Conecte-se a nós

Notícias

Campanha sobre abuso sexual é direcionada ao público infantil

Published

on

Um vídeo ensinando crianças como se protegerem diante do abuso sexual, chama atenção para o tema. Nele, o assunto é tratado de forma leve e didática, de maneira que as crianças entendam o que esse crime e saibam como proceder.

Com desenhos e sem ser agressivo, o locutor insiste para que as crianças contem para um adulto se estiverem sendo abusadas, mesmo que o agressor esteja ameaçando machucar alguém se o caso vier à tona.

O vídeo (que tem autoria desconhecida) viralizou nas redes sociais e no YouTube.

Abuso sexual infantil parece distante da realidade, principalmente quando não se conhece alguém próximo que passou por isso. Porém, números da Polícia Civil de Lages comprovam que o crime ainda é corriqueiro.

Em Lages, em 2016, 92 casos foram registrados, e no ano passado, o número passou para 77. Os dados da delegacia de PC são para crimes de estupro em crianças e adolescentes. Mas os números podem ser maiores, já que muitos casos não são denunciados.

O delegado de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso, de Lages, Rochell Amaral da Silva, afirma que os números poderiam ser mais altos, em razão da chamada “cifra negra”, que são aqueles fatos que não chegam ao conhecimento da Polícia Civil.

A denúncia para este tipo de crime, pode ser anônima, pelo telefone 3289-8160 ou pelo Disque Denúncia, nos números 181 ou 100. Pelo WhatsApp também é possível, através do número (48) 98844-0011.

Procedimentos

Após o recebimento da denúncia, a Polícia Civil apura a veracidade da informação, até porque, infelizmente, segundo o delegado, há pessoas que fazem trotes.

Verificada a procedência, são realizadas as diligências iniciais necessárias e instaurado o procedimento policial adequado para a formalização das investigações, com posterior remessa para a análise do Ministério Público e do Poder Judiciário.

O delegado explica que quando o abuso acontece, a prioridade é que a vítima permaneça com alguém da família. Porém, pode ocorrer o encaminhamento ao abrigo nas hipóteses em que a violência é intrafamiliar e a manutenção da criança ou do adolescente nesse ambiente continue colocando em risco a sua integridade física e/ou psicológica.

Psicóloga alerta para sinais de comportamento das vítimas

Geralmente, as crianças que sofreram ou ainda sofrem abuso sexual apresentam mudanças no comportamento. Estas mudanças podem se apresentar de diferentes formas e vai depender de cada situação e do tipo de abuso.

A psicóloga Claudia Waltrick Machado Barbosa explica que varia de acordo com o grau de penetração; acompanhamento de insultos ou violência psicológica; uso de força ou violência física, entre outras brutalidades.

Em bebês pode ocorrer a presença de choro sem causa aparente. “Mas nestes casos, geralmente, se ocorreu conjunção carnal, a criança vai apresentar sangramento. Porém, pode também aparecer choro nas trocas de fraldas”. Em crianças maiores, os sinais podem ser: agitação, irritabilidade, embotamento (a criança começa a ficar mais isolada e quieta), medo de ficar sozinha ou ao ser afastada da mãe ou cuidador.

Há casos que a psicóloga diz que crianças e adolescentes apresentam certa agressividade, além de terror noturno e medo de dormir sozinhas. “A criança pode ainda apresentar insegurança, depressão, vergonha e fobia.”

Entretanto, ela frisa que pode acontecer, também, em casos de incesto, falta de mudanças, pois, quando a pessoa é violentada por alguém próximo ou um familiar, por exemplo, desde bebê, pode compreender que este ato é normal, pois ainda não tem discernimento do que está acontecendo.

“Nestes casos, só mais tarde, geralmente na adolescência, ela vai se dar conta da situação que foi exposta. Mas nos casos de incesto, as crises de choro e nervosismo são comuns. No caso de crianças em fase escolar, podem apresentar baixo rendimento.”

A especialista esclarece que uma criança que passou por situação de abuso sexual, não necessariamente terá comprometimento na vida sexual quando adulto. Se tratada psicologicamente, poderá ter uma vida sexual normal.

“O abuso sexual infantil é facilitador para o aparecimento de psicopatologias graves, prejudicando a evolução psicológica, afetiva e social da vítima. Os efeitos do abuso na infância podem se manifestar de várias maneiras, em qualquer fase da vida”.

Comentários
Compartilhe

Notícias

Carro invade loja após acidente, em Lages

Published

on

Fotos: Divulgação

Um carro invadiu uma loja de materiais elétricos por volta das 20h50 de terça-feira (17). O condutor de veículo Citroen C4, perdeu o controle da direção após se envolver em um acidente com um Honda Civic, no cruzamento das Ruas Marechal Deodoro e Cândido Ramos, no Centro de Lages. Os condutores que não tiveram a identidade divulgada, não se feriram.

