Conecte-se a nós

Notícias

Ponte de acesso ao Condomínio deve ficar pronta em até 60 dias

Published

em

Foi necessário contratar guindastes para içar as seis vigas - Foto: Bega Godóy

A conclusão da primeira etapa do conjunto de obras do Complexo Ponte Grande, em Lages, deve acontecer em até 90 dias. Os trabalhos foram retomados na primeira quinzena de março com serviços de saneamento básico e infraestrutura (pavimentação) da Rua Cirilo Ramos até a ponte que liga o Condomínio Gralha Azul. Os recursos estão definidos e em 60 dias a ponte ficará pronta.

“Os moradores poderão ter acesso às casas do condomínio”, explica o secretário municipal de Planejamento e Obras, Claiton Bortoluzzi. Segundo ele, o saneamento básico ao longo da avenida também tem contrato firmado.

Os trabalhos de infraestrutura, que se referem a adequação do projeto até a Avenida Castelo Branco, estão incluídos na próxima etapa contabilizando uma pavimentação de 1.600 metros.

Ontem à tarde o engenheiro da CCL (empresa contratada para a obra), Joel Momm, fiscalizava o içamento das vigas que serão usadas na ponte que dá acesso ao Condomínio Gralha Azul. Foram utilizados dois guindastes com capacidade para 30 toneladas, de uma empresa de Joinville, para içar as seis vigas que pesam 32 toneladas cada.

O projeto teve que ser alterado (mudado o traçado da Avenida Ponte Grande) e por essa razão, a ponte ficará um metro e meio mais alta em relação à antiga, que fica ao lado. Terá 12 metros de largura, duas pistas e 29 metros de comprimento.

“São vigas pré-moldadas feitas aqui mesmo. Esperamos que elas curassem (secagem) para trazer os guindastes e colocá-las na posição final e podermos fazer o tabuleiro da laje”, explica Momm. Outra empresa fará o aterro, que dará o acesso às cabeceiras da ponte, para que ela seja liberada.

A obra

O saneamento e a construção do acesso fazem parte do pacote de obras do Complexo Ponte Grande, que interligará 13 bairros de Lages, desde a Avenida 31 de Março, no Guarujá, até a Rua Cirilo Vieira Ramos, no Bairro Caça e Tiro. O investimento total previsto no Complexo era de R$ 57,2 milhões, com recursos do Governo Federal.

Além de melhorar o esgotamento sanitário da cidade, as obras têm como objetivo também minimizar os problemas de enchentes e criar uma nova alternativa de trânsito ligando as regiões leste e central da cidade.

Condomínio

As casas foram projetadas para abrigar 200 famílias que moravam em área irregulares e foram remanejadas para o aluguel social no início dos serviços do Complexo Ponte Grande. A obra que iniciou em maio de 2014, pelo cronograma, deveria ter sido entregue em 18 meses. Os recursos, cerca de R$ 12 milhões, vieram do Fundo de Arrendamento Residencial, do Ministério das Cidades.

Cada casa possui 44 metros quadrados, com dois quartos, sala e cozinha conjugadas e banheiro adaptado. As residências são geminadas, com área de terreno de 240 metros quadrados cada, com a possibilidade de ampliação do imóvel, construção de garagem e jardim. As casas também possuirão sistema de aquecimento solar para chuveiro e torneiras.

Anúncio
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio
Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: