Conecte-se a nós

Negócios

Papagaios encantam turistas em Urupema

Published

em

Foto: Camila Paes

O canto do papagaio-charão e do peito-roxo era o som mais esperado, no sábado (21), no interior de Urupema, na Serra Catarinense. Pesquisadores, fotógrafos ou apenas turistas, reservaram a tarde para encontrar um canto em uma das cidades mais frias do País e esperar, por cerca de 40 minutos, a passagem dos bandos de pássaros que costumam migrar para a Santa Catarina nesta época do ano, em busca do pinhão.

A cada momento em que um dos papagaios era avistado no céu, lentes de câmeras fotográficas ou binóculos apontavam diretamente em direção ao ponto onde havia sido avistado o pássaro, protagonista da 7ª edição do Festival do Papagaio-charão e do 5º Festival do Papagaio de-peito-roxo, que aconteceu no município neste final de semana e reuniu cerca de 400 pessoas no Clube 3 de Maio.

Os gaúchos Astor José Gabriel e Irene Gabriel, já conheciam o festival, mas chegaram a Urupema pela primeira vez este ano. Eles revelam que, por mais que a passagem seja rápida, valeu a pena, pois puderam fotografar aves, um hobby que mantém há algum tempo e acompanhar palestras sobre o assunto.

Não são apenas as saídas de campo que atraem os turistas. As palestras durante o evento também reúnem interessados a conhecerem ainda mais sobre os animais. O secretário da Secretaria da Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, José Pedro de Oliveira Costa, também participou do evento, onde apresentou uma portaria que institui a “Semana de Estudos para a Proteção dos Papagaios e demais Psitacídeos Brasileiros” durante o mês de abril. Ele revela que a data foi escolhida como uma homenagem ao evento que acontece em Urupema, pois é considerado único no País, pela sua organização, relação com a sociedade e incremento da economia local.

José ressalta que o festival é uma das melhores formas de contribuir para a preservação das aves, já que envolve a comunidade e incentiva a participação das pessoas, destacando a importância do animal para a economia local e para o turismo. Exemplo disso é que, no salão onde aconteceu o festival, haviam lojas comercializando materiais referentes ao papagaio e incentivando a sua preservação e crianças brincando com imagens da ave. Hotéis da cidade e também de Lages, estavam lotados devido a presença dos turistas das mais diversas partes do Brasil.

Importância para preservar as espécies

A diretora técnica do Espaço Silvestre, uma Organização Não Governamental (ONG) que prevê a reintrodução do papagaio de peito roxo, Vanessa Tavares Kanaan, revela que o festival é essencial para essas aves continuem migrando para a região e que a população entenda a sua importância e a necessidade de preservação também do ecossistema, como por exemplo, das araucárias, que são fonte de alimento para as aves e principal razão para a estadia na Serra Catarinense.

“Se na região onde trabalho tivesse um evento como esse, não seria necessário estar reintroduzindo o papagaio de peito-roxo na natureza”, acrescenta. O evento já se tornou o maior do Sul do País, pois a atividade cresceu muito nos últimos 10 anos em Santa Catarina. No Brasil, há Clubes de Observadores de Aves (COA) e aqui no Estado são três: Joinville, Florianópolis e Blumenau e há disputas entre os apaixonados pelo hobby.

Tem até ranking, com registros de maior número de espécies catalogadas por pessoas. Nas duas últimas edições, as mulheres ocuparam o topo. A atual líder é a paulista Silvia Linhares, que catalogou mais de 1.440 espécies de aves.

 

Anúncio
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio
Anúncio

Cinema

Facebook

Anúncio
%d blogueiros gostam disto: