Pessoas que se doam e ajudam quem precisa – CL+
Conecte-se a nós

Notícias

Pessoas que se doam e ajudam quem precisa

Published

on

Rosele carrega no coração o amor pela filha e o transforma em força para ajudar dezenas de outras crianças - Foto: Andressa Ramos

É no Natal que as pessoas encontram formas de ajudar crianças, adultos e idosos para transformar, ao menos, um dia do ano. É a hora que voluntários pensam em como podem fazer para melhorar a data na vida das famílias.

O Correio Lageano reuniu algumas histórias, entre tantas de Lages, de homens e mulheres que se dedicam nesta época do ano para arrecadar donativos, ou até tirar do próprio bolso, para um dia mais feliz no fim de ano.

Para alguns, o Natal é recompensador, sinônimo de encontrar forças para seguir. Exemplo disso é Roselene de
Fátima Paes Beckert, de 41 anos. sua filha Helena faleceu na noite de Natal em 2014 dentro do Hospital infantil seara
do Bem, em Lages.

Vítima de uma infecção generalizada. A menina nasceu com uma síndrome rara chamada Chiari Tipo 2. depois da morte, a mãe ficou arrasada, e pensou que nunca mais conseguiria celebrar o Natal como sendo algo especial.

Porém, seu marido Anderson Beckert, de 44 anos, deu incentivo para que a família fizesse uma festa para crianças carentes dos bairros.

E assim fizerem, em 2015, mesmo com um salário pequeno, se organizaram, e reuniram de 20 a 30 crianças na pequena garagem de casa no Bairro Ferrovia.

Foi nos olhares e sorrisos das crianças que seu coração recebeu a calma que tanto esperava. “Eu sei que ela está bem e eu sinto a presença dela aqui”, comenta a mãe sobre Helena.

Roselene oferece cachorro-quente e refrigerante à vontade às crianças, além de distribuir cestinhas de doces. A casa
é pequena, mas cheia de amor.

Roselene sente-se feliz e contente por poder contribuir para um Natal de alegrias. Ela comenta que quem quiser ajudar para o próximo ano, as portas estão abertas. “Posso até fazer fotos das crianças e elas escreverem o que querem”.

Espírito Natalino

Há 10 anos, Luis Rogério Alencar, de 53 anos, resolveu fazer uma festa de Natal para as crianças do Bairro Várzea,
em Lages. Para isso, contou com a ajuda de amigos, vizinhos e familiares.

Começou com algumas cestas de doces e hoje, um bolo grande é cortado e distribuído aos moradores. Até um Papai Noel entra em cena. Ele ajuda em média 100 crianças do bairro.

Homenagem

Desde 2009, Ezequiel Amarante participa de ações beneficentes em Correia Pinto. Onze anos se passaram, e em 2014, ele conheceu Edemar Silva que, depois de fazerem uma celebração com sorrisos e abraços, Edemar despediu-se e saiu para uma viagem e férias, mas no meio do caminho sofreu um acidente e faleceu.

Amarante continuou o trabalho em homenagem ao amigo e hoje com a Associação de Moradores do Bairro São Pedro e Associação de Bombeiros Comunitários de Correia Pinto, e outros apoiadores, proporcionam não apenas o Natal, mas também, a Páscoa, Dia das Crianças e almoço em dias aleatórios.

“Acredito que quando fazemos o bem, o reconhecimento vem naturalmente e o melhor pagamento que podemos receber é o sorriso e a satisfação. Gosto sempre de deixar claro em todas as ações que nada fazemos sozinhos, sempre temos uma equipe enorme que deve ser reconhecida, pois a união é que faz a força”.

Solidariedade

Com a missão de amar o próximo, o projeto MAP ajuda pessoas dos Bairros Centenário e Morro Grande, em Lages, há cinco anos.

Alexsandro de Mattos Ferreira, 27 anos, mudou-se para a cidade e como sempre gostou de ajudar o próximo implementou o projeto nesta região.

