Conecte-se a nós

Notícias

Polícia Civil de Lages cumpre mandados de busca e apreensão contra pedofilia

Published

em

Santa Catarina foi o Estado que mais prendeu suspeito pedófilos - Foto: Divulgação

Denominada Operação Luz na Infância 2, a ação nacional ocorreu nesta quinta-feira (17) em parceria com as Polícias Civis do Distrito Federal e de 24 estados. Mais de 2,6 mil policiais civis cumpriram 578 mandados de busca e apreensão de arquivos com conteúdos relacionados a crimes de exploração sexual contra crianças e adolescentes. Suspeitos foram detidos. Em Santa Catarina, o Estado que mais prendeu pedófilos, tirou 12 pessoas de circulação.

Em Lages, segundo o Delegado da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Depcami), Rochel Amaral das Silva, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em dois bairros, mas nenhum suspeito foi preso. No local, a equipe apreendeu  aparelhos de telefones celulares e mídias móveis (pen drive). “Os objetos serão encaminhados para a análise do Instituto Geral de Perícia (IGP), que deve apurar se há indício de material relacionado a pedofilia “, explica o Delegado.

Sobre a ação no Estado, um dos apreendidos foi um jovem de 17 anos que tinha em sua posse imagens de crianças. Além de Lages, em cidades como Garuva, São Bento do Sul, Jaraguá do Sul, Brusque, Blumenau, Balneário Camboriú, Camboriú , Itajaí, Tijucas, Florianópolis, São José, Palhoça, Jaguaruna e Criciúma foram cumpridos outros 35 mandados e apreendidos notebooks, HDs e celulares.

De acordo com o Titular da Divisão de Repressão a Crimes, o Delegado Luiz Felipe Rosado há quatro meses estava trabalhando na identificação de suspeitos e levantando indícios para embasar os pedidos de busca e apreensão nas residências, junto ao Poder Judiciário.

Em Santa Catarina

A operação foi coordenada pela DEIC/DRCI – Divisão de Repressão a Crimes na Internet. Participaram das ações 183 agentes de segurança, sendo 140 policiais civis e 43 peritos do IGP. De acordo com o diretor da DEIC, Delegado Anselmo Cruz, as pessoas presas tinham em sua posse imagens (fotos, vídeos, animações) com conteúdo identificado como pornografia infanto-juvenil, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Anúncio
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: