Conecte-se a nós

Notícias

Começa preparação para a demolição

Published

em

Empresa que executará a obra ainda não foi licitada. - Foto: Bega Godóy

A transferência de três dos seis comerciantes que exploram a Praça João Costa foi a primeira ação da Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente antes de se iniciar a demolição do prédio que abrigava o Colégio Aristiliano Ramos, no Centro de Lages. Eles continuam na praça e vão ficar por lá até que o espaço seja revitalizado.

No novo projeto de revitalização existe uma área destinada para o comércio, mas ainda não está definido quantos pontos serão disponibilizados. Serão pontos construídos para cada ambiente ou setor com instalação de estruturas específicas, a ocupação deverá atender aos critérios legais. que serão conhecidos ao longo da construção. O realocamento dos comerciantes foi necessário para a colocação dos tapumes no entorno do antigo colégio, visando à proteção de pedestres e clientes.

As Palmeiras que ficam em frente ao antigo educandário também serão retiradas, segundo explica o secretário do Meio Ambiente, Euclides Mecabô. “Muito provável que sejam replantadas em outras praças, e a estátua do ex-presidente Nereu Ramos poderá ser abrigada numa das praças com condições adquedas perto do Ginásio Jones Minosso”, informa Mecabô.

A demolição do prédio começa amanhã. Como a estrutura pertence ao Estado, a contratação da empresa que executará a demolição será feito através da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR), porém, o município será parceiro no processo nas frentes de trabalho.

>>Plano de ação_ Estão definindas as medidas de segurança, como isolamento da área, fluxo de pedestres e minimização dos impactos no trânsito, que serão executadas pela Secretaria de Planejamento e Obras. A colocação de 165 metros de tapumes de isolamento será realizada pela Secretaria de Assistência Social e Habitação, que também ficará responsável pelo recolhimento e encaminhamento dos materiais que possam ser reutilizados em outras construções, através do Programa Reuso. “Sabemos de antemão que diversas partes da estrutura estão comprometidas, com um alto grau de deterioração. Mas o que for possível reutlizar, dentro das normas de segurança, vamos fazê-lo”, explica o secretário de Assistência Social e Habitação, Samuel Ramos.

>>reaproveitamento_ Parte do material também será utilizada pela Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, na produção de lixeiras e bancos de praças. De acordo com o secretário Euclides Mecabô, o que não for selecionado, será recolhido e processado por uma empresa que trabalha com reciclagem de dejetos da construção civil. A secretaria também avaliará a possibilidade de transferir/replantar, em outro local, as palmeiras que existem em frente ao prédio. A demolição deverá ocorrer em três etapas, iniciando-se pelo prédio da frente, restando, ainda, o bloco anexo e o ginásio.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: