Cresce a confiança do consumidor, indica pesquisa do SPC e CDNL – CL+
Conecte-se a nós

Negócios

Cresce a confiança do consumidor, indica pesquisa do SPC e CDNL

Published

on

Dos consumidores ouvidos, 83{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} consideraram más as condições atuais da economia - Foto: Sandy Huffaker/ Getty Images/ AFP/ Divulgação

Os brasileiros estão mais confiantes na economia do país e com a possibilidade de uma melhoria em sua situação financeira. É o que mostra a pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em parceria com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O índice de confiança do consumidor brasileiro aumentou 2,4{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} entre setembro e outubro, elevando a medição de 41,3 pontos para 42,1 pontos.

Pela metodologia, em uma escala de 0 a 100 pontos, quanto mais próximo da pontuação máxima, maior é a percepção de otimismo. O Indicador de Confiança é composto pelo Subindicador de Expectativas, que subiu de 52,7 para 54 pontos, e pelo Subindicador de Condições Atuais (de 29,8 pontos para 30,3 pontos).

Na avaliação do presidente da CNDL, Honório Pinheiro, o país está retomando o crescimento, embora ainda de forma lenta. Ele acredita que a percepção virá nos próximos meses e com isso haverá um resgate maior da confiança. “A mais aguardada mudança é a redução do desemprego, que já registrou queda nos últimos meses, mas ainda permanece elevado e foi fortemente influenciado pelo aumento da informalidade”, disse o executivo.

Dos 801 consumidores ouvidos, 83{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} consideraram que as condições atuais da economia brasileira ainda não são boas. Para 42{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} desses entrevistados, um dos principais pontos negativos é o desemprego.

Embora reconheçam que a inflação vem caindo, 30{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} ainda veem os reajustes de preços como um obstáculo ao crescimento econômico. Para 13{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7}, o que prejudica são os juros altos. Outros 14{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} dos consultados avaliaram como regular o desempenho e 2{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} acharam que o país está vivendo um bom momento.

Apesar de ter prevalecido a percepção mais negativa, o levantamento indicou que há menos consumidores insatisfeitos com a sua própria condição financeira do que em relação à economia do país. Para 41{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} dos sondados, o quadro é ruim ou péssimo, enquanto 47{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} indicaram como regular e classificaram como bom.

Quando questionados se estavam exercendo alguma atividade remunerada, mais da metade (57{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7}) respondeu que sim; 27{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} demonstraram receio de ser demitidos e 31{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} consideraram baixa essa possibilidade.

Os que demostraram mais ceticismo alegaram ganhos baixos e dificuldades para pagar as contas, segundo apontaram 43{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} dos consumidores. O desemprego foi a queixa de 32{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7}, a queda da renda familiar de 16{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} e 4{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} disseram ter tido algum imprevisto que atrapalhou o orçamento.

Já 70{e0a27478f1ebbd5b427ff8a22f664cc767415f3c93393eb5a980a462dbe958f7} afirmaram que estão bem com a sua vida financeira por fazer um bom controle de seu orçamento. A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti,recomenda que é importante colocar a organização das finanças entre as prioridades. Ela lembra que gastar mais do que se ganha pode ser “a raiz do endividamento, da inadimplência”.

Comentários

Negócios

Fecam defende liberação de fundo

Published

on

Por

Foto: Alesc/Divulgação

Preocupada com a retomada do crescimento da economia nos municípios, a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) se juntou aos pedidos do Governo do Estado de Santa Catarina e encaminhou ao Banco Nacional de Desenvolvimento – BNDES e ao Ministério da Fazenda, nesta quinta-feira, 15, uma solicitação de celeridade no processo de liberação dos recursos do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam 2). A entidade também enviou o documento, assinado pelo presidente Volnei Morastoni, prefeito de Itajaí, ao Fórum Parlamentar Catarinense para que os deputados federais e senadores auxiliem nas tratativas de destravamento do financiamento.

A Federação entende que os recursos do fundo são estratégicos para a indução do desenvolvimento econômico e social, em prol da geração de renda, emprego, riqueza e ampliação da produtividade dos setores econômicos. “A capacidade de investimentos dos municípios catarinenses é cada vez menor. Entre 2006 e 2016, foi, em média, de 5% da arrecadação total. Isso reforça a importância do Fundam para que todos os prefeitos e prefeitas tenham condições de concretizar obras que são reivindicadas pela população”, observa Morastoni.

A entidade demonstra que com os recursos do Fundam 1, repassados efetivamente entre 2014 e 2016, houve um crescimento de 20,48% nos investimentos feitos pelos municípios, o que contribuiu para amenizar os efeitos da crise econômica sobre a renda e geração de empregos em Santa Catarina. Isso porque os investimentos em infraestrutura, destinação de grande parte dos recursos, são importantes para promover a ampliação e manutenção do crescimento econômico e desenvolvimento catarinense.

Fundam 2

O investimento previsto para a nova edição é de R$ 700 milhões. As áreas previstas para destino dos recursos são: infraestrutura (logística e mobilidade urbana); construção e ampliação de prédios nas áreas de educação, saúde e assistência social; construção nas áreas de desporto e lazer; saneamento básico; aquisição de equipamentos, veículos e materiais destinados aos serviços de saúde e educação; e aquisição de máquinas e equipamentos rodoviários novos, fabricados em território nacional.

