Conecte-se a nós

Entretenimento

Grande sucesso da literatura em novela

Published

on

Foto: Divulgação

Inspirado em mais um grande clássico da literatura mundial, “Orgulho e Paixão” é uma das próximas apostas da Globo, que substituirá “Tempo de Amar”. Como já é costume, o horário das seis da tarde é dedicado às novelas de época e “Orgulho e Paixão” não vai fugir à regra.
“Orgulho e Paixão”, que tem seus personagens livremente inspirados no universo da escritora inglesa Jane Austen, é uma história romântica e bem-humorada, que se passa no fictício Vale do Café, no início do Século XX. No vilarejo voltado para o plantio e a comercialização do “Ouro Verde”, vivem as famílias ricas, donas das fazendas de café, os trabalhadores e aqueles que lutam para não perder tudo que têm. A história vai mostrar questões relacionadas aos costumes da época, como o valor do casamento na sociedade, feminismo e crise financeira. A partir destes temas, também irá trazer o telespectador para discussões da atualidade. “Mesmo sendo uma trama de época, ‘Orgulho e Paixão’ apresenta um texto dinâmico, com muita leveza e frescor”, define o diretor artístico Fred Mayrink.

Sinopse

Em uma sociedade onde o casamento é visto como o único futuro possível para uma jovem de boa família, Ofélia Benedito (Vera Holtz) tem muitos motivos para se preocupar. Na verdade, cinco: Elisabeta (Nathalia Dill), Mariana (Chandelly Braz), Jane (Pamela Tomé), Cecília (Anaju Dorigon), e Lídia (Bruna Griphão). A matriarca da família Benedito criou as filhas apostando todas as fichas no matrimônio como projeto de vida para cada uma. Apesar da reprovação do marido, Felisberto Benedito (Tato Gabus Mendes), ela é capaz de fazer malabarismos e trapalhadas na busca de um bom partido para suas donzelas. Quem não se encaixa nos padrões impostos pela mãe é Elisabeta. A jovem libertária e cheia de sonhos tem uma ousadia natural em sua personalidade, que pode encantar ou afastar um possível pretendente. Tal comportamento é totalmente desaprovado por Ema Cavalcante (Agatha Moreira), que apesar de ser bem diferente de Elisabeta, é sua melhor amiga. Moça de família tradicional, Ema é neta do Barão de Ouro Verde (Ary Fontoura), e casamenteira oficial do fictício Vale do Café, vilarejo no interior de São Paulo.
Desejando conquistar o mundo, Elisabeta entra em conflito consigo mesma ao conhecer Darcy (Thiago Lacerda), um homem de caráter admirável e com posição social totalmente oposta à sua. Rico e aristocrata, ele desperta nela uma paixão arrebatadora, que a faz temer seu próprio destino.

Comentários

Entretenimento

A Voz da Cidade estreia no Cine Marrocos, nesta sexta

Published

on

Por

Foto: Divulgação

Estreia, hoje, o média-metragem A Voz da Cidade. Uma produção lageana independente que conta a vida de Carlos Joffre do Amaral, um dos fundadores da Rádio Clube de Lages. A exibição do filme será no Cine Marrocos às 20 horas, com entrada franca.

A história do paulista que escolheu Lages para criar um dos maiores veículos de comunicação do Brasil é contada através de um média-metragem produzido de forma independente pelo diretor lageano Marcelo Machado. As gravações do filme “A Voz da Cidade” tiveram início em 2016, e toda a equipe técnica e de atores foi formada por colaboradores da cena audiovisual de Lages. Segundo Marcelo Machado, a ideia do filme partiu da sua própria casa. “Meu pai foi uma das pessoas de confiança de Carlos Joffre na empresa, todos os dias ele contava alguma história pra mim. Produzir o filme foi uma forma de homenagear o próprio Joffre, Lages e meu pai”, afirma.

Das dificuldades, Marcelo afirma que a dúvida das pessoas com relação à qualidade do que é produzido em Lages ainda atrapalha. “Há uma desconfiança por parte de alguns sobre a produção local, mas de um tempo para cá, amantes do cinema têm conseguido mostrar qualidade técnica surpreendente, seja uma produção com muitos recursos ou independente como a nossa”, completa.
Machado relata isso pelo motivo que o grupo de pessoas ligadas à cena em Lages também foram colaboradores do filme e suas obras têm se destacado também fora da cidade.

“A Voz da Cidade” tem um roteiro que conta a chegada de 00 a Lages e todos os capítulos do seu casamento com a Dona Ilse, a instalação do alto-falante na praça e a ideia do que seria a Rádio Clube. O diretor diz que muitas partes são fictícias e adaptadas, isso pela dificuldade de retratar a época – a história se passa no fim dos anos 30. “Alguns elementos de cena sabemos que não faziam parte dos anos em questão, mas isso é a liberdade que o cinema nos dá, o importante é que a base principal da história de Joffre está bem contada,” acredita.

