Conecte-se a nós

Notícias

Lages apresenta redução da criminalidade, segundo a Secretaria de Segurança Pública

Published

on

Nos últimos meses, furtos em escolas preocuparam as autoridades policiais - Foto: Andressa Ramos/ Arquivo CL

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgou números da criminalidade em Lages. A notícia é boa, pois houve uma queda acentuada nos indicadores dos crimes mais graves (homicídio, roubo, latrocínio, furto e roubo de carros) no primeiro trimestre deste ano, se  comparado ao mesmo período do ano passado. O furto, por exemplo, caiu de 820 casos para 658, registrando queda de quase 20%.

Os números reforçam a esperança das polícias Militar e Civil. Provam que é possível obter bons resultado no combate ao crime, se ambas estiverem bem aparelhadas e a população denunciar. Isso tudo aliado a criação das redes de prevenção.

Segundo o Delegado de Polícia da Divisão de Investigação Criminal (DIC), Sérgio Roberto de Sousa, a principal estratégia foi o combate à organização criminosa. Desde março do ano passado foram realizadas mais de 20 prisões de componentes de facções criminosas.

Inclusive, com a identificação e prisão de toda a liderança atuante em Lages e região. Ele avalia ainda que a Polícia Civil de Lages conta um efetivo de 13 policiais, na DIC, e instrumentos adequados para a realização dos trabalhos.

A DIC possui um disque denúncia 24 horas por dia, que é atendido pelos próprios policiais da unidade, é o 197. Na opinião do delegado, outro fator importante foi a estratégia adotada pela Delegacia Regional de Polícia de Lages, no sentido de dar apoio para o setor de investigação, aumentando o efetivo e incentivando os servidores.

Com relação aos crimes de furto, apesar dos índices terem diminuído, o delegado atribui o  mérito à própria população, que cada vez mais está se conscientizando de que o Estado não dá conta sozinho de evitar e reprimir este tipo de crime.

“Para prevenirmos os crimes de furto, a população precisa colaborar no sentido de cuidar mais de seu patrimônio, seja fazendo um pequeno investimento em instalação de câmeras de videomonitoramento em sua propriedade, o que nos auxilia principalmente na apuração das infrações, ou seja  sendo parceira da polícia realizando denúncias e repassando informações de interesse para a segurança pública, sempre que tomar conhecimento de algo relevante”, explica.

Redes de Prevenção são aliadas

Para o Major da Polícia Militar,  Frederick Rambusch os esforços começaram em meados de 2016 com trabalhos realizados em Lages e região. Com foco das ações sobre as causas acerca de dois aspectos: pronta resposta sobre ambientes, em que os indicadores de criminalidade estão ruins ou em razão de demandas relevantes (grandes eventos), ocasiões em que as ações de policiamento são intensificadas de maneira técnica e otimizada.

O outro aspecto, conforme Rambush, diz respeito à análise situacional, ou seja, por intermédio de visitas preventivas e das redes de prevenção (Rede de Vizinhos, Rede de Segurança Escolar, Rede Catarina e Rede Rural de Segurança), as vulnerabilidades são identificadas, gerando, consequentemente, orientações e medidas voltadas a minimizar riscos à segurança.

“Tanto para que moradores e estabelecimentos comerciais auxiliem na segurança mútua, quanto para que o Poder Público, em geral, melhore as condições de segurança de logradouros públicos, assim como tenham conhecimento de fatores de vitimização, como no caso da Rede Catarina, a qual passou a auxiliar na segurança e no encaminhamentos de mulheres vítimas de violência doméstica”, argumenta.

Nova postura

Rambusch observa que tendo em vista o fenômeno migratório do crime, a análise criminal e a capacidade de mobilização operacional e aplicativos para dispositivo móveis, todos combinados, reduzem, por exemplo, os crimes de perturbação da ordem pública.

“É importante destacar para que se compreenda o papel da PM na deflagração de operações, desde rápidas intervenções até o processo contínuo de policiamento em função de demandas tecnicamente avaliadas permanentemente”, assegura.

 

Comentários
Compartilhe

Notícias

Fornecimento de gás natural em rede pode ser afetado pela paralisação em algumas cidades

Published

on

Por

Foto: Divulgação

Em virtude da paralisação promovida por motoristas de caminhão que corre em todo país, a SCGÁS tranquiliza seus consumidores e informa que o abastecimento com gás natural veicular (GNV) aos postos de combustíveis, em sua maioria, não será prejudicado pelas paralizações. Os segmentos industrial, comercial e residencial também não serão afetados.

A SCGÁS atende atualmente 132 postos em Santa Catarina, e apenas nove deles podem ter suas atividades de fornecimento de gás natural afetadas, por serem atendidos pelo modal de gás natural comprimido – nesta alternativa de mercado, o gás natural é retirado da rede e transportado por caminhões até os postos. Os demais clientes do segmento veicular da SCGÁS são abastecidos por meio de redes canalizadas, o que garante fornecimento contínuo e ininterrupto.

Os estabelecimentos possivelmente prejudicados foram alertados pela Companhia, e terão seu abastecimento restabelecido gradativamente ao término da greve. Abaixo, a lista de postos atendidos que podem ser afetados:

  •        Posto AO Petrolages – Lages;
  •        Posto BR 4R – Rio do Sul;
  •        Posto BR Oenning – Braço do Norte;
  •        Posto IP Furnas Sombrio – Sombrio;
  •        Posto BB Fratelli São João do Sul – São João do Sul;
  •        Posto BB Guarujá – Lages;
  •        Posto Neogás Hoffmann – Orleans;
  •        Posto Neogás Michells Beach – Imbituba;
  •        Posto BB MIME 14 – Pouso Redondo;

O GNV, que proporcionava elevados percentuais de economia em relação aos combustíveis líquidos, abriu vantagem ainda maior frente aos seus concorrentes nos últimos dias. Após as altas recentes, com base nos preços médios da ANP em Santa Catarina, o gás veicular passou a apresentar 56% de vantagem comparado à gasolina e 66% em relação ao etanol. Em termos práticos, abastecendo R$ 30 de cada combustível, o motorista anda 65 km utilizando etanol, 82 km com gasolina, e 189 km rodando com GNV.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Pontos da BR 116 com manifestação em Santa Catarina e Paraná

Published

on

Por

Foto: Susana Küster

BR 116 em Santa Catarina:

 

Mafra:

Km 7: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva, sem registro de lentidão. Há paralisação de caminhões e carretas em acostamentos por aproximadamente 3 km em cada sentido.

 

Papanduva:

Km 54: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Caminhões parados no trevo de acesso ao município.

 

Santa Cecília:

Km 138: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

Km 141: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

Km 143: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

 

Ponte Alta do Norte:

Km 166: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

 

Correia Pinto:

Km 217: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

 

Lages:

Km 245: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Veículos de carga estacionados em pátio de posto de combustível, não há registro de lentidão.

 

BR 116 no Paraná:

 

Curitiba:

Km 115: interditado para veículos de carga, os mesmos estão estacionados em acostamento, ambos os sentidos. Restante de veículos trafegam normalmente.

 

Fazenda Rio Grande:

Km 125: interditado para veículos de carga, os mesmos estão estacionados em acostamento, ambos os sentidos. Restante de veículos trafegam normalmente;

Km 127: interditado para veículos de carga, os mesmos estão estacionados em acostamento, ambos os sentidos. Restante de veículos trafegam normalmente.

 

Mandirituba:

Km 135: pista norte interditada e tráfego desviado para acostamento, tráfego da pista sul permanece sem obstrução. Não há registro de lentidão;

Km 152: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Veículos de carga estacionados em pátio de posto de combustível e faixa de domínio, não há registro de lentidão.

 

Quitandinha:

Km 166: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Veículos de carga estacionados em pátio de posto de combustível, não há registro de lentidão.

 

Campo do Tenente:

Km 191: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Veículos de carga estacionados em pátio de posto de combustível, não há registro de lentidão.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Taxistas aderem movimento de caminhoneiros

Published

on

Por

Foto: Divulgação

Os taxistas de Lages fizeram uma carreata na tarde desta quinta-feira (24) em apoio a greve dos caminhoneiros. Eles seguiram em direção ao Posto Ampessan, no entroncamento das BRs 116 e 282. Depois de conversarem com manifestantes foram até o Posto Palmeira e em seguida retornaram para o Sindicato dos Taxistas, entidade que organizou a carreata.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Instagram

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©