Notícias

Estiagem não prejudica abastecimento de água

Published

em

Semasa garante que, ao menos por enquanto, não há possibilidade de falta de água em Lages. No Salto Caveiras a água já não passa por cima da barragem - Foto: Núbia Garcia

Nos últimos 30 dias, Lages teve um acúmulo de apenas 30,6 milímetros de chuva, quando a média mensal é de 138,7 milímetros. De acordo com a Central do Tempo, a previsão é que somente a partir do dia 20 possa ocorrer chuva um pouco mais volumosa. A estiagem deixa a população em alerta, pois provoca prejuízos à agricultura e acende a possibilidade de racionamento de água

Apesar do pequeno volume de chuva, a Secretaria Municipal de Águas e Saneamento de Lages (Semasa) garante que, ao menos por enquanto, não há necessidade de racionamento de água. “A gente controla com frequência o nível do rio [Caveiras] e ele está normal. Não há problema de abastecimento no município, mas isso não quer dizer que pode gastar a torto e a direito”, comenta o secretário da pasta, Jurandi Agustini, destacando que é preciso continuar evitando desperdício.

A engenheira ambiental da Defesa Civil de Lages, Roberta Machado, explica que a frente fria que está se aproximando trará pancadas de chuva para todo o Planalto Sul, que poderão ou não ocorrer em Lages.

Ela confirma que a probabilidade de estiagem é pequena. “Como o Caveiras passa por várias outras cidades, se chover nos municípios mais a montante [mais altos], não haverá problema, porque a água vai acabar chegando ao nosso município”.

Se por um lado o risco de falta de água para abastecimento da população é descartado, por outro, os prejuízos da estiagem para a agricultura já são visíveis. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Lages, Carlos Luiz Peron, pastagens de inverno como aveia, azevém e trevo estão sendo bastante prejudicadas.

“Não é só agora, mas nos últimos meses têm chovido abaixo da média e o prejuízo é grande principalmente nas pastagens de inverno, pois algumas não nascem e outras não se desenvolvem devido a falta de chuva. Isso prejudica a alimentação dos animais”, avalia Peron.

De acordo com o meteorologista da Central do Tempo, Piter Scheuer, o volume de chuva dos últimos 30 dias é pequeno e, como não há previsão de chuva intensa para as próximas semanas, é provável que agosto também termine com chuva abaixo da média.

“Há chance de chuva mal distribuída [entre segunda e terça-feira], pode chover 10 milímetros em uma cidade e na cidade vizinha não chover. Haverá apenas chuva irregular e mal distribuída, que não vai acontecer em todos os pontos”, afirma.

clique para comentar

Deixe uma resposta