Comentários
Continue Lendo

Negócios

Cidasc divulga chamada para contratação aprovados nos concursos de 2016

Published

on

Foto: Arte: Ascom/ Cidasc/Divulgação

O Diário Oficial do Governo do Estado de Santa Catarina publicou na edição do dia 8 de dezembro de 2017 a resolução n° 29/2017, que autoriza a contratação de 228 novos servidores para a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina. Serão contratados 50 médicos veterinários e 178 auxiliares operacionais aprovados nos concursos 001 e 002 de 2016. A contratação será realizada de forma gradativa, sendo 50% do quantitativo em março de 2018 e os outros 50% em julho de 2018.

De acordo com o presidente da Cidasc, Enori Barbieri, a contratação de médicos veterinários e auxiliares operacionais representa um reforço na equipe técnica da Cidasc, ampliando a capacidade do Estado de preservar a saúde pública, executar ações de sanidade animal e coibir entrada e disseminação de pragas e doenças nas lavouras e pomares do estado.

“Para manter o status de único estado do Brasil livre de febre aftosa sem vacinação e o status de zona livre de peste suína clássica, precisamos de uma estrutura adequada e de técnicos capacitados. O Governo do Estado está cumprindo um compromisso que assumiu com o setor, garantindo as condições favoráveis para o fortalecimento e desenvolvimento da agropecuária catarinense”, disse Barbieri.

Médicos Veterinários

Os profissionais irão coordenar a execução dos programas sanitários nacionais e estaduais, orientar produtores e cidadãos, fiscalizar o cumprimento de normas, além de inspecionar produtos e subprodutos de origem animal e desenvolver atividades de educação sanitária. Os resultados dessas ações beneficiam diretamente mais de 200 mil produtores em Santa Catarina e garantem o acesso dos produtos catarinenses a mais de 150 mercados de consumo.

A diretora de defesa agropecuária, Priscila Belleza Maciel, explica que os profissionais nomeados vão se dedicar ao fortalecimento da Defesa Agropecuária em Santa Catarina. “O trabalho desempenhado pelos médicos veterinários garante suporte fundamental à sanidade dos rebanhos e à produção de alimentos seguros aos consumidores nacionais e internacionais”, conclui Priscila.

 

Auxiliares Operacionais

Uma das principais atividades realizada pela Cidasc para promover medidas de proteção sanitária é a fiscalização de veículos e cargas em barreiras sanitárias nas divisas do estado ou em barreiras móveis nas estradas. Este trabalho é realizado por médicos veterinários, engenheiros agrônomos e pelos auxiliares operacionais.

Priscila destacou que este é um trabalho silencioso, mas de total importância para a manutenção dos status sanitário já conquistados e para avanço no controle e erradicação de pragas e doenças que colocam em risco a saúde pública, a sanidade animal, vegetal e os interesses econômicos do Estado.

O sistema de barreiras sanitárias, funciona o ano inteiro, 24 horas por dia, sete dias por semana, para garantir um dos maiores patrimônios do estado: a sanidade agropecuária de Santa Catarina.

Veja a lista completa de aprovados e o processo de convocação no link.

Comentários
Continue Lendo

Negócios

2017 com maior variação no volume de vendas

Published

on

Por

Foto: Divulgação

O resultado do volume de vendas do varejo restrito – sem atividades de material de construção e veículos- foi o mais expressivo no país no acumulado de 12 meses, segundo o portal Economia SC.

Enquanto Santa Catarina avançou 13,5% nas vendas e 12,8% na receita nominal, o Brasil registrou 2,0% e 2,2%, respectivamente, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE na sexta-feira (9). Já o varejo ampliado teve alta de 14,3%.

O segmento que puxou os números positivos em 2017 foi o de hipermercados e supermercados (25%), no acumulado do ano, impulsionado pela queda na inflação dos alimentos, que trouxe mais poder de compra para as famílias. Na comparação com dezembro de 2016 a alta foi de 23,7%.

No acumulado do ano, dois setores que começaram a se recuperar foi o de equipamentos e material de informática, escritório e comunicação (24,2%), que amargaram um longo período de baixa nas vendas por conta da queda na demanda, e eletrodomésticos (10,0%), que começam a reagir com a melhora no acesso ao crédito. Já móveis (15,8%) e tecidos, vestuário e calçados (8,9%) encolheram em 2017. Para o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, as particularidades do mercado foram essenciais para o estado ser um dos últimos a entrar e o primeiro a sair da crise.

Comentários
Continue Lendo

Negócios

Salário-maternidade será pago automaticamente após registro da criança

Published

on

Por

Foto: EBC/Divulgação

O processo de solicitação do salário-maternidade ficou mais simples. Agora, o benefício será concedido automaticamente após o registro do bebê no cartório, sem necessidade de ir a uma agência do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS).

Para isso, é necessário que o cartório tenha enviado os dados para o Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (Sirc). A mãe pode conferir se pode ser beneficiada ligando para o número 135 ou tentando agendar o atendimento em uma agência pelo site do INSS.  O INSS também está implementando uma parceria, junto aos cartórios, para atualização dos dados maternos no momento do registro.

O 135 funciona de 7h às 22h, de segunda-feira a sábado. A ligação é gratuita quando efetuada de telefones fixos, ou tem custo de uma ligação para número fixo local quando feita de celulares.

O salário-maternidade é pago no caso de nascimento e também adoção de crianças, com duração de 120 dias. Para saber mais informações, acesse a página do benefício.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do INSS

Comentários
Continue Lendo

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©