Licitação para revitalizar o Centro ocorre em breve – CL+
Conecte-se a nós

Notícias

Licitação para revitalizar o Centro ocorre em breve

Published

on

R$ 20 milhões será o custo da obra de revitalização - Foto: Andressa Ramos

Faltam poucos detalhes para o término da demolição do prédio do antigo Colégio Aristiliano Ramos, na Praça João Costa, em Lages. A estrutura principal já foi completamente demolida e apenas a parte do ginásio ainda está de pé.

O material do ginásio será reutilizado para a construção de uma quadra poliesportiva, próxima ao ginásio Jones Minosso, no Bairro Universitário.

De acordo com o diretor de urbanismo e planejamento da Secretaria de Planejamento e Obras de Lages, Roberto Provenzano, a desmontagem da estrutura está programada e deverá ser concluída até o final deste mês.

Assim como a demolição do colégio, a desmontagem pode apresentar complicações maiores que o esperado e, por isso, não há como definir um tempo específico para o serviço.

A demolição do prédio era o passo que faltava para dar início à obra de revitalização do Centro de Lages, que irá reformar completamente a Praça João Costa e as ruas Nereu Ramos e Coronel Córdova.

O projeto foi elaborado pela Secretaria de Planejamento e Obras com um aporte da empresa espanhola IDP. Em julho do ano passado foram aprovadas as alterações no projeto original, como a criação de mais vagas de estacionamentos.

A obra custará R$ 20 milhões e, de acordo com o secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional, João Alberto Duarte, os recursos serão encaminhados via Fundo Social, programa do Governo do Estado.

Ele acrescenta que, nos próximos dias, a Prefeitura deverá lançar a licitação que contratará a empresa que executará a obra. Apenas após o lançamento do edital, a obra deve ser iniciada durante o período de 45 dias. A previsão é que revitalização seja feita em 1,5 ano.

A revitalização

Em novembro de 2013, a Prefeitura apresentou pela primeira vez o projeto de revitalização. Ele foi desenvolvido pela prefeitura, através da Secretaria de Planejamento, em parceria com o governo do Estado, CDL, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Associação Empresarial de Lages (Acil) e demais envolvidos.

Foi amplamente discutido pela população, através de segmentos da sociedade civil organizada.

Entretanto, para que a obra pudesse ser oficialmente iniciada, era preciso antes definir o destino do antigo Colégio Aristiliano Ramos, que, na época, estava interditado havia dois anos. O Governo do Estado, declarando o alto custo da reforma do prédio, decidiu pela demolição da estrutura.

Entretanto, o Ministério Público entrou com ação civil pública para manter em pé a edificação. Em outubro do ano passado, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina autorizou a demolição do prédio. A Prefeitura contratou uma empresa em caráter de emergência para realizar o serviço, que iniciou no dia 8 de dezembro.

Comentários
clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Cinco pessoas são presas em Bom Retiro

Published

on

Foto: Divulgação

Cinco pessoas foram presas em Bom Retiro depois de um assalto a uma empresa na cidade. Uma das pessoas estava com mandado de prisão ativo. O helicóptero Águia da Polícia Militar foi acionado para apoiar na operação.

Depois de renderem um vigilante, a quadrilha arrombou o cofre da empresa, levando uma quantia em dinheiro e um revólver. Policiais Militares do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), Canil e Cavalaria de Lages e a Polícia Civil, localizaram dois veículos com registro de furto e utilizados na ação criminosa, incendiados. Após buscas, os policiais localizaram e prenderam as pessoas.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Chuva ainda não deve dar trégua durante a semana

Published

on

Por

Foto: Vinicius Prado

O tempo chuvoso até parecia que daria uma trégua, mas já no domingo (21) novas pancadas de chuvas voltaram a cair em todo o Estado, registrando uma média de 50 milímetros durante todo o dia e o início desta segunda-feira.

O sábado de sol empolgou as pessoas a saírem de casa. No Centro, lageanos aproveitaram o clima quente para irem as compras e também passear. Um dia que registrou máxima de 25°C. O calor não propiciou chuvas, que chegaram somente no domingo à tarde, de forma isolada.

Em toda Santa Catarina, tem chovido incessantemente, desde o início do ano. As chuvas já causaram estragos em diversos municípios, principalmente no litoral. Em Lages, a precipitação é irregular, com pancadas isoladas a partir da tarde, que se estendem até o início da noite.

Para esta semana não deve ser diferente. De acordo com a Estação Meteorológica Climaterra, uma instabilidade associada a baixa pressão, entre o Rio Grande do Sul e Uruguai, passa por SC durante a tarde e à noite.

