Conecte-se a nós

Notícias

Delegada Luciana Rodermel faz levantamento de números da Polícia Civil

Published

on

Luciana Rodermel é Delegada Regional - Foto: Susana Küster

Há 16 anos, Luciana Rodermel, 41 anos, atua como delegada de polícia. Ela está em Lages, desde 2006, mas foi em janeiro de 2011 que assumiu como delegada regional. Antes de trabalhar nesta função, ela era servidora do Poder Judiciário. É natural de Curitibanos e se formou em Direito pela Uniplac. Nesta entrevista ao CL, traz números da Polícia Civil e um levantamento das atividades.

Correio Lageano: Quais as principais dificuldades da Polícia Civil hoje? Existe uma forma de resolvê-las?

Luciana Rodermel: Uma das principais dificuldades da Polícia Civil, atualmente, é a de comprometimento da população no auxílio a apuração dos crimes, através de informações importantes e na negativa de aquisição de produtos com origem desconhecida, comumente produtos de furto e roubo.

Em relação ao efetivo da Polícia Civil. Existe previsão de aumento? Se sim, para quando e quantos policiais a mais para Lages e/ou região?

Estamos com efetivo razoável, não o ideal, mas o suficiente para atendimento da demanda mais urgente. Nossa carência de profissionais específicos será atendida através do concurso público já em andamento.

Quais números do levantamento da Polícia Civil feito no ano passado?

Registrados em Lages 108 mil veículos, sendo que 3,5 mil são novos e 25 mil transferências. Por dia, em média 700 pessoas são atendidas, mas em dias de pico pode  passar de 1,2 mil pessoas. No fim do ano, a expectativa é que os números sejam maiores, devido a implantação de um sistema eletrônico de senhas que contabiliza todos os atendimentos.

Qual dos números se destaca em relação a investigação da Polícia Civil?

Todos os homicídios ocorridos em Lages em 2017 foram elucidados e também houve um decréscimo no número de casos de embriaguez ao volante. Das prisões feitas em 2016, 48% foram devido a embriaguez e no ano passado, o número caiu para 25%. Isso se deve a conscientização e também às campanhas realizadas pelos órgãos.

Haverá uma mudança no comando da Secretaria de Segurança Pública. Isso pode afetar o comando da delegacia regional?

Não há como antecipar nada, porque estamos esperando o posicionamento do novo comando, certamente na semana que vem haverá novidades.

Por ser mulher, a senhora já enfrentou alguma dificuldade como delegada regional?

Sou delegada há 16 anos e como regional atuo desde 2011. Neste tempo todo, não posso dizer que enfrentei algum problema com relação a gênero. O empoderamento feminino passa muito por uma questão de postura, vivência e racionalização. Há limites para qualquer gênero, o que precisamos amadurecer é que nem sempre uma restrição ocorre só em razão do gênero. O empoderamento não nos é dado, é intrínseco.

A delegacia mudou recentemente de estrutura. Quais as mudanças, além do espaço maior e também do sistema eletrônico de senhas?

O sistema de senhas mais moderno nos traz dados reais e como o espaço é maior, as pessoas têm mais conforto. A prova de CNH agora é toda eletrônica e mais rápida, além de ser blindada contra qualquer fraude. O índice de aprovação está até maior. As pessoas quando fazem renovação da carteira de motorista, já podem fazer foto na delegacia. Tem também a questão do local, que possui amplo estacionamento e acesso mais facilitado.

Qual a avaliação do seu trabalho efetuado até agora como delegada regional?

Dedicamos sete anos para, além de dar suporte e apoio para as unidades nos trabalhos de polícia judiciária, melhorarmos a estrutura física das delegacias, além da disponibilização de viaturas, armamento, treinamento e equipamentos de segurança para melhor atuação de cada policial. Nosso esforço é no sentido de atender da melhor forma possível a população e também nosso policial, numa dinâmica de gestão voltada para que cada policial tenha comprometimento com seu trabalho, seja cobrado por isso, mas conte com mecanismos que o auxiliem na realização desse trabalho. A grande realização, até agora, é a construção da nova sede da Delegacia Regional, inaugurada em dezembro de 2017. O governador Raimundo Colombo e sua equipe entenderam que a obra era importante e possibilitaram a construção do prédio, que hoje atende a toda população lageana e da região. Avaliamos que nossa equipe trabalha muito, desempenha um trabalho exemplar e tanto a Polícia Civil quanto a comunidade podem colher esses frutos.

Comentários
Compartilhe

Notícias

Carro invade loja após acidente, em Lages

Published

on

Fotos: Divulgação

Um carro invadiu uma loja de materiais elétricos por volta das 20h50 de terça-feira (17). O condutor de veículo Citroen C4, perdeu o controle da direção após se envolver em um acidente com um Honda Civic, no cruzamento das Ruas Marechal Deodoro e Cândido Ramos, no Centro de Lages. Os condutores que não tiveram a identidade divulgada, não se feriram.

Segundo a Polícia Militar, o Citroen seguia pela Rua Marechal Deodoro, sentido Centro/Bairro, quando teve a lateral atingida por pelo Honda, que teria invadido a preferencial.

Com o impacto, o motorista do perdeu o controle do carro, foi parar dentro da loja Fendamix . Grades e vidros foram arrancados.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Princípio de incêndio assusta moradores do Vila Esperança

Published

on

Foto: Patrícia Vieira

Um princípio de incêndio assustou os moradores da Rua Fernando Machado de Souza, no loteamento Vila Esperança, no Bairro Guarujá, em Lages, na manhã desta quarta-feira (18).

O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 8 horas, porém quando chegou ao local, o fogo já havia sido controlado, sem maiores danos. Apenas a proprietária da casa estava no local no instante do incêndio. Ela conseguiu sair de casa e pedir ajuda. Ninguém se feriu.

Segundo a moradora, Noeli da Silva Leodoro, de 59 anos, o  fogo começou em um dos cômodos da casa e a suspeita é que a parte elétrica tenha ocasionado o incêndio, porém, será necessária a perícia para confirmação.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

“Não teve como reverter”, diz médico sobre morte de paciente

Published

on

O Pronto Atendimento tem sofrido com a superlotação, o que acaba sobrecarregando o trabalho da equipe de médicos e enfermeiros - Foto: Adecir Morais

O diretor técnico do Pronto Atendimento de Lages, Pedro Iung disse, nesta terça-feira (17), que a equipe que atua na unidade fez de tudo para evitar a morte de uma mulher, de 55 anos, que deu entrada no local, na última segunda (16). Ele narrou a cronologia dos fatos e garantiu que todo o atendimento foi feito dentro do que determina o protocolo de atendimento.

De acordo com ele, a paciente, que morava em São José do Cerrito, chegou na unidade às 14h47, trazida por familiares. Às 14h51, passou pelo setor de enfermagem, quatro minutos mais tarde, recebeu atendimento de médicos e enfermeiros na sala de emergência. Ela morreu após sofrer uma parada respiratória, depois de sucessivas manobras na tentativa de reanimá-la.

Pedro afirmou que a mulher deu entrada na unidade em estado grave e com sintomas de infarto. No setor de emergência, recebeu todo o atendimento necessário. “A paciente chegou em estado gravíssimo, não teve como reverter [a morte]”, declarou o diretor, salientando que a mulher tinha histórico de pressão alta, diabetes, tabagismo e infarto.

Em relação a uma possível queda da paciente enquanto recebia atendimento, o diretor destacou que, ao tentar levantar-se da maca, ela foi acudida por uma enfermeira, mas “escorregou” e ficou de “joelhos no chão”, sendo socorrida imediatamente pela equipe de enfermagem.

“Em absolutamente nenhum momento a paciente ficou sozinha ou deixou de ser atendida. Infelizmente, a morte aconteceu em decorrência do problema cardíaco, conforme consta no atestado de óbito”, reforçou uma nota encaminhada pela Secretaria Municipal de Saúde. O CL não conseguiu contato com familiares da mulher.

Onde buscar atendimento

Em Lages, existem dois estabelecimentos que atendem casos de urgência e emergência (Pronto Atendimento e Hospital Nossa Senhora dos Prazeres – HNSP). O diretor explicou que, pelo SUS, quando um paciente apresenta sintomas de infarto, precisa ser atendimento no Pronto Atendimento primeiro.

Nesta unidade, é avaliado o tipo de atendimento que o paciente precisa. Se houver diagnóstico de infarto, o médico encaminha o caso ao setor de emergência do HNSP, referência regional em cardiologia.

A unidade avançada do Samu também pode encaminhar casos de infarto para este setor. Pacientes que vêm do interior, encaminhados com diagnóstico, também são levados para este setor. Todos os atendimentos de urgência e emergência em Lages, exceto os casos de acidente de trânsito, precisam ser atendidos no Pronto Atendimento.

Vale lembrar que esta unidade, tem sofrido nos últimos dias com a superlotação, o que acaba sobrecarregando o trabalho da equipe médica e de enfermagem da unidade. Só nesta terça, havia 26 pacientes aguardando vagas em hospitais do município, sem falar de dezenas de pacientes que esperavam nos corredores.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Instagram

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 - Centro - CEP: 88502-000 - Lages (SC) - Brasil . Contato - Fone: 49 3221.3300 e-mail: correiolageano@correiolageano.com.br

Todos os direitos autorais são propriedade/responsabilidade do Correio Lageano. A reprodução, adaptação, modificação ou utilização do conteúdo disponibilizado neste site, parcial ou integralmente, é expressamente proibida sem a permissão prévia por escrito do CL ou do titular dos direitos autorais.