Segundo a Polícia Militar, o Citroen seguia pela Rua Marechal Deodoro, sentido Centro/Bairro, quando teve a lateral atingida por pelo Honda, que teria invadido a preferencial.

Com o impacto, o motorista do perdeu o controle do carro, foi parar dentro da loja Fendamix . Grades e vidros foram arrancados.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

Princípio de incêndio assusta moradores do Vila Esperança

Published

on

Foto: Patrícia Vieira

Um princípio de incêndio assustou os moradores da Rua Fernando Machado de Souza, no loteamento Vila Esperança, no Bairro Guarujá, em Lages, na manhã desta quarta-feira (18).

O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 8 horas, porém quando chegou ao local, o fogo já havia sido controlado, sem maiores danos. Apenas a proprietária da casa estava no local no instante do incêndio. Ela conseguiu sair de casa e pedir ajuda. Ninguém se feriu.

Segundo a moradora, Noeli da Silva Leodoro, de 59 anos, o  fogo começou em um dos cômodos da casa e a suspeita é que a parte elétrica tenha ocasionado o incêndio, porém, será necessária a perícia para confirmação.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo

Notícias

“Não teve como reverter”, diz médico sobre morte de paciente

Published

on

O Pronto Atendimento tem sofrido com a superlotação, o que acaba sobrecarregando o trabalho da equipe de médicos e enfermeiros - Foto: Adecir Morais

O diretor técnico do Pronto Atendimento de Lages, Pedro Iung disse, nesta terça-feira (17), que a equipe que atua na unidade fez de tudo para evitar a morte de uma mulher, de 55 anos, que deu entrada no local, na última segunda (16). Ele narrou a cronologia dos fatos e garantiu que todo o atendimento foi feito dentro do que determina o protocolo de atendimento.

De acordo com ele, a paciente, que morava em São José do Cerrito, chegou na unidade às 14h47, trazida por familiares. Às 14h51, passou pelo setor de enfermagem, quatro minutos mais tarde, recebeu atendimento de médicos e enfermeiros na sala de emergência. Ela morreu após sofrer uma parada respiratória, depois de sucessivas manobras na tentativa de reanimá-la.

Pedro afirmou que a mulher deu entrada na unidade em estado grave e com sintomas de infarto. No setor de emergência, recebeu todo o atendimento necessário. “A paciente chegou em estado gravíssimo, não teve como reverter [a morte]”, declarou o diretor, salientando que a mulher tinha histórico de pressão alta, diabetes, tabagismo e infarto.

Em relação a uma possível queda da paciente enquanto recebia atendimento, o diretor destacou que, ao tentar levantar-se da maca, ela foi acudida por uma enfermeira, mas “escorregou” e ficou de “joelhos no chão”, sendo socorrida imediatamente pela equipe de enfermagem.

“Em absolutamente nenhum momento a paciente ficou sozinha ou deixou de ser atendida. Infelizmente, a morte aconteceu em decorrência do problema cardíaco, conforme consta no atestado de óbito”, reforçou uma nota encaminhada pela Secretaria Municipal de Saúde. O CL não conseguiu contato com familiares da mulher.

Onde buscar atendimento

Em Lages, existem dois estabelecimentos que atendem casos de urgência e emergência (Pronto Atendimento e Hospital Nossa Senhora dos Prazeres – HNSP). O diretor explicou que, pelo SUS, quando um paciente apresenta sintomas de infarto, precisa ser atendimento no Pronto Atendimento primeiro.

Nesta unidade, é avaliado o tipo de atendimento que o paciente precisa. Se houver diagnóstico de infarto, o médico encaminha o caso ao setor de emergência do HNSP, referência regional em cardiologia.

A unidade avançada do Samu também pode encaminhar casos de infarto para este setor. Pacientes que vêm do interior, encaminhados com diagnóstico, também são levados para este setor. Todos os atendimentos de urgência e emergência em Lages, exceto os casos de acidente de trânsito, precisam ser atendidos no Pronto Atendimento.

Vale lembrar que esta unidade, tem sofrido nos últimos dias com a superlotação, o que acaba sobrecarregando o trabalho da equipe médica e de enfermagem da unidade. Só nesta terça, havia 26 pacientes aguardando vagas em hospitais do município, sem falar de dezenas de pacientes que esperavam nos corredores.

Comentários
Compartilhe
Continue Lendo
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Instagram

Facebook

Anúncio

Rua Coronel Córdova, 84 - Centro - CEP: 88502-000 - Lages (SC) - Brasil . Contato - Fone: 49 3221.3300 e-mail: correiolageano@correiolageano.com.br

Todos os direitos autorais são propriedade/responsabilidade do Correio Lageano. A reprodução, adaptação, modificação ou utilização do conteúdo disponibilizado neste site, parcial ou integralmente, é expressamente proibida sem a permissão prévia por escrito do CL ou do titular dos direitos autorais.