Além do ar quente, o céu alterna entre nublado e intervalos de sol com algumas nuvens em vários pontos, principalmente pela manhã. A chuva com trovoada isolada começam no decorrer da tarde e se estendem até a noite.

Enquanto isso, o lageano vai se acostumando e não deixa de aproveitar o tempo de descanso, mesmo com o dia fechado. No Parque Jonas Ramos, o Tanque, foi um fim de semana com grande movimento, apesar da chuva.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Acúmulo de água parada em vasos nos cemitérios provoca alerta

Published

on

Por

Água parada encontrada em vasos, velários e outros objetos - Fotos: Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente/ Divulgação

É alto a quantidade de água parada constatada nos cemitérios municipais de Lages. Em visita ao Cruz das Almas e ao Nossa Senhora da Penha, a Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente encontrou muitos vasos de flores naturais e plásticas e velários com depósito de água.

O atual período de chuvas e calor excessivo formam um composto ideal propício para a criação de lavas e proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, Chikungunya, Zika Vírus e febre amarela.

A administração do cemitério está eliminando os objetos que podem acumular água dentro do possível diante da grande quantidade de recipientes distribuídos entre os túmulos. “Porém, é de suma importância que a comunidade participe e nos auxilie, principalmente familiares de entes sepultados nos dois cemitérios urbanos e fora da cidade, como é o caso de Índios. É um assunto muito sério. Uma picada deste inseto pode levar a problemas complicados. É uma questão de saúde pública e todos devem se comprometer com a verificação e retirada”, recomenda o secretário de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Euclides Mecabô.

Para evitar água parada, os vasos podem ser preenchidos com terra ou areia, ou simplesmente virados de ponta-cabeça. Se não estiverem sendo utilizados devem ser descartados nas lixeiras.

Outros tipos de resíduos, como pacotes de velas vazios, caixas de fósforos e sacolas, são encontrados dentro dos cemitérios e devem ser jogados nos recipientes corretos destinados ao lixo.
Profissionais da Secretaria de Serviços Públicos realizam vistorias permanentes com a finalidade de combater eventuais criadouros do mosquito.

Agentes do Programa de Controle do Aedes aegypti, vinculados à Vigilância Epidemiológica, da Secretaria da Saúde, efetuam inspeções em armadilhas e em pontos estratégicos com grande quantidade de depósito de acúmulo de água parada pela cidade, como ferros-velhos, borracharias, cemitérios e floriculturas.

Visitas domiciliares são realizadas quando há denúncias a partir de demanda espontânea da população.

Perigo

Em média, a fêmea do mosquito põe cerca de 100 ovos durante toda sua vida, que dura 30 dias. O inseto não faz a postura em uma única vez, mas de forma espaçada em diferentes pontos para garantir a sobrevivência da espécie, dificultando seu controle.

Dicas que salvam vidas

Com o verão, a instrução à população é reforçada para que sejam eliminadas chances de acúmulo de água parada, a exemplo do lixo jogado no quintal que possa servir de criadouro ao receber chuva.

É importante fazer tratamento correto das piscinas com utilização de cloro, verificar cômodos com ralo (se não estiver sendo usado deve ser fechado) e preencher vasos de plantas com areia.

Atenção aos sintomas das doenças

Normalmente, os sinais que podem indicar dengue, febre amarela, Chikungunya e Zika Vírus são febre e dor de cabeça, nas articulações e no fundo dos olhos. No caso da Chikungunya, a dor é mais intensa nas articulações.

E no Zika é como se estivesse com a forma branda da dengue, sem febre alta, e tem duração menor dos sintomas.

No caso da febre amarela, as primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias.

A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

Tratamento de combate à dengue

Não há nenhuma droga antiviral específica para a dengue, portanto manter o equilíbrio hídrico (hidratação) adequado é importante para o paciente diagnosticado.

O tratamento depende dos sintomas apresentados, variando desde terapia de reidratação oral em casa com acompanhamento, até a internação com a administração de fluidos intravenosos e/ou transfusão de sangue. A decisão de internação hospitalar geralmente é baseada na presença dos “sinais de alerta”, especialmente em pessoas com condições de saúde preexistentes.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Veículos são incendiados em Bom Retiro

Published

on

A Polícia Militar (PM) atendeu uma ocorrência em Bom Retiro, na tarde deste domingo. As informações extraoficiais são de que no bairro São José houve tiroteio e dois veículos incendiados.

Na ação, veículo é incendiado – Foto: Redes sociais/Divulgação

A PM em Lages informou que não pode repassar mais informações, porque a ocorrência ainda está em andamento.

Comentários
Continue Lendo

Capa do Dia

Instagram

Facebook

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©