Geral

Gasto de energia aumenta e assusta consumidores

Published

em

O ventilador, se usado por três horas durante o período da noite, gasta 13,50 Kwh,  a um custo de R$ 7,03 nesse período - Foto: Bega Godóy

A conta de luz assustou muita gente neste mês. Muitas pessoas usaram as redes sociais para reclamar. Em alguns casos, a conta chegou a dobrar. Mas, segundo o gerente comercial da Agência Regional da Celesc em Lages, Etamar Eger, há uma explicação para isso e não é o aumento da tarifa.

Para Etamar, o vilão é o verão, que vem junto com as festas de fim de ano. As pessoas recebem visitas, dormem mais tarde, tomam mais banhos, ligam o ventilador e, principalmente, o ar-condicionado com mais frequência.

Além disso, em dezembro, de acordo com o site da Agência Nacional de Energia Elétrica  (Aneel), a bandeira estabelecida foi a amarela, o que significa que houve aumento de R$ 0,010 por quilowatt-hora (kWh) gastos.

Já em janeiro, a bandeira será a verde e a tendência é que a conta seja menor. “Tendo em vista a elevação do consumo de energia elétrica devido ao forte calor registrado, alguns equipamentos consomem mais energia, dentre eles: ar-condicionado, geladeira, freezer, chuveiro e ventilador. Por esse motivo, é interessante ajustar a temperatura da geladeira de acordo com a temperatura ambiente e evitar abrir e fechar a porta. Também deve ser feita a manutenção nas borrachas, evitando que o frio saia dela. Quanto ao chuveiro, a recomendação é ajustar para a posição verão ou o mínimo possível. No caso do ar-condicionado, a temperatura entre 22°C e 23°C graus permite que tenha maior eficiência, sendo que se o local não estiver ocupado, deve permanecer desligado, a fim de evitar o desperdício de energia elétrica”.

No que diz respeito à tarifa, “no mês de setembro houve um reajuste que é anual, e o aumento ficou na média de 13,86%. Já em relação às bandeiras tarifárias, no mês de janeiro é Verde, logo, não será cobrada a tarifa”, explica Etamar.

Bandeiras tarifárias

No valor final da conta de luz, também está incluída o valor da bandeira tarifária, sistema que entrou em vigor em 2015. As bandeiras são das cores verde, amarela e vermelha e indicam se as condições de geração de energia naquele mês são favoráveis ou desfavoráveis. Também entra na conta de luz o valor de contribuição para iluminação pública, que é repassado diretamente para a prefeitura de cada cidade.

Energia consumida

O que o consumidor paga, de fato, é a energia consumida em kWh (quilowatt-hora) multiplicada pela tarifa de energia estabelecida pela Aneel. O valor varia conforme a região do país.

Diferença entre preço e tarifa

Tarifa é o valor a ser cobrado pela prestação dos serviços de geração, transmissão e distribuição de energia. Já o preço é a composição da tarifa com os impostos. O preço final é igual à tarifa somada aos impostos (ICMS e PIS/COFINS).

Todo mês é feita a leitura do medidor de energia da residência para saber qual o consumo em kWh. O consumo mensal é calculado pela diferença entre a leitura do mês atual e a leitura do mês anterior. O consumo do mês é listado no campo “Demonstrativo de Consumo desta Nota Fiscal”, na sua conta de energia.

Como é calculado o valor cobrado na conta mensal de energia?

O valor cobrado pelo consumo mensal é calculado multiplicando o valor do consumo no mês pelo valor da tarifa de energia com impostos. O total de impostos cobrado é listado no final da conta no campo “Informações de Tributos”, nos itens ICMS/PIS/COFINS.

O valor do consumo é calculado somando as potências de todos os equipamentos em kW pela quantidade de horas por dia que utilizamos cada equipamento, durante o período de leitura da concessionária, que varia de 27 a 33 dias.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Hugo

    19/01/2019 at 15:20

    A sim, fiquei 15 dias fora de casa e dobrou o valor da energia, aí tem picaretagem, moro em Blumenau e aqui está uma reclamação que só também

Deixe uma resposta para Hugo Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto:
%d blogueiros gostam disto: