Conecte-se a nós

Notícias

Julgamento de três réus se estende no Fórum de Lages

Published

em

Advogado de defesa dos réus - Foto: Bega Godóy

Atualização 09h03 (09/11/2018)

Cinco mulheres e dois homens compõem o Júri de três acusados de crime de homicídio contra Alex Oliveira Correa. Os acusados são apontados como integrantes de facção criminosa. Valmir Floriani de Lima, o ‘Tio Gera’, é detentor do cargo hierárquico mais alto da facção; Renan Augusto Dutra, o Gibi e Sergio Luiz dos Santos da Silva, conhecido como Sméagol ou Dedinho completam o banco dos réus.

O Juri terminou perto da meia noite de quinta-feira (8). Todos os réus foram condenados por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e surpresa. Valmir: 18 anos; Sérgio e Renan: 12 anos cada um.

Os réus fazem parte da organização criminosa Primeiro Grupo Catarinense (PGC), mas, neste júri, segundo denúncia do Ministério Público, foram julgados pelo homicídio de Alex Oliveira Correa, vulgo Pequeno Mestre, por motivo torpe e surpresa.  

O fato aconteceu dia 23 de dezembro de 2016 quando a mando de Valmir, Renan e Sergio teriam matado Alex com um tiro. Desentendimento gerado por conta de disputa por ponto de venda de drogas, no Bairro Morro do Posto, em Lages. Pequeno Mestre não morreu na hora, ele faleceu 27 dias após o crime no hospital.

A acusação esteve representada pela promotora Luciana Marin, da  1ª Promotoria de Justiça e os advogados de defesa foram Luciana Padilha, Luiz Carlos Rovaris e Leonardo Grasel Diniz de Figueiredo.

Recesso do Fórum

Os julgamentos no Fórum do tribunal do Júri acontecem às terças-feiras, mas como a agenda desse dia da semana está lotada, excepcionalmente, o júri dos três homens foi realizado na quinta-feira (8), por se tratar de réus presos.

O Juiz Geraldo Correa Bastos, que presidiu o júri, não descartou a possibilidade de outras sessões serem marcadas nas quintas-feiras. Isso porque o recesso do Fórum vai de 19 de dezembro a 5 de janeiro de 2019.

Estrutura do Primeiro Grupo Catarinense

De acordo com a promotoria pública, o Primeiro Grupo Catarinense (PGC) possui uma rígida organização interna:

  • Primeiro Ministério- 10 membros vitalícios
  • Segundo Ministério – 10 membros eleitos a cada ano pelos integrantes que estiveram reclusos na Penitenciária de São Pedro de Alcântara
  • Sintonia- líderes regionais com função de coordenação e ligação com os Ministérios
  • Disciplina – em cada  município há disciplina geral, disciplina das drogas, disciplina das armas, disciplina do dízimo e disciplina de rigor e ação.

Envolvidos já têm outras condenações

Segundo a Promotoria de Justiça, Valmir Floriani da Luz tinha cargo de sintonia no Planalto Serrano. Ele é condenado à pena de 4 anos e 9 meses de reclusão por organização criminosos com o reconhecimento da circunstância agravante específica consistente em se elemento de comando dentro da organização.

Renan Augusto Dutra disciplina geral de Lages . Condenado a pena de 3 anos e seis meses de reclusão pelo crime de organização criminosa com o reconhecimento da circunstância agravante específica consistente em se elemento de comando dentro da organização. Sérgio Luiz dos Santos Silva, condenado a pena de 3 anos e seis meses de reclusão pelo crime de organização criminosa.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: