Conecte-se a nós

Notícias

Exército aguarda 491 jovens em alistamento

Published

on

O alistamento deve ser feito até dia 30 de junho - Foto: Susana Küster

Até o dia 30 de junho, todos os jovens do sexo masculino que completaram 18 anos precisam fazer o alistamento militar. A apresentação é obrigatória, mas durante o processo são feitas seleções com testes físicos e cognitivos. Em Lages, são esperados 491 jovens, destes, 240 serão selecionados para entrar no Exército. O Ministério da Defesa espera que 1,8 milhão de cidadãos façam o alistamento este ano e que cerca de 100 mil sejam incorporados a organizações militares da Marinha, do Exército ou da Aeronáutica para o serviço militar.

Quem tiver CPF poderá fazer o alistamento pela internet, por meio da página www.alistamento.eb.mil.br. Depois disso, os jovens acompanham o processo por meio do site, podendo ser encaminhados à seleção geral ou dispensados. Se o brasileiro estiver em outro país, pode se apresentar na embaixada ou consulado. Os naturalizados, se quiserem, também podem se alistar.

Caso a pessoa não tenha acesso à internet, pode se apresentar em uma Junta Militar e não precisa ser de onde mora. Isso vale também para jovens que não se apresentarem até dia 30 de junho. “Eles concorrem no próximo ano, e, se alguém está em débito com o serviço militar há mais anos, pode vir regularizar a situação”, explica o chefe da 1ª Seção do 1º Batalhão Ferroviário, capitão Vitor Muniz Tomazoni.

É preciso apresentar os originais de um documento de identificação (certidão de nascimento ou carteira de identidade ou de motorista ou de trabalho), duas fotos 3×4 recentes e comprovante de residência.

Importância

Há consequências para quem não se apresenta ao serviço militar. Quem não fizer, terá que pagar multa, além de ficar impedido de tirar passaporte, ingressar no serviço público, obter carteira profissional e se matricular em estabelecimentos de ensino. “Fora que diversas instituições pedem exigir certificado de quitação militar.”O caso de Matheus Claudino Araújo, 25 anos, exemplifica a importância de estar em dia com o serviço militar. Ele serviu em 2011 e, ontem, foi até o 1º Batalhão Ferroviário pedir o certificado de quitação militar porque passou no concurso do Corpo de Bombeiros. “O edital pede isso para quem serviu, senão, não pode assumir a vaga”.

Seleção criteriosa

Tomazoni explica que a maioria quer servir no Exército. Ele acredita que isso acontece pela dificuldade de conseguir emprego e também porque a pessoa tem a possibilidade de seguir carreira.São poucas as vagas para quem quer permanecer no órgão. Tomazoni diz que a maioria quer servir e continuar, mas para isso precisa ter um bom desempenho como recruta e ser digno de confiança para ser escolhido. “Antigamente, quem entrava como recruta podia chegar até sargento, hoje, o máximo que um homem fica servindo são oito anos, podendo alcançar a graduação de cabo. Depois é dispensado.”

Exceções

Homens que cursam Medicina, Veterinária, Farmácia e Odontologia podem solicitar adiamento do serviço militar para depois que concluírem, se apresentarem. “O Exército precisa desse pessoal para trabalhar, principalmente médicos. Eles têm grande chance de servir como médico e receber como oficial.” Há outras exceções. “Pessoas de algumas filiações religiosas, como testemunhas de Jeová ou quem tem deficiência aparente (física ou mental), recebem certificado de isenção. Aqueles com antecedentes criminais graves não são aceitos,” explica o capitão.

Comentários
Compartilhe

Notícias

Governo divulga acordo, mas categoria não reconhece proposta e mantém a greve

Published

on

Por

Foto: Susana Küster

Atualizado final às 23h01 (24/05)

Depois de uma reunião de sete horas, governo e associações que representam caminhoneiros teriam chegado a um acordo. A greve, que já dura quatro dias, poderá ser suspensa por 15 dias. A notícia foi anunciada há pouco, em entrevista coletiva com Eliseu Padilha, Eduardo Guardia e Carlos Marun.

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, garantiu a redução de 10% no preço do diesel. O preço ficará fixo por 30 dias (os últimos 15 dias arcados pela União). A primeira quinzena custaria cerca de R$ 350 milhões a Petrobras como compensação. O ministro diz que o preço de referência é o da refinaria.

Contraponto

O movimento, por sua vez, ainda não vai suspender a greve. De acordo com um dos caminhoneiros, Auri Correia, não há concordância com o que foi acertado em Brasília. Eles dizem que a redução de 10% não vale a pena e pode tornar ainda mais caro o combustível. Se depender deles, a greve continua.

Auri ainda destaca que as alegações ditas nessa coletiva são falsas e que a pessoa que assinou esse acordo com o governo não faz parte do movimento dos caminhoneiros. Ele ainda esclarece que a manifestação vai continuar até aceitarem completamente as reivindicações da categoria, que é a redução total dos impostos.

