Conecte-se a nós

Notícias

Fisioterapia também ajuda na reabilitação dos animais

Published

em

Fotos: Paulo Chagas/ Divulgação

Atualmente a fisioterapia animal em cães e gatos está difundida na classe médica, com eficácia comprovada de suas técnicas, já adaptadas ou especificamente desenvolvidas para aplicação em animais debilitados por alguma razão.

No Brasil, a fisioterapia é realizada em animais por médicos veterinários fisiatras. Em Lages, mesmo em poucos lugares, a técnica é desenvolvida com eficiência na recuperação pós-cirúrgica, ortopédica, hipotrófica, danos nos nervos, ou até mesmo em animais com hérnias de disco, responsáveis por paralisações.

A médica veterinária, Juliana Fausto Anadon, da Clínica Beija Flor, que é um desses poucos lugares de Lages que aplicam o serviço de fisiatria e reabilitação em cães e gatos, explica que o trabalho requer tempo e paciência.

Porém, o resultado é muito bom. A clínica tem toda a estrutura para o trabalho. Assim, a maioria dos animais tratados recupera quase 100% dos movimentos. No entanto, a recuperação total varia de animal para a animal.

Na prática, eles passam por tratamentos com eletroterapia, laserterapia, ultrassom, cinesioterapia, com aplicação de exercícios de alongamento, técnicas com bola, ponte pênsil, tudo feito em um circuito, de duas a três vezes na semana. “Os proprietários que acompanham a fisioterapia ficam satisfeitos com o resultado final”, ressalta Juliana.

Diagnóstico preciso

O animal com algum problema, ao chegar para atendimento, passa por uma completa avaliação para o diagnóstico preciso. O tratamento fisioterápico começa a ser feito após a descoberta do problema, que pode ser ósseo, muscular, articulares, e até mesmo devido à obesidade.

Entre os cães tratados na Clínica, um deles, um buldogue francês, tem hérnia de disco. Outro, um boxer, teve diagnosticada displasia coxofemoral (doença degenerativa) na perna esquerda traseira, e que já está praticamente recuperada.

Auxiliam a fisioterapia aparelhos de laser-terapia; TENS – que emite ondas de pequenos choques, e ainda o ultrassom. “Todos são instrumentos que ajudam a aliviar a dor e a inflamação”, reforça a médica veterinária.

Anúncio
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: