Boletim de Ocorrência em 10 minutos – CL+
Conecte-se a nós

Notícias

Boletim de Ocorrência em 10 minutos

Published

on

Usuário pode registrar na Delegacia virtual acidente de trânsito, perdas de documentos, entre outros - Foto: Bega Godóy

A Delegacia Virtual é um serviço prestado pela Polícia Civil de Santa Catarina, para o registro de ocorrências, disponibilizado ao cidadão via internet, 24 horas por dia. Por meio desta modalidade, o internauta poderá realizar registro de Boletins de Ocorrência. Nele é possível registrar acidente de trânsito sem vítima, perda de documentos, perda de objetos, recuperação de documentos e/ou objetos, ameaça, calúnia, injúria, difamação, furto, roubo, dano causado por fenômenos da natureza e denúncia anônima.
O objetivo é fornecer comodidade no registro dos tipos de ocorrência relacionados, sem a necessidade de ir até uma Delegacia de Polícia. No mesmo site também é possível verificar o andamento da ocorrência.

“Isso reduz os custos para o cidadão, para ele não ter de se deslocar até a delegacia gastando combustível ou utilizando outro veículo de transporte. Otimiza, também, o tempo dele, enfim. Um boletim de ocorrência que demoraria na delegacia de polícia cerca de 20 minutos para ser registrado, via internet cai para 10 minutos”, destacou o diretor de inteligência da Polícia Civil, Antonio Alexandre Kale.

Depois de concluído o registro do boletim na internet, o interessado recebe, pelo correio eletrônico (e-mail), informação sobre o número do protocolo. Depois de aceito (homologado), o registro receberá, no mesmo endereço eletrônico, a chave de acesso que permitirá a impressão do Boletim de Ocorrência no próprio site da Polícia Civil. “Depois de homologado, nós encaminharemos à delegacia da área, no caso de crime, para que seja apurado pela delegacia que tenha atribuição para tal”, explicou Alexandre Kale.

Registros realizados por pessoas menores de 18 anos serão descartados automaticamente. Isso também ocorre para registros que não possuírem os requisitos necessários e se o fato for em outro estado que não seja Santa Catarina. Neste caso, o comunicante deverá registrar sua ocorrência na Delegacia de Polícia do Estado da Federação onde ocorreu o fato.

Comentários
clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Mais de 2 mil residências ainda estão sem luz na Serra Catarinense

Published

on

Fotos: Divulgação

A Celesc informa que 2.590 residências seguem sem energia elétrica na Serra Catarinense, por conta do temporal que atingiu a região na tarde de ontem. Equipes da estatal trabalham para resolver os problemas.

No município de Palmeira, o vento derrubou uma torre da Eletrosul, que caiu em cima da rede elétrica, provocando a queda de energia em 1.300 residências na região, inclusive em Otacílio Costa. Equipes da Celesc e da Eletrosul trabalham no local. “Se tudo der certo, até o final desta terça-feira vamos conseguir resolver o problema”, informa o gerente Regional da Celesc, José Afonso Marin.

O temporal também provocou queda de energia em outros municípios da Serra. Moradora na localidade de Potreiros, no interior de Lages, Aida Machado Albano conta que está sem luz desde às 15h30 de ontem.

“Já liguei para o 0800 da Celesc, fiz a reclamação, mas até agora nada. A geladeira está descongelando e o alimento que tem dentro dela já está estragando. Toda esta região está sem luz” declarou ela ao CL, no início desta tarde.

Afonso informa que 100 %equipes da Celesc estão empenhadas para restabelecer o fornecimento da energia nas casas. “Estamos trabalhando conforme a prioridade”, disse, sem dar previsão de quando será resolvido o problema de dona Aida.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Mesmo sem ala psiquiátrica, Lages não deixa de oferecer tratamento

Published

on

Foto: Camila Paes

Com o fechamento da ala psiquiátrica do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres em Lages, há mais de um ano, os pacientes que precisam de internamento aguardam leitos em Santa Cecília ou Florianópolis, cidades que oferecem os tratamentos.

A secretária de Saúde de Lages, Odila Waldrich, explica que a falta de leitos é um problema para diversas cidades do Estado, já que há poucas vagas disponíveis.

