Conecte-se a nós

Entretenimento

Dois filmes lageanos selecionados em mostra do Sesc

Published

em

Fotos: Coração Delator/Divulgação

Duas produções lageanas serão exibidas em todo o Estado, durante a II Mostra Sesc de Cinema. Edgar e o Reino Submerso, e A Última Chama, ambas da produtora Coração Delator. As apresentações acontecerão em Lages, Laguna e Florianópolis, em abril, e estão na disputa para serem transmitidas nacionalmente.

A publicitária e cineasta Paula Abreu teve sua estreia como diretora de curta com um dos seus trabalhos selecionados. A Última Chama conta a história de um homem que vive isolado, segue sempre a mesma rotina eacaba transformando suas melhores lembranças nos piores pesadelos. Para ela, é gratificante ver um trabalho ser reproduzido em todo o Estado e destaca que a oportunidade para o cinema lageano é importante, já que, muitas vezes, não há reconhecimento.

Paula possuía experiência em direção de vídeos publicitários e participou de produções de curtas e documentários. Com convite do roteirista e co-diretor Armin Reichert, teve uma experiência emocionante. “Trabalhar com cinema é um aprendizado constante. Sou apaixonada por cinema, desde a criação do roteiro até a finalização do filme, e ver a reação do público durante a exibição é algo muito especial”, ressalta.
Para a produção do curta, a equipe ficou por dois dias em uma cabana, em uma área isolada da cidade. Mesmo com dias intensos, ela ressalta que foi um período de diversão, sintonia e entusiasmo.

Valorização feminina

Recentemente, um movimento pela valorização das produções dirigidas, produzidas e pensadas por mulheres têm ganhado força. Paula acrescenta que, esse movimento, mexe em com ela pessoalmente, já que estando na área há algum tempo, sabe que a luta pela valorização é diária, assim como a luta pelo reconhecimento pela igualdade e respeito. “Em Lages ainda é muito forte a cultura machista. Há muita luta pela frente”, enfatiza.

Edgar e o Reino Submerso

Armin, que co-dirigiu e estrelou A Última Chama, também foi selecionado com seu mais recente trabalho, o curta Edgar e o Reino Submerso. Uma adaptação atual da lenda da serpente do Tanque, o filme foi produzido com apoio do edital da Fundação Cultural de Lages. O cineasta afirma que o prêmio possibilitou a realização do filme com qualidade técnica e suporte necessários. “Dessa forma, mostra-se a importância de incentivos como este, já que auxilia na evolução dos artistas. O Edgar ajudou a levar o nome da nossa cidade a todo Estado, então, só prova que o prêmio é um investimento necessário e com uma resposta positiva”.

Sobre a seleção para o festival, Armin revela que é muito satisfatório ver seu trabalho em diversas salas de cinema, como as do Sesc. “E, também, traz visibilidade a nossa cidade no cenário estadual, representatividade e reconhecimento para a cena de cinema que temos. Agora, pode alcançar o Estado todo. Essa mostra vem trazer o recado de que a produção de cinema em Santa Catarina não está centralizada em uma cidade, e que ela é ampla e em expansão.”

 

Anúncio
%d blogueiros gostam disto: