Notícias

Em ação silenciosa, assaltantes levam R$ 120 mil dos Correios

Published

em

Agência foi interditada para que o Instituto Geral de Perícias pudesse fazer a perícia do local - Fotos: Núbia Garcia

O barulho do helicóptero Águia 4, da Polícia Militar, sobrevoando o céu de Correia Pinto, na manhã desta quinta-feira (27), despertou a curiosidade da população. Alunos reclamavam que o barulho atrapalhava as aulas e adultos tentavam entender do que se tratava.

Não demorou muito para que todos soubessem. Em uma ação silenciosa, bandidos renderam funcionários da Agência dos Correios da cidade e fugiram levando cerca de R$ 120 mil e as imagens das câmeras de videomonitoramento.

Os vizinhos contam que não notaram nada de estranho, até a hora em que os funcionários saíram e começaram a chegar carros de polícia. “Eu estava estendendo roupa e vi as portas fechadas, mas achei que eles estavam em reunião, porque isso é comum. Fiquei chocada quando soube que era um assalto”, conta uma das moradoras das redondezas, que preferiu não se identificar.

A ação

De acordo com os funcionários, a agência abre às 9 horas, mas os trabalhadores chegam a partir das 8 horas, cada um em horário diferente. Quando a primeira funcionária chegou, por volta das 8 horas, um homem de estatura mediana, aparentando ter por volta de 35 anos, entrou na agência e anunciou o assalto. Armado, ele rendeu a mulher e amarrou-a.

Na sequência esperou que os outros funcionários chegassem, recebeu um por um, informando sobre o assalto e rendendo-os. Ao todo, foram rendidos seis empregados e a diarista, que ficaram no interior da agência e foram amarrados com fitas.

“Quando entrei ele me chamou pelo meu nome e foi simpático. Quase cumprimentei com um abraço. Daí ele falou que era um assalto e me rendeu. Fiquei muito nervosa e chorando bastante”, conta uma das funcionárias. Ainda em choque no momento em que a reportagem do Correio Lageano chegou, os funcionários preferiram não ter seus nomes revelados.

Outro trabalhador contou que o assaltante se comunicava por telefone com alguém que estava do lado de fora e que, apesar de armado, não ameaçou nem foi violento com os reféns. Segundo relato, o bandido foi gentil o tempo todo, mas próximo ao momento da fuga ficou nervoso e isso assustou aos reféns.

Quando o gerente da agência chegou, o assaltante o fez abrir o cofre, pegou o dinheiro que havia no local, as imagens da câmera de segurança e avisou para uma das reféns que usaria seu carro para fugir, mas que abandonaria em algum lugar para que ela pegasse de volta. A dona do carro teria dito que sua chave de casa estava no interior do veículo, então o bandido buscou a chave e entregou para ela antes de sair.

A fuga

O assaltante saiu da agência com a Duster da funcionária e andou por cerca de 400 metros, onde trocou de veículo. No local, segundo moradores, havia um Pálio verde que estava estacionado, pelo menos, desde às 7 horas da manhã.

Um morador viu dois homens entrarem neste carro, logo depois das 9 horas, e saírem do local, mas afirma que a ação não lhe causou estranheza, pois eles não fizeram nada que pudesse despertar desconfiança. Durante toda a manhã, equipes de inteligência da Polícia Militar fizeram buscas aéreas e por terra, mas não localizaram o veículo, tampouco os suspeitos.

O carro da funcionária usado para a fuga, foi abandonado há cerca de 400 metros do local do assalto

Quadrilha especializada pode ser responsável

A ação durou pouco mais de uma hora, foi muito silenciosa e, aparentemente, bem arquitetada, pois o assaltante e quem o esperava no carro não fizeram estardalhaço e passaram despercebidos pelos moradores das redondezas.

De acordo com o delegado da Polícia Civil responsável pelo caso, Thiago Gomez, o fato de o assaltante não usar nada para esconder o rosto causa estranheza. Além disso, pelo formato que a ação se desenrolou, com cautela e aparentando ser premeditada, Gomez acredita que pode se tratar de uma ação de uma quadrilha especializada, pois o assaltante que rendeu os funcionários aparentava conhecer a rotina da agência.

“Pelo menos quem fez o roubo já tinha feito uma avaliação prévia [sobre os funcionários e a agência]. Além disso, foi tudo cronometrado, escaparam evadindo-se por onde não há câmeras da polícia, foi muito estratégico”, avalia.

