Irmãos querem fazer compras no mercado – CL+
Conecte-se a nós

Notícias

Irmãos querem fazer compras no mercado

Published

on

Por volta das 9h da manhã de sábado, a família Tavares Souza estava dormindo. Na noite anterior, Eduarda (7), Eduardo (4), e Leandra (1), esperaram o pai chegar do trabalho, a 1 hora da manhã para conseguir pegar no sono. Mas quando a mãe, Patrícia Tavares da Rosa (23), avisou que eles teriam que acordar para falar sobre a carta escrita para o Papai Noel, Eduarda espantou a preguiça e avisou: “Tô acordada, tô acordada”.

Cada criança enviou uma carta para a Árvore dos Desejos da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Lages. Patrícia ajudou os filhos a escreverem e a decidirem quais seriam os presentes. “Este ano decidimos pedir algo para todos nós, porque brinquedos eles têm e roupa, graças a Deus, a gente ganha”, revela a mãe.
Eduarda pediu um tênis com rodinhas e luzes, número 32, e uma muda de roupa do desenho animado Frozen. A menina explica que escolheu o tênis porque o que tem não serve mais. Mas deixou bem claro que até mesmo um cesta de Natal lhe fará feliz.

Eduardo escreveu em sua cartinha que um dos seus maiores desejos é um vale-compras para ir ao supermercado comprar o que tem vontade de comer. A mãe Patrícia explica que, mensalmente, a família pode gastar R$ 200 com alimentação e isso não é suficiente para comprar as coisas que as crianças gostam de comer. “A cada mês eu levo um comigo ao supermercado, porque se eu levar todos, eles me pedem muita coisa que eu não tenho como comprar”, explica.

Para Leandra, que no próximo mês completa 2 anos, a mãe pediu uma caixa de leite sem lactose, já que devido à intolerância, esse é um alimento essencial para a menina. Entretanto, a caixa custa cerca de R$ 40 e, além de ser cara para o orçamento da família, não dura o mês inteiro, já que ela mama bastante.

Com os R$ 200, Patrícia compra o essencial, em sacos de 5 quilos cada item. Quando sobra algum dinheiro, consegue agradar os filhos e compra bolachas, iogurte ou qualquer outro alimento que as crianças tenham vontade de comer. Quando a comida não dá para todo o mês, o pai de Patrícia faz compras para a filha e os netos. Há quatro meses o marido conseguiu um emprego e isso melhorou a condição da família.

Moradores do Bairro Santa Mônica, a casa onde vivem é emprestada pela sogra. Nos dois cômodos onde as cinco pessoas residem, não há banheiro. Quando precisam, pedem auxílio aos vizinhos.

Leandra (C), Eduarda e Eduardo escreveram desejos de Natal.

Família escreve todo ano

A renda familiar é pequena, já que apenas o marido pode trabalhar. Quando tinha 15 anos, Patrícia foi diagnosticada com câncer no pulmão. Logo após a filha mais velha nascer, ela começou a apresentar os sintomas, mas a demora por um diagnóstico fez com que a doença se tornasse mais forte. “Passei por vários médicos e o último que me atendeu falou que eu tinha três meses de vida”, relembra.

Na época, já tinha dois filhos e a preocupação era em não deixar as crianças sozinhas. Foi o marido quem tomou conta de tudo e, durante o tratamento, não pôde trabalhar para ficar com as crianças e auxiliar a mulher. Além de tudo isso, durante um procedimento, um tubo foi esquecido no pulmão de Patrícia e isso impede que ela trabalhe, pois tem faltas de ar frequentes. Uma perícia médica revelou que não há mais como o objeto ser retirado.

Tradição_ Escrever as cartinhas é tradição na família. Neste ano, Eduardo e Eduarda viram na televisão que já estavam aceitando as cartas e pediram para a mãe ajudá-los a prepará-la. Como gosta muito de desenhar, Eduarda enfeitou a sua carta para agradar ao Papai Noel. Os presentes dos outros anos estão guardados com carinho e as crianças ressaltam que, todos os anos, os pedidos são atendidos, mesmo que demore um pouco.

Doações_ Quem tiver a vontade de presentear Eduarda, Eduardo e Leandra, pode entregar os presentes na CDL, que fica na rua Coronel Córdova, no Centro da cidade, até o dia 19 de dezembro, ou, se preferir entregar pessoalmente, basta ligar para a CDL (3221-7007) e pedir o endereço da família.

O Correio Lageano publicará até o dia 20 de dezembro, histórias de pessoas, crianças, jovens ou adultos, que confiam na árvore para contar seus desejos, sonhos e planos, que podem ser realizados, ao menos nesta época do ano.

Comentários
clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Carreta tomba em cima de carro na BR-470 em Pouso Redondo

Published

on

Por

O acidente ocorreu no local conhecido como Serra da Santa - Foto: Potal Educadora/Divulgação

Pelo menos três pessoas morreram, após um grave acidente de trânsito na BR-470, na Serra da Santinha, em Pouso Redondo, na tarde desta terça-feira (23).  De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o condutor de uma carreta contêiner, tentou desviar de um caminhão e tombou em cima de um carro com placas de Argentina.

Conforme as primeiras informações, o motorista e um passageiro teriam morrido no local. De acordo com a Educadora AM, posteriormente, os bombeiros confirmaram a terceira vítima fatal. Apesar da gravidade, uma mulher e uma criança, sobreviveram. Elas foram socorridas pela equipe do Corpo de Bombeiros. A identidade das vítimas não foi divulgada. Ao todo cinco veículos se envolveram no acidente. O motorista da carreta e de uma Fiat Strada, também se feriram.

 

Fonte: Portal Educadora 

 

 

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Manifestação contra Lula é tímida

Published

on

O ato foi em frente à Justiça Federal - Foto: Adecir Morais

Integrantes do movimento Vem pra Rua reuniram-se, na tarde desta terça-feira (23), em frente à Justiça Federal, em Lages, para protestar contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o que chamaram de “ato em defesa da Justiça”. O protesto reuniu cerca de 50 pessoas. Lula será julgado nesta quarta-feira em Segunda Instância, pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. A manifestação contra o ex-presidente ocorreu em diversos municípios brasileiros.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Mais de 2 mil residências ainda estão sem luz na Serra Catarinense

Published

on

Fotos: Divulgação

A Celesc informa que 2.590 residências seguem sem energia elétrica na Serra Catarinense, por conta do temporal que atingiu a região na tarde de ontem. Equipes da estatal trabalham para resolver os problemas.

No município de Palmeira, o vento derrubou uma torre da Eletrosul, que caiu em cima da rede elétrica, provocando a queda de energia em 1.300 residências na região, inclusive em Otacílio Costa. Equipes da Celesc e da Eletrosul trabalham no local. “Se tudo der certo, até o final desta terça-feira vamos conseguir resolver o problema”, informa o gerente Regional da Celesc, José Afonso Marin.

O temporal também provocou queda de energia em outros municípios da Serra. Moradora na localidade de Potreiros, no interior de Lages, Aida Machado Albano conta que está sem luz desde às 15h30 de ontem.

“Já liguei para o 0800 da Celesc, fiz a reclamação, mas até agora nada. A geladeira está descongelando e o alimento que tem dentro dela já está estragando. Toda esta região está sem luz” declarou ela ao CL, no início desta tarde.

Afonso informa que 100 %equipes da Celesc estão empenhadas para restabelecer o fornecimento da energia nas casas. “Estamos trabalhando conforme a prioridade”, disse, sem dar previsão de quando será resolvido o problema de dona Aida.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Mesmo sem ala psiquiátrica, Lages não deixa de oferecer tratamento

Published

on

Foto: Camila Paes

Com o fechamento da ala psiquiátrica do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres em Lages, há mais de um ano, os pacientes que precisam de internamento aguardam leitos em Santa Cecília ou Florianópolis, cidades que oferecem os tratamentos.

A secretária de Saúde de Lages, Odila Waldrich, explica que a falta de leitos é um problema para diversas cidades do Estado, já que há poucas vagas disponíveis.

De acordo com Odila, cerca de 15 a 20 lageanos aguardam leitos para psiquiatria. Entretanto, ela explica que essas pessoas estão em casa e não há urgência nos casos. “Esses pacientes não estão em surto e nós consideramos esses internamentos como eletivos”, explica a secretária.

Ela ressalta, também, que participa de reuniões com outros secretários de saúde do Estado, nas quais procuram soluções para o problema, que é geral. A ideia é que mais um hospital se torne habilitado para atender esses pacientes. “O hospital de São Joaquim se mostrou interessado em passar a oferecer a especialidade”, explica Odila.

Usuários de drogas também eram internados na ala São Luiz, no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres. Agora, os atendimentos são centralizados nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Em Lages há dois, um para pacientes em geral e outro para crianças e adolescentes.

No caso de pacientes que apresentam sinais de surto, como alterações repentinas de comportamento, alucinações, delírios e reações desproporcionais à realidade, os internamentos acontecem no Pronto Atendimento Tito Bianchini e após o surto, há um leito no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, para a fase aguda, quando o paciente não apresenta mais sinais de surto, mas pode sofrer uma recaída.

Caso o paciente seja menor de idade, o tratamento ocorre no Hospital Infantil Seara do Bem. Odila ressalta que o internamento é o último recurso e só acontece em casos de urgência.

Após o tratamento prévio, grande parte dos pacientes recebe alta. Caso não tenham para onde ir, o município mantém um Residencial Terapêutico no Bairro Guarujá, onde são acompanhados por profissionais especializados. Atualmente, seis pessoas moram no residencial.

O espaço que antes abrigava a ala São Luiz, já está praticamente demolido. O prédio que possuía 23 leitos, para homens e mulheres, será desmontado e no local serão abrigadas novas melhorias para o Hospital Nossa Senhora dos Prazeres. O gestor da instituição, Fábio Lage, explica que foi decidido pelo fechamento da ala porque não havia recursos para manter o espaço.

Ele ressalta que a estrutura estava inadequada, não havia como adaptá-la e oferecia riscos a pacientes e funcionários. Para o espaço, Fábio esclarece que há projetos para aumentar o hospital e melhorar a infraestrutura e que, agora, aguardam recursos para que essas obras possam ser realizadas.

 

Comentários
Continue Lendo

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©