Os pontos do acordo entre governo e caminhoneiros seriam os citados abaixo, mas que não são reconhecidos pela categoria

  • Preço do diesel será reduzido em 10% e ficará fixo por 30 dias. O valor ficará fixo em R$ 2,10 nas refinarias pelo período
  • Os custos da primeira quinzena com a redução, estimados em $ 350 milhões, serão arcados pela Petrobras. As despesas dos 15 dias restantes ficarão com a União como compensação para a petrolífera.
  • A cada 30 dias, o preço do combustível será ajustado conforme a política de preços da Petrobras e fixado por mais um mês.
  • Não haverá reoneração da folha de pagamento do setor de cargas
  • Tabela de frete será reeditada a cada três meses
  • Ações judiciais contrárias ao movimento serão extintas
  • Multas aplicadas aos caminhoneiros em decorrência da paralisação serão negociadas
  • Entidades e governo terão reuniões períodicas
  • Petrobras irá contratar caminhoneiros autônomos como terceirizados para prestação de serviços

 

*Título atualizado

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Fornecimento de gás natural em rede pode ser afetado pela paralisação em algumas cidades

Published

on

Por

Foto: Divulgação

Em virtude da paralisação promovida por motoristas de caminhão que corre em todo país, a SCGÁS tranquiliza seus consumidores e informa que o abastecimento com gás natural veicular (GNV) aos postos de combustíveis, em sua maioria, não será prejudicado pelas paralizações. Os segmentos industrial, comercial e residencial também não serão afetados.

A SCGÁS atende atualmente 132 postos em Santa Catarina, e apenas nove deles podem ter suas atividades de fornecimento de gás natural afetadas, por serem atendidos pelo modal de gás natural comprimido – nesta alternativa de mercado, o gás natural é retirado da rede e transportado por caminhões até os postos. Os demais clientes do segmento veicular da SCGÁS são abastecidos por meio de redes canalizadas, o que garante fornecimento contínuo e ininterrupto.

Os estabelecimentos possivelmente prejudicados foram alertados pela Companhia, e terão seu abastecimento restabelecido gradativamente ao término da greve. Abaixo, a lista de postos atendidos que podem ser afetados:

  •        Posto AO Petrolages – Lages;
  •        Posto BR 4R – Rio do Sul;
  •        Posto BR Oenning – Braço do Norte;
  •        Posto IP Furnas Sombrio – Sombrio;
  •        Posto BB Fratelli São João do Sul – São João do Sul;
  •        Posto BB Guarujá – Lages;
  •        Posto Neogás Hoffmann – Orleans;
  •        Posto Neogás Michells Beach – Imbituba;
  •        Posto BB MIME 14 – Pouso Redondo;

O GNV, que proporcionava elevados percentuais de economia em relação aos combustíveis líquidos, abriu vantagem ainda maior frente aos seus concorrentes nos últimos dias. Após as altas recentes, com base nos preços médios da ANP em Santa Catarina, o gás veicular passou a apresentar 56% de vantagem comparado à gasolina e 66% em relação ao etanol. Em termos práticos, abastecendo R$ 30 de cada combustível, o motorista anda 65 km utilizando etanol, 82 km com gasolina, e 189 km rodando com GNV.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Pontos da BR 116 com manifestação em Santa Catarina e Paraná

Published

on

Por

Foto: Susana Küster

BR 116 em Santa Catarina:

 

Mafra:

Km 7: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva, sem registro de lentidão. Há paralisação de caminhões e carretas em acostamentos por aproximadamente 3 km em cada sentido.

 

Papanduva:

Km 54: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Caminhões parados no trevo de acesso ao município.

 

Santa Cecília:

Km 138: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

Km 141: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

Km 143: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

 

Ponte Alta do Norte:

Km 166: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

 

Correia Pinto:

Km 217: RODOVIA TOTALMENTE INTERDITADA

 

Lages:

Km 245: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Veículos de carga estacionados em pátio de posto de combustível, não há registro de lentidão.

 

BR 116 no Paraná:

 

Curitiba:

Km 115: interditado para veículos de carga, os mesmos estão estacionados em acostamento, ambos os sentidos. Restante de veículos trafegam normalmente.

 

Fazenda Rio Grande:

Km 125: interditado para veículos de carga, os mesmos estão estacionados em acostamento, ambos os sentidos. Restante de veículos trafegam normalmente;

Km 127: interditado para veículos de carga, os mesmos estão estacionados em acostamento, ambos os sentidos. Restante de veículos trafegam normalmente.

 

Mandirituba:

Km 135: pista norte interditada e tráfego desviado para acostamento, tráfego da pista sul permanece sem obstrução. Não há registro de lentidão;

Km 152: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Veículos de carga estacionados em pátio de posto de combustível e faixa de domínio, não há registro de lentidão.

 

Quitandinha:

Km 166: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Veículos de carga estacionados em pátio de posto de combustível, não há registro de lentidão.

 

Campo do Tenente:

Km 191: ambos os sentidos liberados para veículos leves, ônibus, veículos de emergência e caminhões com carga viva. Veículos de carga estacionados em pátio de posto de combustível, não há registro de lentidão.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Instagram

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©