Eleições

Jorginho desbanca oponentes e estará ao lado de Amin no Senado

Published

em

Jorginho e correligionários em carreata de comemoração à vitória, em Joaçaba - Foto: Divulgação

Uma eleição marcada por algumas surpresas. Assim pode ser definido o primeiro turno aqui em Santa Catarina. Além do Comandante Moisés (PSL), que chegou ao segundo turno em disputa pelo Governo do Estado, outro candidato inesperado se elegeu para o Senado Federal.

Assim como o previsto, Espiridião Amin (PP) se elegeu ao conquistar 18,77% (1.226.064) dos votos válidos, mas a surpresa ficou por conta do segundo colocado. Contrariando os institutos de pesquisa, que sequer anunciavam seu nome entre os possíveis eleitos, Jorginho Mello (PR) desbancou Paulo Bauer (PSDB) e Raimundo Colombo (PSD) e correu parelho com Amim, conquistando 18,07% (1.179.757) dos eleitores.

“O instituto de pesquisa errou de novo. O que vale é o voto na urna, é a consagração, é a vontade popular. Eu tô muito feliz. Uma votação dessa é motivo de muito orgulho para mim. É muito orgulho e aumenta a minha responsabilidade”, analisa o senador eleito, Jorginho Mello ressaltando que considerou este um pleito muito difícil, por ter enfrentado dois ex-governadores e um ex-senador.

Em seu discurso, Amin agradeceu ao apoio e à confiança que os catarinenses deram a ele, e rendeu solidariedade a Colombo. “Uma expressão de solidariedade muito especial e fraterna ao meu querido amigo Colombo, que infelizmente não vai poder nos acompanhar nessa jornada. Quero reiterar aqui o meu compromisso de apoio ao Gelson Merisio e ao João Paulo Kleinubing no segundo turno, assim como a Jair Bolsonaro, em quem eu votei no primeiro turno”, diz.

Amin comemora vitória ao lado da família, em Florianópolis – Foto: Divulgação/Renan Schlickmann

Colombo

Pela primeira, vez em 21 anos, o lageano Raimundo Colombo (PSD) perdeu uma eleição. Taxado como um dos preferidos ao Senado, o ex-governador foi apenas o quarto candidato mais votado, conquistando 15,30% (999.043) dos votos válidos e ficando de fora.

A última derrota de Colombo havia acontecido em 1997, contra Fernando Coruja, na disputa pela Prefeitura de Lages. Depois disso, ele se elegeu prefeito em duas oportunidades (2000 e 2004), ao Senado (2006) e ao Governo do estado (2010 e 2014).

Sobre o resultado deste domingo (7), Colombo disse que cumpriu com o seu dever e que fez um esforço grande para que Santa Catarina vencesse a crise e todos os desafios. “Agora vamos torcer para que o Brasil, com toda essa mudança apontada pelas urnas, encontre o melhor caminho para a construção de um novo país”, afirma.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Sandro

    08/10/2018 at 07:58

    E teve lageano que não votou no candidato conterrâneo ao Senado…..quando precisar de verba, obra ou outra ajuda para a região, vai lá pedir para os eleitos para ver se ganha!!!

Deixe uma resposta