Conecte-se a nós

Notícias

#CLentrevista a arquiteta e professora Lilian Fabre

Published

on

Em entrevista exclusiva ao #CLentrevista, a arquiteta, professora universitária e mestre em preservação do patrimônio cultural Lilian Fabre fala sobre a valorização dos patrimônios em Lages.

Correio Lageano: Nos últimos anos, Lages tem discutido a questão do patrimônio, teve a demolição do prédio do antigo Colégio Aristiliano Ramos, a possibilidade de tombamento do Edifício Dr. Accácio, a restauração do Casarão Juca Antunes e a possibilidade de retirada do monumento em homenagem ao ex-presidente Getúlio Vargas. Isso demonstra que a cidade está se preocupando mais em preservar o patrimônio?

Lilian Fabre: Infelizmente, é o contrário. Está havendo a discussão justamente pela falta de preservação e, de certa forma, descaso do poder público com o patrimônio. Acaba que tem uma movimentação das universidades, da população, para realmente pedir que isso seja preservado ou pelo menos, que seja discutido de um modo mais amplo. Foi definida a demolição de uma escola que era importante para a história de muitos lageanos, sem discussão com a comunidade. O Conselho Municipal de Patrimônio Cultural (Compac) tombou um edifício e pode ser que seja destombado. É bom que haja uma discussão, mas infelizmente o que motivou essa discussão é negativo.

Por que alguns espaços são mais preservados que outros? A Catedral e o Colégio Rosa, hoje Centro Cultural Vidal Ramos, são bastante preservados, de outro modo, o monumento em homenagem a Getúlio Vargas e outros espaços, ficam abandonados. Por que isso acontece?

Geralmente, a valorização tem a ver com o quanto (o espaço) foi importante para a história oficial. A Catedral é monumental, tem uma arquitetura que aparece mais, tem uma feição mais antiga, então, é mais fácil para as pessoas identificarem que aquilo é patrimônio. Já a Art Decó, que temos muito no Centro Histórico, as pessoas acham que é velho, não acham que é antigo. O que é da história popular, as coisas mais singelas não são valorizadas como esses monumentos.

Um patrimônio precisa ser tombado para ser preservado?

Não necessariamente. O tombamento é uma lei de proteção, é a melhor forma, a mais segura. Tombou, está preservado, porque os proprietários e o poder público têm legalmente a obrigação de preservar e valorizar o edifício. Mas tem outras formas, inventário, acautelamento pela própria comunidade. Uma coisa é o que a gente reconhece como nosso patrimônio lageano, outra coisa é o que está tombado em lei. Mas o tombamento é a forma mais segura.

Os lageanos conseguem observar os patrimônios tombados ou não? Estão preservando, não só o poder público, mas a população?

Acho que ainda não, falta muita conscientização da população sobre a questão do patrimônio. A educação patrimonial é as pessoas valorizarem e verem o quanto o nosso Centro Histórico é rico e comecem a dar valor, vender essa ideia, até por uma questão turística. A gente tem um longo caminho pela frente. E, realmente, não adianta só esperar pelo poder público.

Quando falamos em patrimônio em Lages, ainda discutimos o patrimônio material, as construções, mas há também o patrimônio imaterial, que em diversos lugares do país é preservado. Os patrimônios imateriais referem-se ao saber fazer e à cultura de um povo. Explica um pouco o que é patrimônio imaterial?

O (patrimônio) material é isso, é a edificação, a construção, um acervo de arte sacra que a gente pode colocar em um museu. O patrimônio imaterial é algo intangível que tem a ver com a cultura local, ao saber fazer, como o queijo serrano, o ofício de um vaqueiro, ou o ofício do taipeiro. São coisas que vão se perdendo ao longo de tempo que, às vezes, as novas gerações não têm interesse. Quem ainda faz taipa, por exemplo, em Lages daquela forma que se fazia desde o período colonial. Infelizmente, a gente ainda não tem esse tipo de preservação, e isso também é um patrimônio que está em risco.

Comentários
Compartilhe

Notícias

Acidente com moto e automóvel no Centro de Lages

Published

on

Fotos: Bega Godóy

Um Siena prata de Lages conduzido por Luiz Rodrigues e uma Honda Biz de Lages, colidiram na noite desta quarta-feira (18). O acidente aconteceu na esquina com a Rua Juca  A. Lucena e Castro Alves, no Centro. O motociclista transitava pela Castro Alves, sentido Centro, quando colidiu com o Siena que entrava na Juca A. Lucena.

Veiculo e moto ficam danificados

O condutor da moto não teve a identidade revelada, e foi socorrido pelos bombeiros, sendo conduzido ao Hospital Nossa Senhora dos Prazeres. Sua situação era estável.  No Siena, além do motorista, estava dona  Maria de Lourdes Rodrigues, de 94 anos. Ela nada sofreu nada, porém, ficou assustada, pois saía de sessões de fisioterapia e se dirigia para a casa na companhia do filho. O impacto foi tão grande que a frente e a lateral do automóvel ficaram muito danificadas, já a moto ficou destruída.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Brasil tem 677 casos de sarampo confirmados, diz Ministério da Saúde

Published

on

Por

Foto: Divulgação

Balanço divulgado na tarde desta quarta-feira (18) pelo Ministério da Saúde mostra que o Brasil tem 677 casos confirmados de sarampo. Segundo a pasta, atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo – em Roraima e no Amazonas. Até terça (17), foram confirmados 444 casos de sarampo no Amazonas, e 2.529 permanecem em investigação. Roraima confirmou 216 casos da doença e 160 continuam em investigação.

O ministério informou que, desde fevereiro, quando começaram a surgir os casos de sarampo, foram registradas três mortes: duas em Roraima e uma no Amazonas. Em Roraima, um caso suspeito de morte pela doença ainda está em investigação.

De acordo com o balanço, os surtos estão relacionados à importação. “Isso ficou comprovado pelo genótipo do vírus (D8) que foi identificado, que é o mesmo que circula na Venezuela”, diz a nota.

Ainda segundo a pasta, alguns casos isolados e relacionados à importação foram identificados nos estados de São Paulo (um), Rio Grande do Sul (oito); e Rondônia (um). Até o momento, o Rio de Janeiro informou ao Ministério da Saúde, oficialmente, sete casos confirmados. “Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, estão sendo realizadas em todos os estados”, diz o ministério.

Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo. Segundo o ministério, o Brasil está empreendendo esforços para interromper a transmissão dos surtos e impedir que se estabeleça a transmissão sustentada. “Para ser considerada transmissão sustentada, seria preciso a ocorrência do mesmo surto por mais de 12 meses”, diz a pasta.

Vacina

Oferecidas gratuitamente pelo Ministério da Saúde para todos os estados, as vacinas tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e tetra viral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela) fazem parte do Calendário Nacional de Vacinação e estão disponíveis ao longo de todo o ano nos postos de saúde em todo o país.

“É importante ressaltar que não há necessidade de corrida aos postos de saúde, já que as ações para controle do surto da doença, como bloqueio vacinal, nas localidades acometidas por casos de sarampo estão sendo realizadas com rigor”, diz  nota divulgada pela pasta.

Neste momento, o Ministério da Saúde está intensificando a vacinação das crianças, público mais suscetível à doença. “Entretanto, adultos não vacinados devem receber a vacina prioritariamente em locais onde há surto da doença, como em Roraima e Manaus (AM). Pessoas que já completaram o esquema, conforme preconizado para sua faixa etária, não precisam novamente receber a vacina”, acrescenta o ministério.

Crianças de 12 meses a menores de 5 anos de idade têm que receber uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses de idade (tetra viral). Crianças entre 5 anos e 9 anos de idade que não foram vacinadas anteriormente devem receber duas doses da vacina tríplice com intervalo de 30 dias entre as doses.

A campanha nacional de vacinação será realizada entre 6 e 31 de agosto, sendo o dia D no sábado (18). O público-alvo dessa estratégia são crianças de 1 ano a menores de 5 anos.

Segundo o ministério, a meta de vacinação contra o sarampo é de 95%. Dados preliminares referentes ao ano passado indicam que a cobertura no Brasil foi de 85,21% na primeira dose (tríplice viral) e de 69,95% na segunda dose (tetra viral).

Por Agência Brasil

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Temperaturas elevadas continuam até sexta-feira

Published

on

Por

Na quinta, as temperaturas podem chegar aos 27 º C em Lages - Foto: Gislaine Couto

Nesta quinta-feira (19), o clima será estável com predomínio de sol em todas as regiões de Santa Catarina. Uma massa de ar seco e quente ganhou força sobre o Sul e Sudeste do Brasil, no início da semana, está garantindo essa sequência de dias com sol, poucas nuvens, calor e baixa umidade do ar durante as tardes. As temperaturas podem chegar aos 27 ºC em Lages, e 31°C no Litoral Norte do Estado, segundo previsão da Epagri/Ciram.

Para sexta (20), o tempo será de sol com aumento de nuvens em Santa Catarina, no decorrer da tarde. No Oeste do Estado, condição de chuva e trovoadas isoladas à noite. As temperaturas continuam elevadas para época do ano. A partir de sábado (21), o tempo começa a mudar. O calor fora de época dará lugar ao frio e a temperatura começa a cair. As mínimas devem chegar aos 7 ºC em Lages.

O tempo será nublado e com possibilidade de chuva pela manhã e na madrugada na maior parte do Estado. A chuva chega com descarga elétrica (raios) e trovoadas isoladas, especialmente no Oeste e Serra Catarinense. No decorrer do dia, o tempo melhora com aberturas de sol devido ao avanço de uma massa de ar seco e frio.

Segundo o engenheiro agrônomo Ronaldo Coutinho, afirma que ainda no sábado, a previsão indica uma remota chance de garoa congelada ou neve nos pontos mais altos do topo da Serra. Além disso, segundo Coutinho há chance de formação de sincelo no Morro das Torres, em Urupema. Também há uma possibilidade deste fenômeno, no topo da Serra do Rio do Grande do Sul (RS), no amanhecer.

Cerejeiras embelezam Lages

A partir do mês de julho, as cerejeiras começam a florir na cidade e embelezam ainda mais a paisagem urbana com seus tons de rosa. Seguindo a mesma tendência de 2016, elas estão surgindo mais cedo que o comum, pois geralmente nascem em setembro. Confira um registro dos leitores do CL, que enviaram suas fotos das cerejeiras.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Instagram

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 - Centro - CEP: 88502-000 - Lages (SC) - Brasil . Contato - Fone: 49 3221.3300 e-mail: correiolageano@correiolageano.com.br

Todos os direitos autorais são propriedade/responsabilidade do Correio Lageano. A reprodução, adaptação, modificação ou utilização do conteúdo disponibilizado neste site, parcial ou integralmente, é expressamente proibida sem a permissão prévia por escrito do CL ou do titular dos direitos autorais.