Conecte-se a nós

Turismo

#CLentrevista a diretora do CL, Isabel Baggio, sobre o novo portal de turismo Na Serra Catarinense

Published

on

Uma radiografia turística da Serra Catarinense, construída durante seis meses de trabalhos de pesquisa a campo nos 18 municípios da região, resultou em uma importante ferramenta com fotos, vídeos e textos que proporcionam aos visitantes da Serra conseguirem informações precisas sobre onde ir, como chegar, o que fazer, onde comer e muito mais.

É sobre o portal NaSerraCatarinense.com.br, lançado hoje, em uma moderna plataforma digital, que a diretora do Correio Lageano, Isabel Baggio, falou ao CL Entrevista.

Correio Lageano: Isabel, gostaria que a senhora falasse um pouco sobre esse portal, que é um presente para a Serra Catarinense

Isabel Baggio: Estamos muito contentes e orgulhosos pelo trabalho desenvolvido por nossa equipe e, principalmente, porque é um portal que vem sendo incubado por nós há algum tempo. E estamos entregando hoje para a comunidade serrana visando a dar informações com a melhor qualidade, sempre atualizadas, sobre o que tem de melhor no turismo da Serra Catarinense.

É importante destacar que esse portal foi construído em uma plataforma super completa e moderna, que vai oferecer várias possibilidades ao internauta.

Sem dúvida. Estamos atendendo e cobrindo a área do turismo em seus vários aspectos. Vinícolas, gastronomia, turismo de aventura, pontos turísticos, lugares onde comer, mapas de como chegar, videos que as pessoas podem postar, fotos. Enfim, todo manancial de turismo que a Serra Catarinense tem para oferecer ao mundo, estamos disponibilizando. Então, é um trabalho muito intenso, que se originou nos nossos próprios guias turísticos [neste ano vamos publicar a quarta edição], com todo esse arsenal de informações que temos nas nossas plataformas e que já tínhamos no portal CLmais, agora estamos tratando o turismo com outra abordagem, sempre muito completa e muito atualizada.

Além disso, o turismo na Serra Catarinense vem crescendo ano a ano, as cidades estão se estruturando, a natureza já se constitui em um grande atrativo e o novo portal vem para contribuir no fortalecimento desse setor.

Sem dúvida. Esse setor tem todo um trabalho desenvolvido, inclusive, com o apoio do Sebrae e outras instituições, e nós estamos engajados nesse mesmo ecossistema turístico. Claro que nós temos a nossa parte e estamos procurando fazer da melhor maneira possível. É um portal e, por si só, cada vez mais temos a obrigação de atualizá-lo, o que temos feito ao longo do tempo, mesmo sem colocá-lo no ar. Mas o fato de que o instrumento turismo na Serra Catarinense tem sido cada vez mais buscado e incrementado e sido relevante, nós como uma organização que é produtora de conteúdo, nos sentimos na obrigação de fornecer as informações com a maior qualidade possível e com a maior atualidade possível, para que as pessoas que estejam buscando a Serra; sejam elas da própria Serra, do Estado de Santa Catarina, do Brasil e do mundo, nos busquem, busquem e encontrem o portal NaSerraCatarinense.com.br com afinco, com a qualidade que estamos oferecendo, com a confiança da informação, para que cada vez mais tenhamos um lugar onde estejam concentradas todas as informações da nossa região, e que o turista venha, se encontre e encontre todas as informações que tanto procura.

Encontre todas as informações de turismo na Serra Catarinense no www.naserracatarinense.com.br

Comentários
Compartilhe

Turismo

Workshop ajudará alavancar o turismo na Serra Catarinense

Published

on

Por

Foto: Oneris Lopes

Definições sobre a participação dos municípios da Serra Catarinense no desfile de abertura da 30ª Festa Nacional do Pinhão; Adesão Regional no Festival de Inverno Serra Catarina; Workshop de Identidade Cultural da Serra Catarinense e dentre outros assuntos, a Elaboração do Plano de Articulação e Ordenamento Territorial do Turismo para a Serra Catarinense.