A produção contou com 29 atores e as locações compreenderam locais históricos de Lages. Foram cerca de 700 gigabytes de gravações, que resultaram em num filme de cerca de 50 minutos.

Comentários
Continue Lendo

Entretenimento

Lages será sede de conferência

Published

on

Por

Foto: Divulgação

A I Conferência de Arqueologia da Serra Catarinense tem como objetivo disseminar o conhecimento a respeito da ocupação pré-colonial e colonial da região serrana do Estado de Santa Catarina, trazendo diferentes perspectivas do olhar arqueológico. O evento será realizado no Auditório Mario Augusto de Sousa, na Fundação Cultural de Lages (FCL), no dia 14 de março para duas turmas, nos horários das 8h às 12h e das 14h às 18h, e é totalmente gratuito.

Promovido pela Gaia Arqueologia e com apoio da FCL, o evento é aberto para toda a comunidade. Segundo a palestrante e responsável pela conferência, Marina Lopes, o debate permitirá um contato com o passado e servirá como ferramenta de informação para aprimorar conhecimentos. “Temos como público-alvo professores do município e da região, tendo em vista que o material didático oferecido aos alunos apresenta uma lacuna a respeito desta área do conhecimento. Ela afirma que as sociedades que aqui viviam deixaram vestígios, principalmente no meio rural.

Comentários
Continue Lendo

Entretenimento

Três anúncios para um crime: Uma forma diferente de buscar a justiça

Published

on

Foto: Reprodução

A trama traz a trajetória de Mildred Hayes (Frances McDormand), uma mãe que enfrenta a polícia da pequena cidade de Ebbing, no estado de Missouri nos EUA, após a morte violenta da filha. Mas esqueça aqueles personagens caricatos. Mildred é uma mãe fora dos padrões e que enfrenta com uma valentia diferente, a polícia inerte da cidade do interior.

Para chamar a atenção da cidade e da mídia, Mildred aluga três outdoors na rodovia, onde enfrenta o xerife com as frases: “Estuprada enquanto morria e ainda sem prisões. Como isso, chefe Willoughby?”. A repercussão é grande e além de enfrentar a opressão de um policial, ela precisa encontrar formas de conviver com o filho que sofre com a perda da irmã, o ex-marido e a culpa por tudo o que aconteceu com a filha adolescente.

O caso ainda ganha maior repercussão porque o xerife enfrenta um câncer no pâncreas e precisa conciliar o tratamento da doença com a busca dos responsáveis pelo crime. A insistência de Mildred acaba chamando a atenção do policial ocioso Jason Dixon (Sam Rockwell), que de formas não convencionais, acaba encontrando pistas que podem levar aos responsáveis pela morte trágica da jovem.
Além da categoria principal, Três Anúncios para o Crime concorre a mais cinco estatuetas, de melhor atriz, ator coadjuvante, roteiro original, montagem e trilha sonora.

Bafta

Na premiação da Academia Britânica de Artes da Televisão e Cinema (Bafta), que aconteceu no último domingo (18), o filme recebeu as premiações de melhor filme, atriz, ator coadjuvante e roteiro, sendo o grande vencedor da noite. Para a próxima edição do Oscar, que acontece no dia 4, o filme do diretor Martin McDonagh (Six Shooter) é um dos favoritos. Em Lages, ainda não há previsão para a exibição do filme.

Serviço

>>Direção: Martin McDonagh
>>Elenco: Frances McDormand, Woody Harrelson, Sam Rockwell
>>Gênero: Drama

Comentários
Continue Lendo

Entretenimento

Falsa morte de Sylvester Stallone assusta fãs na internet

Published

on

Por

Foto: Divulgação

Na madrugada desta segunda-feira (19), surgiu um texto nas redes sociais de que o ator Sylvester Stallone teria falecido em decorrência de um câncer de próstata.

A mensagem que foi divulgada e bastante repercutida, lamentava a morte do astro de Mercenários e Rocky, dizendo que o mesmo enfrentava a doença há algum tempo.

Junto ao texto algumas imagens, uma delas onde ele aparece abatido, mas que pode ter sido retirada de um de seus filmes.

Stallone esclareceu em seu Instagram oficial na tarde desta segunda que está bem – e “ainda socando”

“Por favor, ignorem essa estupidez… Estou vivo, bem, feliz e saudável… Ainda esmurrando!”

Please ignore this stupidity… Alive and well and happy and healthy… Still punching!

Uma publicação compartilhada por Sly Stallone (@officialslystallone) em

Comentários
Continue Lendo

Capa do Dia

Instagram

Facebook

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©