Conecte-se a nós

Entretenimento

Mick Jagger apresenta documentário sobre

Published

em

Cannes (França), 19/05/2010

 

 

 

"Éramos jovens, bonitos e estúpidos. Agora somos só estúpidos", assim Mick Jagger apresentou nesta quarta-feira o documentário "Stones in exile" em Cannes.

 

 

"Stones in exile", dirigido por Stephen Kijak, mistura imagens da época – incluindo vídeos caseiros -, concertos, fotografias e entrevistas com personagens atuais, testemunhos de Jagger e Keith Richard, que falam da gravação de "Exile on Main Street" e sua mudança para a Costa Azul francesa fugindo do fisco britânico.
Muitas imagens inéditas foram tiradas das 35 caixas de arquivos do fotógrafo Robert Frank, outras cedidas por Jim Marshall. As mais interessantes são as que mostram a intimidade da banda, com suas mulheres, namoradas e filhos em suas casas na Villefranche-sul-Mer.

 

 

Jagger também produz o filme, com o qual queria recuperar testemunhos dessa época já que tinha começado a preparar a reedição do álbum, mas achava que só isso não era suficiente, que era preciso transmitir o espírito daqueles anos. Do começo dos anos 1970.

 

 

A banda chegou a Costa Azul em meados de 1971. "(Richard) Nixon estava na Casa Branca, havia a Guerra do Vietnã e Eddy Merckx tinha ganhado o Tour de France", explicou Jagger, misturando inglês e francês na breve apresentação do filme.

 

 

E, no entanto, os músicos não se inteiravam de nada do que passava no mundo exterior porque estavam fechados na casa, gravando um disco, explicou Jagger.

 

 

O cantor trouxe muita expectativa a Cannes. Alguns de seus admiradores esperavam desde as 9h30 local (4h30, Brasília) às portas do teatro Croisette, onde foi realizada a projeção.

 

 

O documentário traz um testemunho interessante de uma época chave para os Stones e também polêmica, devido a sua saída do Reino Unido "Reconheço que não é muito 'cool' dizer que fomos embora por questões de impostos", mas "se queríamos seguir adiante, tínhamos que ir para o exterior", afirma Jagger no filme.

 

 

O resultado é mais que satisfatório para o líder dos Stones, que afirmou que sempre teve certeza que Kija era o diretor adequado para o documentário.

 

 

O longa acompanha à reedição de "Exile on Main Street", um dos discos mais importantes da carreira dos Stones – para muitos, o melhor -, mas que não teve uma boa recepção na época em que foi lançado, 1972.

 

 

Por fim o cantor citou seu filme favorito, "Apocalypse Now" (1979), de Francis Ford Coppola e assegurou que "agora há boa música e há merda, como em todas as épocas".

 

 

 

Foto: Divulgação

Compartilhe
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio
Anúncio

Cinema

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 - Centro - CEP: 88502-000 - Lages (SC) - Brasil . Contato - Fone: 49 3221.3300 e-mail: correiolageano@correiolageano.com.br

Todos os direitos autorais são propriedade do Correio Lageano e Portal CLMais