São alguns dos assuntos abordados em reunião na tarde de quinta-feira (17), no auditório da associação de municípios entre gestores de turismo das prefeituras, integrantes do Conselho de Turismo da Serra Catarinense (Conserra) e iniciativa privada. A reunião foi coordenada pela secretária executiva do Conserra e assessora de turismo da Amures, Ana Vieira e a secretária executiva da Amures Iraci de Souza.

Sobre o Workshop de Identidade Cultural da Serra Catarinense, a proposta é realizar o evento dia 20 de junho com uma programação que contemple oficinas para definição de objetivos de curto e médio prazo, sendo focado em fortalecer e potencializar a cultura regional.

“O objetivo desse evento será planejar ações de incentivo à discussão de elementos identitários com potenciais indutores de desenvolvimento sustentável de cultura, educação e turismo na região”, explicou Ana Vieira. A programação do evento ainda não está fechada e será acordada com a Secretaria de Estado do Turismo.

Serão dois dias de workshop e haverá inclusive rodada de negócios do turismo, com produtores rurais, pousadas, vinícolas, fornecedores em geral, artistas, artesãos, agências de propaganda, restaurantes, organizadores de eventos, agroindústrias e tecnologia da informação.

Mais de 150 cavaleiros esperados para desfile

Sobre o desfile de abertura da Festa Nacional do Pinhão programado para dia 26, ficou acertado que virão carros alegóricos e grupos de cavaleiros de vários municípios. A coordenadora do desfile, a apresentadora Beatriz Melo, do programa Oh de Casa!, disse que são esperados mais de 150 participantes no desfile, retomando assim um ritual que estava se perdendo ao longo dos anos.

Quanto ao Festival Serra Catarina, o evento acontece de 29 de junho a 31 de agosto abrangerá os 18 municípios da Amures. Na programação constam eventos como mostra de cinema, Rally Cross Country, Motoneve, Trekking na Coxilha Rica, Festival Internacional de Música, Cavalgada, Encontro de Veículos Antigos e dentre outros, Acordeon Festival.

A diretora do Correio Lageano Eliete Moraes Santana e as jornalistas Suzani Rovaris e Gislaine Couto apresentaram o portal turístico Na Serra Catarinense e toda estrutura da plataforma que foi criada para ser referência na difusão de conteúdos turísticos da região e oferecer informações e serviços através de mídia digital.

O presidente da Federação Catarinense de Balonismo André Antônio Ibanhes Lopes, apresentou aos gestores da Serra Catarinense, uma proposta de festival que poderá ser exibida em Lages em novembro no aniversário do município. Ele sugeriu parcerias dos balconistas como forma de atrair visitantes e incrementar o turismo na região.

Por Amures

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Turismo

Projeto muda percepção de estudantes sobre produção de vinhos na Serra

Published

on

Por

Foto: Cristiano Dalcin/ ADR Lages

O projeto “Aprendizado de Saber” está mudando a percepção de alunos da rede estadual sobre a produção de vinhos na Serra Catarinense. Liderado pelo professor de História, Gil Karlos Ferri, o projeto teve mais uma etapa desenvolvida na terça-feira (24), com a participação dos alunos da Escola Estadual Padre Antônio Vieira, de Anita Garibaldi, que visitaram a Vinícola Thera, na localidade de Caneleira, em Bom Retiro.

No início da atividade extracurricular, os alunos tiveram a oportunidade de conversar com o filho do proprietário da Vinícola Thera, Abner Freitas, sobre o empreendimento. Idealizado para produzir vinhos finos de altitude, a Vinícola Thera conta com um projeto mais abrangente no futuro, que prevê a construção de um hotel e um condomínio residencial, todos relacionados ao cultivo das uvas viníferas e produção de vinho.

De acordo com o professor Gil Karlos Ferri, a visita representa mais uma oportunidade de conhecimento para os alunos da região. “A Serra catarinense desponta na produção de vinhos e quero que eles aprendam a reconhecer esta realidade e que possam sentir-se parte dessa história toda vez que ouvirem falar dos vinhos da região. Muitos alunos acreditavam que o acesso a uma vinícola, por exemplo, era exclusivo das classes sociais de maior poder aquisitivo”.

O projeto é desenvolvido com parceria dos proprietários das vinícolas. Além da visita aos empreendimentos, a programação incluui uma conversa com os enólogos sobre tudo o que envolve a transformação da uva em vinho, além de atividades culturais. Sem degustar a bebida, o lanche é acompanhado de suco natural de uva.

“Um projeto desses é importante para abrir os horizontes dos estudantes, que podem vir a criar o gosto pelo cultivo de uvas ou até a produção de vinhos no futuro. O professor Gil Karlos Ferri está de parabéns”, destacou o secretário regional João Alberto Duarte, que acompanhou parte da visita nesta quarta-feira.

De acordo com a Epagri, os vinhedos de Santa Catarina ficam localizados nos pontos mais altos do Estado, entre 900 a 1,4 mil metros, acima do nível do mar. O primeiro empreendimento ligado à fabricação de vinhos finos se instalou em São Joaquim, na década de 1990. No ano seguinte, outros projetos foram iniciados e se sucederam, até a criação da Associação Catarinense dos Produtores de Vinhos Finos de Altitude (Acavitis), em 2005.

Atualmente, a atividade representa mais de 300 hectares em produção no Estado, nas regiões de São Joaquim, Caçador e Campos Novos. A produção média anual assegura a elaboração de uma carta de vinhos com 120 rótulos, e a algumas já conquistaram prêmios com a participação em concursos nacionais e internacionais.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Turismo

Projeto leva alunos a campo para conhecer produção em vinícolas da Serra e do Meio-Oeste

Published

on

Por

inícola Thera recebeu alunos nesta terça-feira - Foto: Vinícola Thera/ Divulgação

Alunos da Escola Estadual Padre Antônio Vieira, de Anita Garibaldi, na Serra Catarinense, estão descobrindo os sabores de uma experiência extracurricular bem diferente. Uma vez ao bimestre, uma turma de estudantes com idade entre 10 e 17 anos faz uma saída a campo que inclui a visita em uma das vinícolas da rede de empreendimentos que une a Serra e o Meio-Oeste na produção de vinhos finos de altitude.

O projeto é conduzido pelo professor de História, Gil Karlos Ferri, que encontra na iniciativa uma forma de mudar a percepção dos alunos sobre o lugar onde vivem e a forma de interagirem. “A Serra Catarinense tem despontado com muita qualidade na produção de vinhos, e o que se construiu em pouco mais de dez anos é de alto padrão”, avalia Ferri.

“Quero que eles aprendam a se reconhecer nesta realidade que atrai os olhares de todo o mundo e que, toda vez que ouvirem falar dos vinhos da Serra, sintam-se parte desta história”, explicou. Ferri revela que antes do projeto, muitos alunos acreditavam que o acesso a uma vinícola, por exemplo, era coisa exclusiva da alta classe social.

Depois de concluir a graduação na Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc), em Florianópolis, o professor Gil voltou para lecionar na região serrana, onde, segundo ele, conseguiu unir a paixão pela vitivinicultura e a profissão.

Ele denomina o projeto “Aprendizado de Saber”. Com a parceria dos proprietários das vinícolas, o professor organiza a excursão e leva as turmas para campo. A programação inclui a visita aos empreendimentos, uma conversa com os enólogos sobre tudo o que envolve a transformação da uva em vinho, além de atividades culturais. Sem degustar a bebida, o lanche é acompanhado de suco natural de uva.

O governador Eduardo Pinho Moreira reforça que o projeto contribui para o fortalecimento da produção de vinhos no Estado. “Em Anita Garibaldi, o professor Gil, de forma muito inteligente, envolveu os alunos de ensino médio para que conheçam a história da vitivinicultura em Santa Catarina, que já é uma atividade econômica muito importante e que deve crescer ainda mais”, afirmou.

Processo de produção

Depois de visitar uma vinícola que fica em Água Doce, a aluna Eduarda Amorim, 15, disse que “a prática transforma o conhecimento adquirido em sala de aula”. O que mais surpreendeu a estudante foi observar o processo de transformação do açúcar em álcool, por meio de leveduras.

O professor Gil reforça que cada visita revela mais do que o processo que está transformando a região numa referência em vinhos de qualidade. “Além dos meios pedagógico e científico, o aprendizado ocorre quando conseguimos ampliar a percepção das possibilidades de inserção social e econômica dos jovens na região”, explica Ferri.

Segundo o professor, o projeto até pode despertar o empreendedorismo dos estudantes para atuarem no setor, mas a missão principal é romper os paradigmas que envolvem os índices de desenvolvimento humano na região e a capacidade de transformá-los em um cenário positivo.

Projeto Carro-Chefe

O diretor da Escola Padre Antônio Vieira, Dhian Rafael Barbosa Ramos, destaca que o projeto é o único nessa modalidade, e que a adesão dos pais e alunos à ideia fortalece ainda mais o projeto. “A escola não dispõe de muitos recursos, cada aluno paga a passagem e a refeição. O apoio da família é fundamental e tem dado certo”, afirma o diretor.

Ele acrescenta que o projeto é referência na escola e que os alunos gostam de participar. “É muito importante que eles aprendam e, quem sabe, no futuro, até transformem essa experiência em uma vocação”, complementa.

Apoio dos empresários

Nesta terça-feira (24), os alunos saíram para mais uma visita a campo. Desta vez, conheceram a Fazenda Bom Retiro, onde fica a Vinícola Thera. Linda Cristina Depiné de Freitas, diretora de eventos, explica que o projeto foi constituído em setembro de 2013, no pilar conceitual: vinho, arte e natureza. O vinho é o pilar central, com as primeiras garrafas colocadas no mercado em novembro de 2016.

O projeto independente é direcionado prioritariamente aos vinhos branco e rosé, com projeção para vinhos tintos como complemento. Atualmente, há em torno de oito hectares em produção e mais seis hectares reimplantados, tendo como plano chegar a 18 e 20 hectares em dez anos. A meta é alcançar a produção anual de 100 mil garrafas, a longo prazo.

Hoje estão disponíveis cinco rótulos: Sauvignon Blanc, Chardonnay, Rosé, um tinto de nome Madai, composto por Merlot, Cabernet Franc, Syhaz e Malbec e um espumante chamado Auguri.

A visita dos alunos do professor Gil é comemorada com a expectativa de consolidar cada vez mais a região na produção de vinhos finos de referência. “Para a Vinícola Thera é um grande prazer contribuir com este relevante projeto com os alunos, no sentido de preparar futuros profissionais, seja na área técnica de vitivinicultura ou na parte da historia, ou ainda na troca de conhecimentos essenciais para o fomento do Turismo, atividade abrangente, que é veículo de cultura e prosperidade”, garante a diretora de eventos da vinícola.

Em Santa Catarina

De acordo com a Epagri, os vinhedos de Santa Catarina ficam localizados nos pontos mais altos do Estado, entre 900 a 1,4 mil metros, acima do nível do mar. O primeiro empreendimento ligado à fabricação de vinhos finos se instalou em São Joaquim, na década de 1990. No ano seguinte, outros projetos foram iniciados e se sucederam, até a criação da Associação Catarinense dos Produtores de Vinhos Finos de Altitude (Acavitis), em 2005.

Hoje, a atividade representa mais de 300 hectares em produção no Estado, nas regiões de São Joaquim, Caçador e Campos Novos. A produção média anual permite a elaboração de uma carta de vinhos com aproximadamente 120 rótulos, sendo que a maioria já participou de concursos nacionais e internacionais, conquistando premiações.

Por Governo do Estado

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Instagram

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 . Centro . 88502-000 . Lages . SC . Brasil . Fone: 49 3221.3300 . correiolageano@correiolageano.com.br

CL+| Correio Lageano - Todos os direitos reservados ©