O veículo usado na fuga foi identificado por câmeras de segurança de uma residência próxima ao local onde tudo aconteceu. Segundo Gomez, a Polícia Civil coletou todas as informações preliminares, porém, como a Agência dos Correios é uma empresa pública federal, o caso será repassado para a Delegacia de Polícia Federal, em Lages, que será responsável por instaurar inquérito e dar continuidade às investigações.


Assaltos na Serra Catarinense são frequentes

20 janeiro – Lages

Dois funcionários do Frigorífico Seara, foram amarrados durante um roubo registrado na madrugada de sexta, no escritório da empresa, na Rua Juscelino Kubitschek de Oliveira, Acesso Norte, em Lages.  Conforme o Boletim de Ocorrências da Polícia Militar, dois funcionários disseram que foram vítimas de roubo praticado por três masculinos, sendo que dois deles estavam portando armas de fogo. Os bandidos foram ao escritório em busca de dinheiro e causaram alguns danos.

A informação é que o trio teria levado apenas os aparelhos celulares dos funcionários e deixados os dois amarrados. A identidade das vítimas não foi divulgada. A PM realizou buscas, mas nenhum suspeito foi preso.

8 março – Campo Belo do Sul

Porta trancada, pedido de socorro, medo e apreensão. Moradores da pacata cidade de Campo Belo do Sul, na Serra, viveram momentos tensos durante assalto à agência do Sicoob daquele município. Ação durou menos de 10 minutos, mas foi suficiente para assustar a população, principalmente quem presenciou a ação criminosa.

O assalto ocorreu por volta das 11h30. Armados e encapuzados, quatro bandidos entraram no banco, após estourarem os vidros do estabelecimento com marretas. O bando pegou o dinheiro que estava nos caixas e fugiu. Na ação, chegou a tomar a arma do vigia da agência.

O vendedor Tcharles Martendal Urbano, de 25 anos, que trabalha comercializando batatas em um caminhão em frente ao banco, do outro lado da rua, contou que ficou assustado quando percebeu o roubo. “Foi uma cena de cinema, nunca tinha visto algo parecido”, disse.

Ele viu a hora que os criminosos invadiram a agência. Quando se deu conta que era um assalto, afastou-se com medo de ser atingido com uma bala perdida. “O assalto durou de cinco a seis minutos. Os criminosos fugiram em direção a Lages”.

7 abril – Lages

Alex Maurício Magarinos, de 44 anos, conhecido promotor de eventos de Lages, foi assaltado na manhã do sábado (7), por volta das seis horas, quando chegava na sua casa na Rua Porto Seguro, Bairro Guarujá. Ele estava com Alan Patrick da Silva Rodrigues, que há dois anos trabalha com ele.

Quando os dois chegaram numa caminhonete L200 na casa de Alex, depois do show do grupo Raça Negra, do qual Alex era um dos promotores, foram abordados por dois homens que anunciaram o assalto. Os dois homens estavam sem máscaras, mas com touca de moletom, e armados, um com uma garrucha e outro com pistola. Eles chegaram pedindo o malote com o dinheiro arrecadado com a festa.

21 abril -Lages

Um empresário foi atingido por um tiro após um assalto, no Bairro Santa Mônica, em Lages. O homem de 55 anos, identificado como V.F.R levou um tiro no peito, mas o seu quadro era considerado estável. A ocorrência foi registrada no final da tarde de sexta-feira (20).

De acordo com relatos, a empresária C.S.P estava pagando uma funcionária, quando um homem invadiu a propriedade pela janela e anunciou o assalto. Ele estava armado e mandou as duas mulheres irem para uma sala ou senão, atiraria nas duas. O suspeito pediu dinheiro e furtou três celulares. Após esta ação, ele fez uma ligação, liberando a entrada de outro assaltante na propriedade.

7 maio – São José do Cerrito

Foram minutos de tensão e desespero para quem estava dentro e fora da Cooperativa de Crédito, Sicoob – Credicarú, no Centro de São José do Cerrito, na Serra Catarinense. Era por volta das 10h30, de segunda-feira (7), dia típico de pagamento e também de movimento, na cidade de pouco mais de nove mil habitantes.

Um Peugeot, de cor prata, com placas de Pomerode, estacionou em frente à cooperativa, cinco homens encapuzados com coletes escritos – Polícia Civil – portando grandes armas, entraram na agência e anunciaram o assalto.

Quem estava do lado de fora correu para a farmácia, supermercado, lanchonete e restaurante. Até na Unidade de Saúde as pessoas foram se esconder. É que muitas pessoas estavam no local para fazer compras ou realizar atividades bancárias.

As portas do carro ficaram abertas. Ao entrarem na agência, os homens quebraram a porta de vidro com uma marreta, e pediram para que todos deitassem no chão de barriga para baixo. Três bandidos procuraram de imediato pelo gerente, que ao reagir levou uma coronhada na nuca.

Após saírem da cidade os assaltantes viajaram pela BR-282, sentido a Lages e pararam na localidade Lajeado da Taipa, onde incendiaram o veículo. Uma pessoa relatou que foi encontrado perto do veículo uma sacola com as toucas usadas na ação, além de notas fiscais de Balneário Camboriú.

9 maio – Lages

Um homem foi preso na tarde desta quarta-feira (09), em Biguaçu após assaltar um Salão de Beleza. De acordo com a Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 11h30, na Rua Major Joatã, no Bairro Conta Dinheiro, em Lages.  O criminoso entrou no estabelecimento dizendo que estava armado. Duas pessoas foram trancadas no banheiro. O assaltante fugiu levando um celular marca Samsung e um veículo Nissan Kicks.

As guarnições realizaram rondas, porém não foi localizado o autor do roubo. A Polícia Rodoviária Federal foi avisada. À tarde, o veículo foi abordado em Biguaçu. O condutor foi identificado como o autor do assalto em Lages. Ele foi preso e em encaminhado para a delegacia de Polícia Civil de São José .

10 maio – Bocaina do Sul

Uma agência do Banco do Brasil foi alvo da ação de bandidos na noite de quinta-feira (10), no Centro de Bocaina do Sul. De acordo com informações da Polícia Militar, o cofre foi arrombado. O valor levado pelos criminosos não foi divulgado.

As guarnições de Lages, Bocaina do Sul, Otacílio Costa, Rio Rufino e Painel, realizaram rondas. Porém ninguém foi localizado, foi acionada a Polícia Civil e Instituto Geral de Perícias (IGP).  O arrombamento ocorreu por volta da 01h40 da madrugada.

2 de agosto – Ponte Alta

Para os moradores de Ponte Alta, a cena do arrombamento a Agência do Banco do Brasil não espanta mais. Na manhã da quinta-feira (2), horas depois de o prédio ficar destruído, a rotina da população voltou ao normal e quem passava na frente da agência nem se importava com as paredes, tetos e vidros quebrados. De acordo com relatos, esta é a quinta vez que o banco foi arrombado.  

A ação dos bandidos começou às 3h e terminou às 3h08. Este curto espaço de tempo foi o suficiente para que colocassem um explosivo em uma das paredes laterais da agência, que destruiu quase toda a estrutura.

Entretanto, os bandidos saíram de mãos vazias, já que não havia dinheiro no banco. Uma reforma geral foi concluída na quarta-feira na agência, que emprega três servidores e três funcionários terceirizados.

30 agosto – Otacílio Costa

Depois de roubar a terceira farmácia em Otacílio Costa, um homem foi preso pela Polícia Militar. O último roubo foi na quarta-feira (29) na Farmácia Preço Popular, na Avenida Olinkraft, no Centro Comercial da cidade. Era perto das 13 horas quando a balconista estava agachada arrumando remédios em uma prateleira e, ao virar, se deparou com um homem que se aproximou com a mão na cintura e pediu o dinheiro do caixa. Os três caixas do estabelecimento estavam com dinheiro.

A vítima entregou R$1.600,00 em uma sacola da farmácia. Ela relatou aos policiais que o homem fugiu e falou para ela não chamar a polícia. A mulher viu o ladrão se dirigir a um táxi que partiu sentido à Igreja São José.

Os policiais iniciaram as buscas na direção informada pela vítima. Quando encontraram o taxista, na localidade de Monte Alegre, já retornando para Otacílio Costa, ele reconheceu, por meio de foto, o suspeito. Disse que o teria deixado na cidade de São Cristóvão do Sul. A corrida foi feita pelo valor de R$150,00.

Com essas informações, os policiais foram até São Cristóvão do Sul, onde, em conversa com moradores, foram informados que o homem havia sido visto próximo ao Supermercado Terral e, logo depois, teria pego uma carona com um morador local, com destino a Curitibanos.

Assim, os policiais seguiram até Curitibanos onde o assaltante foi encontrado em frente à casa de sua mãe. Em mãos, o suspeito tinha sacolas com várias peças de roupas e a quantia de R$ 550,85. O homem confirmou o crime e recebeu voz de prisão, sendo algemado e levado de volta para Otacílio Costa.

Reconhecido pela atendente da farmácia, o autor também confessou autoria de dois outros roubos na Farmácia Capistrano, no dia 27 de agosto, e na Farmácia do Sesi, no dia 22 de agosto.

clique para comentar

Deixe uma resposta