De acordo com Odila, cerca de 15 a 20 lageanos aguardam leitos para psiquiatria. Entretanto, ela explica que essas pessoas estão em casa e não há urgência nos casos. “Esses pacientes não estão em surto e nós consideramos esses internamentos como eletivos”, explica a secretária.

Ela ressalta, também, que participa de reuniões com outros secretários de saúde do Estado, nas quais procuram soluções para o problema, que é geral. A ideia é que mais um hospital se torne habilitado para atender esses pacientes. “O hospital de São Joaquim se mostrou interessado em passar a oferecer a especialidade”, explica Odila.

Usuários de drogas também eram internados na ala São Luiz, no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres. Agora, os atendimentos são centralizados nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Em Lages há dois, um para pacientes em geral e outro para crianças e adolescentes.

No caso de pacientes que apresentam sinais de surto, como alterações repentinas de comportamento, alucinações, delírios e reações desproporcionais à realidade, os internamentos acontecem no Pronto Atendimento Tito Bianchini e após o surto, há um leito no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, para a fase aguda, quando o paciente não apresenta mais sinais de surto, mas pode sofrer uma recaída.

Caso o paciente seja menor de idade, o tratamento ocorre no Hospital Infantil Seara do Bem. Odila ressalta que o internamento é o último recurso e só acontece em casos de urgência.

Após o tratamento prévio, grande parte dos pacientes recebe alta. Caso não tenham para onde ir, o município mantém um Residencial Terapêutico no Bairro Guarujá, onde são acompanhados por profissionais especializados. Atualmente, seis pessoas moram no residencial.

O espaço que antes abrigava a ala São Luiz, já está praticamente demolido. O prédio que possuía 23 leitos, para homens e mulheres, será desmontado e no local serão abrigadas novas melhorias para o Hospital Nossa Senhora dos Prazeres. O gestor da instituição, Fábio Lage, explica que foi decidido pelo fechamento da ala porque não havia recursos para manter o espaço.

Ele ressalta que a estrutura estava inadequada, não havia como adaptá-la e oferecia riscos a pacientes e funcionários. Para o espaço, Fábio esclarece que há projetos para aumentar o hospital e melhorar a infraestrutura e que, agora, aguardam recursos para que essas obras possam ser realizadas.

 

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Escola é alvo de ladrões pela terceira vez em Lages

Published

on

O Colégio Professor Armando Ramos de Carvalho, no Bairro Pró-Morar, em Lages, foi alvo, mais uma vez, dos ladrões. Em um fim de semana, a escola foi arrombada três vezes.

No recesso, a unidade fica sozinha, e mesmo com sensores e câmeras de monitoramento, os ladrões não se intimidaram e levaram lousa digital, computador entre outros equipamentos eletrônicos.

As imagens das câmeras de segurança foram entregues à Polícia Civil.  O diretor da escola, Luiz Anderson Antunes, comenta que os ladrões arrombaram portas e cadeados, e quebraram vidros.

Confira no jornal Correio Lageano desta quarta-feira (24) uma reportagem completa sobre o assunto e de outras escolas que tiveram casos semelhantes.

Comentários
Continue Lendo

Notícias

Moradores atravessam BR-282 e arriscam suas vidas

Published

on

Um morador do Bairro Santa Maria, em Lages, morreu atropelado no fim da tarde do dia 17, na BR-282.

Aposentado do ramo da Construção Civil, viúvo há seis anos, pai de um filho e avô de um neto. Osvaldo Borges da Silva, de 67 anos, era conhecido no Bairro Santa Maria, em Lages, por sua simpatia e simplicidade.

Por morar sozinho, sua rotina era pacata, se dividia entre estar dentro de casa ou numa mercearia próximo de sua casa. O amigo de Osvaldo, seu João Silvano Machado, de 78 anos, comenta que todos os domingos eles se reuniam em um barzinho, do outro lado da BR-282, para comer aperitivos e jogar conversa fora.

Neste trajeto entre a casa e a mercearia, há apenas um problema, é necessário atravessar a BR-282. A marginal, quatro faixas da rodovia e mais uma marginal. Por anos, ele, como inúmeros moradores daquela região, se arriscou para atravessar.

Leia a matéria completa

Comentários
Continue Lendo

Capa do Dia

Instagram

Facebook

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©