Conecte-se a nós

Notícias

Mulher é encontrada morta pela Polícia Militar dentro de casa

Published

em

Por enquanto, não se sabe o que ou quem causou a morte. Marido é procurado pela Polícia Civil - Foto: Vinicius Prado

Edimara Vargas Ribeiro, 28 anos, teria morrido na sexta-feira, na Rua João Maria de Souza, no Loteamento Nadir. Informações de uma pessoa que prefere não se identificar, são de que o marido dela teria ido buscá-la na casa de uma irmã dela, em um sítio, na noite de sexta-feira, por volta das 20 horas. Depois disso, ninguém mais viu ela com vida.

Essa pessoa contou ao CL que o relacionamento do casal era conturbado, aconteciam muitas brigas e ele, às vezes, saía de noite sem ela.

O casal que tem uma filha de três anos, estava passando por problemas financeiros, inclusive a água deles foi cortada por falta de pagamento. Informações coletadas pelo CL é de que não se sabe o paradeiro da criança.

Segundo a Polícia Civil, a menina estava na casa quando a Polícia Militar foi chamada. Porém, depois disso, relatos de pessoas que não querem se identificar, são de que a criança estaria no Hospital Infantil Seara do Bem, mas quando foram no local, não a encontraram.

O telefone do plantão do Conselho Tutelar estava fora da área de serviço ou desligado e não foi possível esclarecer o paradeiro da criança.

Informações extraoficiais são de que havia um cheiro muito forte na casa quando a PM chegou.

Por enquanto não há motivo da causa da morte

O caso está sendo investigado pelo delegado Sérgio Roberto de Souza, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), de Lages, que aguarda o resultado da autópsia do corpo de Edimara Vargas Ribeiro, 28 anos, para concluir o motivo que causou a morte dela. Mesmo sem a conclusão da biópsia, policiais civis estão investigando a situação, que tem várias nuances. Pode ter sido um feminicídio ou outro motivo que não pode ser divulgado para não atrapalhar as investigações.

Ela tinha ferimentos, e segundo testemunhas, que preferem não se identificar, Edimara estava com o corpo roxo quando a Polícia Militar chegou no local.

O corpo dela foi liberado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) e Instituto Médico Legal (IML), no sábado, porém o laudo tem o prazo de 10 dias para ser entregue à delegacia.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: