Conecte-se a nós

Notícias

Moradores do Guarujá querem base da Polícia Militar de volta ao bairro

Published

on

Crianças, idosos e adolescentes participaram da manifestação - Fotos: Andressa Ramos

O sol forte não foi impedimento para que Daniele Souza Mendes, de 19 anos, saísse de casa com o filho Antony, de 2 anos, para protestar contra a falta de segurança no Bairro Guarujá, em Lages. Um dos motivos que a levou ir para a rua foi o medo que sua casa seja arrombada, já que a de seu vizinho foi alvo de furto.

Além da jovem mãe que empurrava o carrinho do filho, aproximadamente 50 pessoas participaram da manifestação promovida pela Associação de Moradores. A principal reivindicação é a instalação de uma base fixa da Polícia Militar.

Os moradores se dizem cansados. Uma senhora, que não quis ter a identidade revelada, por medo, conta que quase foi baleada. “Não morri por pouco”. Ela relata que ao olhar pela janela, viu que a vizinha estava sendo assaltada, e ela é o filho saíram de casa para ajudar.

Quando os dois viraram as costas, ouviram o tiro que passou de raspão por eles. Quem mora naquela região não consegue nem programar uma viagem, pois sabe que sua casa está fragilizada, facilitando a ação dos bandidos.

Daniele (esq.) passou protetor, pegou água e saiu para a rua para pedir mais segurança.

Em uma das ruas do bairro, os moradores fizeram um grupo de WhatsApp para comentar sobre a rotina da rua. Observam quem sobe e quem desce a rua, trocam mensagens sobre o perfil das pessoas que são diferentes de seu dia a dia.

Foi numa dessas conversas que uma vizinha, que estava em alerta, viu um homem entrar na casa de outra moradora e, com a atuação da comunidade, conseguiu-se impedir uma ação criminosa.

Durante a caminhada, o presidente da Associação de Moradores do Bairro Guarujá, Luis Borges, parou os moradores para mostrar o terreno onde pode ser instalada a sede da base da PM.

Entre gritos de: “queremos de volta a base da Polícia Militar” e “mais segurança para o Bairro Guarujá”, a população encontrou uma forma de chamar atenção e mostrar a fragilidade da segurança naquela região.

A Polícia Militar acompanhou a manifestação, mas não se posicionou quanto à possibilidade de instalação de uma base no bairro.

Comentários
Compartilhe

Notícias

Manifestação na Avenida Duque de Caxias em apoio aos caminhoneiros

Published

on

Estudantes universitários fizeram cartazes de apoio à causa da manifestação

 

Na tarde deste sábado (26), estudantes universitários, motociclistas, professores, empresários, caminhoneiros e a comunidade geral se reuniram em frente à Praça da Bandeira, na Duque de Caxias, em manifestação de apoio à paralisação dos caminhoneiros.

Carros, motos e caminhões seguiram em carreata acompanhados por centenas de pessoas que fizeram o trajeto a pé.

Alguns estavam com os rostos pintados de verde e amarelo, outros batendo panelas, segurando a bandeira do Brasil e todos gritavam pelo fim da corrupção. Muitos que estavam na manifestação chamavam quem passava pela via para se juntar ao protesto.

Além do apoio aos caminhoneiros, a comunidade mais se manifestava pelo fim da corrupção. Ouvia-se indignação dos manifestantes pela situação política e econômica caótica do País.

O empresário Eron Janvanier estava na manifestação e opinou que esta é uma indignação de todo o povo. “Não tem mais condições. Clamamos por um país melhor”.

Outros empresários  presentes reclamavam da alta carga tributária, da alta do diesel e dos pedágios caros e também das novas regras da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre). Eles relatam que se tornou inviável a atividade.

A carreata começou na Avenida Duque de Caxias, passou pela Humberto de Campos, seguiu pela rua Getúlio Vargas até a BR e o destino era o acampamento dos caminhoneiros às margens da BR-116.

Algumas pessoas da manifestação seguiram pela rua Correia Pinto, no centro, em passeata.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Carreata em prol dos caminhoneiros, na Avenida Duque de Caxias

Published

on

Por

Fotos: Gislaine Couto

Centenas de pessoas se reuniram na tarde deste sábado (26), para apoiar a paralisação dos caminhoneiros. Em Lages, o ato acontece na Avenida Duque de Caxias e se estende até a Rua Humberto de Campos. Confira as fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Sem gasolina nos postos de Lages

Published

on

Na manhã deste sábado (26) não havia mais postos de combustíveis com gasolina e etanol disponíveis nas bombas em Lages. Desde que a paralisação dos caminhoneiros se iniciou o que se viu foi uma corrida aos postos para abastecer os veículos.

Todos os dias a maioria dos postos registrou intensas filas. No Posto Central, que era um dos últimos a ter combustíveis, na rua Correia Pinto, na tarde de sexta-feira (25) havia intensa fila que se estendia até próximo do terminal urbano. Houve casos de espera na fila para abastecer de até duas horas.

Uma das organizadoras da paralisação dos caminhoneiros em Lages, Ana Paula Mendes, destaca que foi liberado um caminhão para abastecer as viaturas das polícias, do Corpo de Bombeiros e também as ambulâncias. Ela ressalta também que foi liberada uma carga de gás para os hospitais e presídio.

Ainda não há previsão para o fim da paralisação dos caminhoneiros, que ocorre em todo o País.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Instagram

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©