Conecte-se a nós

Notícias

Criminosos abatem vaca ao ar livre no Salto Caveiras

Published

em

Foto: Divulgação

Mais um crime de furto de gado foi registrado na região, na última semana. O abigeato, como é nomeado este tipo de crime, tem aumentado significativamente, o que resultou na necessidade de uma operação de fiscalização conjunta entre a Polícia Civil e a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), no mês passado.

No madrugada de 28 de abril, bandidos entraram em uma propriedade no interior da localidade de Santa Terezinha do Salto e carnearam uma das vacas da fazenda. O animal estava em período final de gestação e o bezerro também foi assassinado.

A contadora Nicole Gödel, filha do proprietário da fazenda, postou sua indignação nas redes sociais, cobrando segurança e patrulhamento para a região. Além disso, ressaltou a crueldade do crime e a frequência em que tem acontecido na região, além dos assaltos nas residências. Nicole acrescenta que, pela forma como foi cometido o crime, a pessoa tem conhecimento sobre carnear animais.

O irmão de Nicole, Wilhelm, relata que os casos na região têm sido frequentes. A família registrou boletim de ocorrência, mas a Polícia Civil não esteve na propriedade. Wilhelm ressalta que há 30 anos criam gado e esta foi a primeira vez que passaram por situação parecida. “É bem revoltante, pela forma que foi encontrada a vaca e pelo fato de o animal estar prenho”, acrescenta.

Como o caso aconteceu na região de Santa Terezinha do Salto, o crime foi registrado na 3ª Delegacia de Polícia de Lages. Atualmente, o delegado que responde pelo caso, é o Sérgio Roberto de Sousa, que também responde pela Divisão de Investigação Criminal (DIC). Ele explica que, até o momento, não recebeu inquérito sobre o caso.

Em novembro do ano passado, o delegado Raphael Bellinati, de Campo Belo do Sul, em conjunto com a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, realizou a apreensão de quatro suspeitos de furtarem mais de 40 cabeças de gado na região da Coxilha Rica em outubro de 2017.

Sobre este tipo de crime, Bellinati acrescenta que a confecção de Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima é de extrema importância para dar início à buscar a solução. Além do crime de furto, a ação também é considerada crime ambiental, pelo abate ilegal do animal.

Anúncio
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: