Conecte-se a nós

Notícias

Ação dos ladrões, em Ponte Alta, durou 8 minutos

Published

em

Foto: Camila Paes

Para os moradores de Ponte Alta, a cena do arrombamento a Agência do Banco do Brasil não espanta mais. Na manhã desta quinta-feira (2), horas depois de o prédio ficar destruído, a rotina da população voltou ao normal e quem passava na frente da agência nem se importava com as paredes, tetos e vidros quebrados. De acordo com relatos, esta é a quinta vez que o banco é arrombado.  

A ação dos bandidos começou às 3h e terminou às 3h08. Este curto espaço de tempo foi o suficiente para que colocassem um explosivo em uma das paredes laterais da agência, que destruiu quase toda a estrutura.

Entretanto, os bandidos saíram de mãos vazias, já que não havia dinheiro no banco. Uma reforma geral foi concluída na quarta-feira na agência, que emprega três servidores e três funcionários terceirizados.

Um morador, que preferiu não se identificar, relata que presenciou, de longe, toda a ação. Ele lembra que acordou com o barulho do pneu do carro, já que nesta hora da madrugada, não é comum haver veículos passando pela Rua Frei Rogério.

Foi quando ele percebeu uma Hilux branca em frente ao Banco do Brasil e percebeu que eram assaltantes. A partir dali, ele se escondeu e conseguiu assistir os homens descerem do carro e detonarem a parede.

A explosão foi sentida de longe e na casa do morador as paredes tremeram. Os assaltantes permaneceram poucos minutos dentro da agência e então, saíram em direção à BR-116, dando tiros para o alto. Quando olhou para o relógio, o morador se surpreendeu, a ação havia demorado apenas 8 minutos.

Ele revela que tentou entrar em contato com a Polícia Militar, mas não conseguiu. Um das dificuldades dos moradores, segundo ele, é ligar para o 190, já que as ligações caem diretamente na Central de Lages, mesmo que policiais façam plantão no município.

“E quando atendem, nós temos que dar todos os detalhes. Eu já presenciei um furto em um caminhão do lado da minha casa. Chamei a polícia, que só chegou duas horas depois”, relembra.

A preocupação é com a segurança do município e principalmente, com as outras duas agências bancárias existentes na cidade, que ficam em prédio que possuem apartamentos residenciais. Se ações como esta forem executadas nelas, a gravidade pode ser maior. “Nós estamos praticamente sem segurança”, acrescenta o morador.

Criminosos tombam o carro durante a fuga

De acordo com informações do comando da Polícia Militar, os assaltantes fugiram com a Hilux branca, que tinha registro de furto na cidade de Ituporanga, em direção à Otacílio Costa por uma estrada no interior, onde acabaram tombando o carro. Neste acidente, um dos criminosos ficou ferido. O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) esteve no local, pois havia vestígios de material explosivo no veículo.

Em Otacílio, pararam uma van da empresa Klabin e forçaram o motorista a levá-los até uma chácara particular, onde fugiram em outra Hilux branca, também da Klabin. A fuga foi em direção à cidade de Bom Retiro, onde abandonaram novamente o carro perto da BR-282.

Lá, os assaltantes continuaram com a fuga e não há certeza se estavam a pé ou de carro. As buscam permanecem e acredita-se que eles seguiram em direção a região de Alfredo Wagner. Para o atendimento da ocorrência, a PM recebeu apoio das equipes de Curitibanos, Rio do Sul, Santo Amaro da Imperatriz e Correia Pinto.

PM segue protocolo de segurança

O comandante Alfredo Nogueira, do 6º Batalhão da Polícia Militar, explica que o policial que permanece de plantão em Ponte Alta, não pode atender a ocorrência sozinho e precisa seguir um protocolo de segurança nestes casos.

Sobre as chamadas do 190 caírem em Lages, ele explica que este é um procedimento padrão, já que assim, conseguem filtrar a ocorrência, que é avisada imediatamente via um software para os profissionais de plantão.

“Sabemos que a população sente falta de estar em contato direto, mas o atendimento desta forma, é um facilitador”, acrescenta Nogueira. Ele revela que a agência já foi arrombada em outros momentos, mas não soube confirmar se foram cinco vezes.

O comandante ressalta que as investigações continuam, em parceria com a Polícia Militar e Civil. Ele reforça que a população pode informar aos órgãos qualquer pista que leve aos assaltantes, principalmente caso algum deles dê entrada no hospital.

Anúncio
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: