Serviços da Polícia Civil divididos em duas delegacias – CL+
Conecte-se a nós

Notícias

Serviços da Polícia Civil divididos em duas delegacias

Published

on

Colombo ao lado da delegada Regional Luciana Rodermel e o secretário de Segurança, César Grubba - Foto: Camila Paes

Quem precisa utilizar serviços da Ciretran, emissão de alvarás, liberar veículos apreendidos e tratar de questões administrativas ligadas à Polícia Civil na região de Lages, passará a utilizar o novo endereço da Delegacia Regional, que foi inaugurada ontem, na Avenida Belisário Ramos, no Centro.

O espaço, que é considerado o maior de Santa Catarina, abriu as portas na manhã de terça-feira (19), após seis anos de obras. O Governo do Estado investiu R$ 3,5 milhões na construção do novo prédio e o projeto fez parte do programa Pacto por Santa Catarina. 16 municípios serão atendidos pelos serviços da 8ª Delegacia Regional de Polícia do Estado e o Ciretran, órgão ligado ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran), que também passará a funcionar no local, e atende um volume aproximado de 100 mil veículos.

A antiga estrutura, na Rua Lauro Müller, também no Centro de Lages, ainda abrigará os serviços da Central de Polícia, a 1ª Delegacia de Polícia e a Delegacia da Mulher. Ou seja, a confecção de Boletins de Ocorrência permanecerá no prédio, que foi construído na década de 1930.

Segurança Pública_ O governador Raimundo Colombo esteve em Lages para a inauguração do prédio e destacou que o combate à violência é um desafio diário para o Estado. “Mesmo que Santa Catarina seja o Estado menos inseguro do País, não podemos nos acomodar, o desafio é cada vez maior”, ressaltou. Colombo ainda afirmou que é por isso que deve-se investir em Segurança Pública, para que a sociedade sinta-se cada vez mais segura e livre.

O governador também frisou que, além da infraestrutura, é importante a contratação de novos policiais que complementem a segurança. No último ano, 73 novos policiais foram encaminhados à Serra Catarinense. 48 eram militares e 25 civis. Destes, 20 PMs e 15 PCs) ficaram lotados na cidade de Lages.

A delegada regional de Lages, Luciana Rodermel, agradeceu os investimentos do Governo do Estado na estrutura e ressaltou que o trabalho e competências da equipe lageana contribuíram para que a nova estrutura se tornasse realidade. Ela ainda destacou que Lages tem um excelente índice de resolutividade, que chega a 100%.

50 novas câmeras – Também no evento, a Prefeitura de Lages e o Governo do Estado assinaram parceria para ampliar o serviço de videomonitoramento na cidade. 50 novas câmeras de vigilância deverão ser instaladas no próximo ano em diversos pontos. Junto com as 37 câmeras já existentes, somarão 87 câmeras auxiliando no trabalho dos policiais na cidade.

Com a parceria, o Governo do Estado ficou responsável pela aquisição dos equipamentos e a manutenção e garantia pelo período de um ano. Já a Prefeitura deve organizar a disponibilização de energia elétrica para o uso dos produtos e a manutenção após o período de um ano. A Polícia Militar já realizou um levantamento de quais pontos receberão os novos equipamentos, que segundo o Tenente-Coronel Fernando, estão espalhados por diversos bairros da cidade. Entretanto, no começo do próximo ano, iniciarão a instalação da fibra ótica, que fornecerá energia para os equipamentos e conforme a disponibilidade técnica, poderão sofrer alterações no posicionamento.

Contrato assinado – O contrato de administração, manutenção e de consultoria do aeroporto regional do Planalto Serrano, em Correia Pinto, com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), também foi assinado pelo governador Raimundo Colombo e o prefeito de Correia Pinto, Celso Rogério Ribeiro, durante o evento.

Colombo frisou que a última etapa para que o aeroporto passe a funcionar foi vencida, faltando apenas a homologação do documento pela Infraero, o que deve acontecer nos próximos meses.
Ribeiro acredita que no começo de janeiro, a empresa já receberá as chaves da estrutura. Ele ressalta que a infraestrutura está completa e que só será preciso trabalhar na questão documental, como as autorizações de voos com transporte de passageiros e cargas.

Ele explica que a equipe da Infraero esteve visitando a região e constatou que, com os passageiros vindos do Meio Oeste, Alto Vale do Itajaí, Vacaria e Serra Catarinense, haverá procura o suficiente para o funcionamento do aeroporto.

Comentários
clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Carreta tomba em cima de carro na BR-470 em Pouso Redondo

Published

on

Por

O acidente ocorreu no local conhecido como Serra da Santa - Foto: Potal Educadora/Divulgação

Pelo menos três pessoas morreram, após um grave acidente de trânsito na BR-470, na Serra da Santinha, em Pouso Redondo, na tarde desta terça-feira (23).  De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o condutor de uma carreta contêiner, tentou desviar de um caminhão e tombou em cima de um carro com placas de Argentina.