Ele e mais 35 voluntários atendem mensalmente em média 400 pessoas, com trabalhos de artesanatos, cozinha comunitária e aulas de culinária para que os moradores aprendam a utilizar todos os alimentos da melhor maneira possível.

No Natal, como muitos não têm condições de preparar uma ceia farta, o projeto MAP oportunizou um jantar para 130 pessoas, entre crianças, adultos e idosos.

Além disso, fez a entrega de presentes para 120 crianças que foram apadrinhadas por meio de uma divulgação do Facebook.

Alexsandro não tem carteira assinada, sua profissão e missão, segundo ele, é viver para ajudar estas pessoas. “Para uma sociedade ser melhorada, acredito que devemos começar por aqueles que são menos favorecidos”.

Comentários

Notícias

Supremo concede prisão domiciliar a presas grávidas ou com filhos menores de 12 anos

Published

on

Por

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na terça-feira (20) conceder prisão domiciliar a todas as mulheres presas preventivamente que estão grávidas ou que sejam mães de crianças de até 12 anos. A medida vale somente para detentas que aguardam julgamento e não tenham cometido crimes com uso de violência ou grave ameaça, e também vai depender da análise da dependência da criança dos cuidados da mãe. Cerca de 4 mil mulheres devem ser beneficiadas.

A decisão foi tomada a partir de um habeas corpus protocolado por um grupo de advogados militantes na área de direitos humanos, com apoio da Defensoria Pública da União (DPU). A medida vale para presas que estão em uma lista do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e que foi remetida ao Supremo pela DPU.

De acordo com a decisão, os tribunais de Justiça do país serão notificados sobre a decisão e deverão cumprir a decisão em 30 dias. Os parâmetros também deverão ser observados nas audiências de custódia.

Ao votar pela concessão da prisão domiciliar, o relator do caso, ministro Ricardo Lewandowski, entendeu que concessão do habeas corpus coletivo se justifica diante da realidade degradante das mulheres nas prisões brasileiras, com detentas sem atendimento pré-natal e casos de presas que dão à luz algemadas.

Bebês encarcerados

Em seu voto, Lewandowski citou dados que mostram que somente 34% das prisões têm celas para gestantes, 30% possuem berçários e apenas 5% têm creche.  “Seguramente, mais de 2 mil pequenos brasileirinhos estão atrás das grades com suas mães, sofrendo indevidamente contra o que dispõe a Constituição”, argumentou o ministro.

O entendimento do relator foi seguido pelos ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Celso de Mello. O ministro Edson Fachin foi o único a votar contra a medida, por entender que a prisão domiciliar para lactantes deve ser analisada caso a caso.

Durante o julgamento, a DPU e entidades de defesa de direitos humanos pediram que fosse aplicada a todas as mulheres presas no país a regra prevista no Artigo 318 do Código de Processo Penal (CPP), que determina a substituição da prisão preventiva pela domiciliar para gestantes ou mulheres com filhos de até 12 anos incompletos.

Apesar de estar previsto no Código de Processo Penal, a Justiça entende que a concessão dos benefícios às gestantes não é automática e depende da análise individual da situação de cada detenta.

A Defensoria argumentou que o ambiente carcerário impede a proteção à criança que fica com a mãe no presídio. O órgão também destaca que algumas mulheres são mantidas algemadas até durante o parto. Além disso, segundo a DPU, na maioria dos casos, as mulheres são presas por tráfico de drogas e, após longo período no cárcere, acabam condenadas apenas a penas restritivas de direito.

Fonte: Agência Brasil

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Passageira de moto fica ferida em acidente

Published

on

Foto: Divulgação

Acidente deixou passageira de motocicleta ferida na Avenida Juscelino Kubitschek, no Acesso Norte de Lages, na noite de terça-feira (20). De acordo com o Corpo de Bombeiros, Sariana Mota Cruz, de 24 anos, que sofreu múltiplas fraturas, ela estava em uma moto com placas MDY 9073 de Lages, conduzida por Jackson Batista de Liz 35 anos. Ela foi socorrida pelas equipes do Samu e bombeiros e foi levada ao hospital. 

Além da moto se envolveram no acidente, um caminhão Volvo 360, com placas IMD-7807 de Urussanga, conduzido por Cláudio Pereira Cândido da Silva, de 27 anos, e uma Montana conduzida por Eduardo Andrade Schmidt, de 24 anos, os condutores não se feriram.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Correios atrasam entrega de mercadorias e surgem reclamações

Published

on

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil/ Divulgação

As entregas realizadas pelos Correios têm tido problemas com relação ao cumprimento de prazos, é o que afirmam os consumidores, que reclamam que as encomendas têm chegado com muito atraso e afirmam que o problema persiste desde o fim do ano passado.

Para não pagar as contas depois do prazo do vencimento, a dona de casa Leonilda Oliveira Gomes têm impresso os boletos através da internet. Faturas de cartão e telefone têm chegado na sua caixa de Correio quando está perto do vencimento das faturas do mês seguinte. “Já reclamei no 0800 dos Correios, mas nada mudou. E o pior é que às vezes tem que pagar juros das contas, porque elas não chegam no prazo de pagar”.

Os estabelecimentos também enfrentam problemas com a entrega. O vendedor de uma loja de acessórios de celulares, Luiz Gustavo dos Santos, afirma que o atraso maior aconteceu durante o fim do ano, próximo ao Natal. “As mercadorias que são importadas demoram ainda mais”.

Correios

Em nota, a assessoria de imprensa do órgão informa que está com problemas de transporte a partir de São Paulo, gerando alguns atrasos pontuais de encomendas, especificamente as econômicas (não-Sedex). “O período mais crítico já foi superado. A partir desta semana, a condição de transporte está se normalizando e devemos ter a melhoria dos prazos. A causa mais específica foi o descumprimento de contrato de fornecedor”, informa o documento.

O órgão afirma que o atraso foi mais sentido nas encomendas econômicas. “Mesmo assim, não baixamos de 60% de objetos entregues dentro do prazo em fevereiro. Nossa meta é voltar a 90% dos objetos econômicos dentro do prazo até 28 de fevereiro”.

Em relação ao Sedex, o órgão frisa que está normal, com mais de 94% dos objetos dentro do prazo. “Foram feitos, inclusive, plantões e horas-extras no tratamento da carga e na distribuição nos finais de semana de fevereiro”.

Os clientes que tiverem problemas específicos podem registrar sua demanda no telefone 0800-725-0100 ou no site www.correios.com.br

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Falta de visibilidade leva a cancelamento de voo em Lages

Published

on

Aeroporto de Lages - Foto: Divulgação

Cerca de 50 pessoas, que haviam comprado passagem para viajar a São Paulo na segunda-feira (19), não puderam embarcar em Lages. O voo da empresa Azul Linhas Aéreas foi cancelado por falta de teto. Esse argumento é usado quando nuvens ou neblina reduzem a visibilidade a ponto de atrapalhar a operação. O avião finalmente decolou às 10 horas desta terça-feira (20).

Inicialmente, os voos entre Lages e Campinas, em São Paulo, decolavam às 15h30. Agora foram transferidos para às 19h30. Esse é o primeiro voo que foi cancelado, ao menos que se tem notícia, mas a situação pode ficar crítica com a chegada do outono e do inverno. Nos meses mais frios do ano, serrações e tempo fechado são comuns na Serra Catarinense. O cancelamento pode se tornar uma prática e não a exceção.

Geralmente as pessoas utilizam o transporte aéreo porque têm compromissos com hora marcada. Um voo cancelado pode prejudicar o trabalho de anos, que empresários e lideranças fizeram para trazer o serviço para Lages. Quem sabe, agora, o horário dos voos seja revisto.

 

Comentários
Continue Lendo

Capa do Dia

Instagram

Facebook

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©