Conecte-se a nós

Notícias

Moradores esperam soluções para barulho de festas no Centro

Published

em

Foto: Correio Lageano

Atualizado às 19h00 (27/06)

Moradores da Rua Afonso Ribeiro, no Centro de Lages, há alguns anos, têm enfrentado problemas com o som alto proveniente dos bailes e boates da região. O caso já foi parar no Ministério Público, que decretou que o baile Rancho Serrano deverá realizar obras de adequação acústica. A empresária e advogada Lisiane de Souza enviou um pedido de providência para o caso para a secretaria de Planejamento (Seplan).

Em fevereiro deste ano, foi realizada Audiência Pública, na qual ficou definido que o proprietário do estabelecimento deveria realizar obras e intervenções para melhorar a questão acústica e, então, solicitar nova visita técnica da Seplan. Com isso, ficou dado ao baile um alvará provisório para funcionamento.

Para isso, quem realiza a fiscalização do empreendimento é a secretaria do Meio Ambiente, que já realizou uma aferição de som e encaminhou relatório para a Seplan, que definirá se poderá ou não ser emitido relatório. De acordo com o secretário Claiton Bortoluzzi, o primeiro parecer revelou que a emissão de decibéis não está alta. Uma nova medição deverá ser realizada em breve, para confirmar o resultado.

Lisiane, que é proprietária de um hotel ao lado do estabelecimento, diz que a situação é complicada há anos. Ela ressalta que o alvará provisório já venceu e que a medição realizada pela prefeitura mostrou que o som está acima do nível permitido. Acrescenta que o problema também está na rua, já que os frequentadores usam as vagas de estacionamento de forma irregular, fazem barulho e geram problemas para hóspedes e moradores das proximidades.

A também empresária Lunara Castro, revela que a situação é complicada, inclusive, por causa da boate Bali Godi. De quarta à domingo, ela enfrenta problemas com barulho das festas e também com os frequentadores que ficam em frente a sua casa consumindo bebidas alcoólicas e até mesmo, urinando no portão. O problema é maior por causa dos frequentadores da boate. “Às vezes, chego em casa e não consigo entrar porque estão sentados no meu portão. Se eu peço para sair, reclamam”, relata.

Defesa

O promotor de eventos do baile Rancho Serrano, Cláudio Bianchini, explica que está realizando as mudanças acústicas solicitadas e que, na última medição de som realizada pela secretaria de Meio Ambiente, o medidor de decibéis do estabelecimento estava descalibrado e, por isso, apresentou falha no resultado.

Por isso, compraram outro equipamento. Cláudio ressalta que o baile tem segurança durante todo o período de funcionamento, das 17h às 24h, que cuida da questão das vagas de estacionamento e circulação dos frequentadores.

Na tarde desta quarta-feira (27), um representante do Bali Gode entrou em contato com o Correio Lageano para informar que o proprietário está internado em Itajaí, com um problema grave de saúde, por isso não atendeu às ligações de quinta (26), durante a apuração.

Ele informa que o baile funciona somente às sextas e sábados e é realizada a limpeza da via pública ao final das festas. Além disso, as pessoas que ficam na rua, como relata Lisiane, não os frequentadores do Bali Gode. “Os seguranças estão cuidando da parte externa do baile, orientando para que as pessoas não bebam em via pública”, informou via Facebook.

Anúncio
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: