divulgados os nomes dos envolvidos, tampouco seu estado de saúde após o ocorrido. De acordo com a PM, os ocupantes do carro foram conduzidos pelo Corpo de Bombeiros e Samu ao Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, e o veículo foi recolhido ao pátio.

 

Princípio de incêndio

Também no domingo (15), por volta das 22h35, o Corpo de Bombeiros foi chamado para atender a um princípio de incêndio em vegetação, ocorrido na Rua João Lemos Machado, no Bairro Morro Grande, em Lages. O fogo atingiu cerca de 60 metros quadrados, mas foi facilmente controlado. Não houve vítimas.

 

Briga

No início da tarde de domingo (15) o Corpo de Bombeiros de Lages foi acionado para atender a dois homens que se envolveram em uma briga, na Avenida João Goulart, Bairro Tributo, em Lages. Após um desentendimento, M.S. e A.L. se agrediram usando pedaços de madeira e uma foice.

M.S. tinha ferimentos na parte da frente da cabeça e estava desorientado. A.L. tinha ferimentos na parte de trás da cabeça, mas estava lúcido. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, ambos tinham sinais de embriaguez e foram levados para a emergência do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres.

 

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Mais um atropelamento na BR-282, em Lages

Published

on

Por

Um adolescente, menor de idade, foi atropelado enquanto andava de bicicleta pelo acostamento da BR-282, nas proximidades do Motel Villages, em Lages. O acidente aconteceu por volta das 19h30 de domingo (15), no KM 214.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Lages, o acidente aconteceu quando M.A.S.O., 65 anos, saiu da pista e atingiu a traseira da bicicleta. O homem dirigia uma Triton L200, com placas de Lages e, segundo a PRF, tinha indícios de embriaguez, porém se recusou a fazer o teste do bafômetro.

O Corpo de Bombeiros atendeu à vítima, que foi encaminhada para o Hospital Infantil Seara do Bem, em Lages, com ferimentos no rosto e suspeita de fratura no fêmur direito.

 

Colisão na Avenida das Torres

Ainda no domingo a PRF registrou outro acidente provocado por embriaguez, também na BR-282, nas proximidades do Lages Garden Shopping.

Um Kadett com placas de Lages  trafegava pela marginal da rodovia em velocidade acima da permitida, quando perdeu o controle e invadiu o canteiro que divide a Avenida das Torres, batendo contra o poste do sistema de monitoramento da Polícia Militar.

De acordo com a PRF o condutor E.S.M., cuja idade não foi divulgada, foi submetido ao bafômetro, que constatou alto índice de ingestão de álcool. Ele foi conduzido para a Central de Polícia, para os procedimentos legais.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Instagram

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©