Conforme as primeiras informações, o motorista e um passageiro teriam morrido no local. De acordo com a Educadora AM, posteriormente, os bombeiros confirmaram a terceira vítima fatal. Apesar da gravidade, uma mulher e uma criança, sobreviveram. Elas foram socorridas pela equipe do Corpo de Bombeiros. A identidade das vítimas não foi divulgada. Ao todo cinco veículos se envolveram no acidente. O motorista da carreta e de uma Fiat Strada, também se feriram.

 

Fonte: Portal Educadora 

 

 

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Manifestação contra Lula é tímida

Published

on

O ato foi em frente à Justiça Federal - Foto: Adecir Morais

Integrantes do movimento Vem pra Rua reuniram-se, na tarde desta terça-feira (23), em frente à Justiça Federal, em Lages, para protestar contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o que chamaram de “ato em defesa da Justiça”. O protesto reuniu cerca de 50 pessoas. Lula será julgado nesta quarta-feira em Segunda Instância, pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. A manifestação contra o ex-presidente ocorreu em diversos municípios brasileiros.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Mais de 2 mil residências ainda estão sem luz na Serra Catarinense

Published

on

Fotos: Divulgação

A Celesc informa que 2.590 residências seguem sem energia elétrica na Serra Catarinense, por conta do temporal que atingiu a região na tarde de ontem. Equipes da estatal trabalham para resolver os problemas.

No município de Palmeira, o vento derrubou uma torre da Eletrosul, que caiu em cima da rede elétrica, provocando a queda de energia em 1.300 residências na região, inclusive em Otacílio Costa. Equipes da Celesc e da Eletrosul trabalham no local. “Se tudo der certo, até o final desta terça-feira vamos conseguir resolver o problema”, informa o gerente Regional da Celesc, José Afonso Marin.

O temporal também provocou queda de energia em outros municípios da Serra. Moradora na localidade de Potreiros, no interior de Lages, Aida Machado Albano conta que está sem luz desde às 15h30 de ontem.

“Já liguei para o 0800 da Celesc, fiz a reclamação, mas até agora nada. A geladeira está descongelando e o alimento que tem dentro dela já está estragando. Toda esta região está sem luz” declarou ela ao CL, no início desta tarde.

Afonso informa que 100 %equipes da Celesc estão empenhadas para restabelecer o fornecimento da energia nas casas. “Estamos trabalhando conforme a prioridade”, disse, sem dar previsão de quando será resolvido o problema de dona Aida.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Mesmo sem ala psiquiátrica, Lages não deixa de oferecer tratamento

Published

on

Foto: Camila Paes

Com o fechamento da ala psiquiátrica do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres em Lages, há mais de um ano, os pacientes que precisam de internamento aguardam leitos em Santa Cecília ou Florianópolis, cidades que oferecem os tratamentos.

A secretária de Saúde de Lages, Odila Waldrich, explica que a falta de leitos é um problema para diversas cidades do Estado, já que há poucas vagas disponíveis.

De acordo com Odila, cerca de 15 a 20 lageanos aguardam leitos para psiquiatria. Entretanto, ela explica que essas pessoas estão em casa e não há urgência nos casos. “Esses pacientes não estão em surto e nós consideramos esses internamentos como eletivos”, explica a secretária.

Ela ressalta, também, que participa de reuniões com outros secretários de saúde do Estado, nas quais procuram soluções para o problema, que é geral. A ideia é que mais um hospital se torne habilitado para atender esses pacientes. “O hospital de São Joaquim se mostrou interessado em passar a oferecer a especialidade”, explica Odila.

Usuários de drogas também eram internados na ala São Luiz, no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres. Agora, os atendimentos são centralizados nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Em Lages há dois, um para pacientes em geral e outro para crianças e adolescentes.

No caso de pacientes que apresentam sinais de surto, como alterações repentinas de comportamento, alucinações, delírios e reações desproporcionais à realidade, os internamentos acontecem no Pronto Atendimento Tito Bianchini e após o surto, há um leito no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, para a fase aguda, quando o paciente não apresenta mais sinais de surto, mas pode sofrer uma recaída.

Caso o paciente seja menor de idade, o tratamento ocorre no Hospital Infantil Seara do Bem. Odila ressalta que o internamento é o último recurso e só acontece em casos de urgência.

Após o tratamento prévio, grande parte dos pacientes recebe alta. Caso não tenham para onde ir, o município mantém um Residencial Terapêutico no Bairro Guarujá, onde são acompanhados por profissionais especializados. Atualmente, seis pessoas moram no residencial.

O espaço que antes abrigava a ala São Luiz, já está praticamente demolido. O prédio que possuía 23 leitos, para homens e mulheres, será desmontado e no local serão abrigadas novas melhorias para o Hospital Nossa Senhora dos Prazeres. O gestor da instituição, Fábio Lage, explica que foi decidido pelo fechamento da ala porque não havia recursos para manter o espaço.

Ele ressalta que a estrutura estava inadequada, não havia como adaptá-la e oferecia riscos a pacientes e funcionários. Para o espaço, Fábio esclarece que há projetos para aumentar o hospital e melhorar a infraestrutura e que, agora, aguardam recursos para que essas obras possam ser realizadas.

 

Comentários
Continue Lendo

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©