Conecte-se a nós

Negócios

Implantação de rede de gás começará em 2018

Published

em

Foto: Divulgação

A primeira etapa para implantar uma rede de distribuição de gás natural, por meio de redes isoladas em Lages, foi lançada e começará perto do Parque de Exposições Conta Dinheiro. A rede passará pelas avenidas Luís de Camões e Dom Pedro II, até chegar ao Bairro Triângulo. Será uma estrutura de cilindro feito de aço-carbono que será enterrado e irá armazenar o gás na pressão de 11 quilos por centímetro quadrado. Paralelo a ele, irá outro duto de polipropileno e baixa a pressão para quatro quilos por centímetro quadrado, para atender comerciantes e moradores que quiserem contratar o serviço. Em janeiro sai a ordem de serviço para a empresa instalar o canteiro de obras e, em fevereiro, sai a ordem de serviço para serem feitos os projetos executivos de cada trecho. A partir de março, um aparelho fará furos direcionais para que não sejam abertas valas nas ruas.

Obra_ O projeto de implantação será em duas etapas, que somadas resultarão na construção de cerca de 25 quilômetros de redes de gás natural e investimentos acima de R$ 11 milhões. A primeira etapa será concluída em até 12 meses após a ordem de serviço expedida pela SCGás. As redes estruturantes, conhecidas como redes isoladas, consistem em um trecho de gasodutos desconectados da rede principal, que pode ser abastecido por veículos que transportam o gás natural comprimido ou líquido até o local de distribuição. Estas redes anteciparão a oferta e estimularão a demanda pelo gás natural em Lages e em outras cidades, que receberão o investimento da SC Gás. O futuro gasoduto de Lages é inspirado no modelo de atendimento de gás natural utilizado em diversas regiões de Portugal e em modelos implantados no Rio de Janeiro.

Injeção de ânimo na economia lageana

O gasoduto que vem da Bolívia passa pelo litoral catarinense e isso ajudou a desenvolver economicamente a região. “Um quilômetro de gasoduto custa nem torno de R$ 1 milhão, então é muito caro para investir. Há indústrias que se instalam no município, só se houver essa estrutura”, salienta o presidente da SC Gás, Cosme Polese.Para trazer o gasoduto de Rio do Sul para a Serra é preciso cerca de R$ 150 milhões, segundo Polese. “Como não há nenhum recurso público para isso, desenvolvemos esse modelo para que o avanço também chegue nas cidades do interior”.

A operacionalização da rede de gás será da seguinte forma: o gás será trazido de forma comprimida em caminhões, que descarregarão o produto na rede e o custo é dividido entre todos os beneficiados. “Isso fará com que o valor do gás, seja o mesmo do litoral, embora não tenha um gasoduto de lá até aqui. Essa será a primeira do Estado, em uma rede desta modalidade, mas servirá de modelos para outras”. Há a possibilidade de trazer o gás liquefeito, que reduz o volume em 600 vezes, porque vem em temperatura negativa de 162 graus. “Mas para isso, precisaríamos trazer o gás líquido em algum porto, o que pode demorar muito tempo e precisamos de agilidade,” conclui o presidente.

 

Extensão da rede de distribuição de gás natural

>>Primeira Etapa: 12,5 Km em aço e polietileno

>>Segunda Etapa: 13 Km em polietileno
Total: 25,5 Km

Valor estimado para execução da obra

>>Primeira Etapa: R$ 7,1 milhões

>>Segunda Etapa: R$ 4,2 milhões
Total: R$ 11,3 milhões

Prazo para execução da primeira etapa: 12 meses, a partir da mobilização da empreiteira.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: